Você deve estar ciente de que o concurso para o cargo de auditor fiscal da Receita Federal é um dos mais cobiçados e concorridos, certo?

O que talvez não saiba é que a concorrência é irrelevante e o maior desafio é a autossuperação e não a superação dos demais candidatos.

Como assim?

Nesse artigo você irá descobrir que mais de 50% dos candidatos que alcançam a nota mínima são convocados, ou seja, com uma boa preparação e desempenho na prova, a convocação é uma consequência quase certa.

Interessante, não é mesmo?

Então se prepare, porque aqui ficará sabendo tudo, desde as funções, salários, benefícios, possibilidade de crescimento e como atuar na sua área de graduação dentro da Receita Federal.

E o principal, todas as informações acerca do o concurso, banca organizadora e organização dos estudos dentro das matérias exigidas no edital.

Sem perder mais tempo, vamos começar?

 

O que é um auditor da Receita Federal?

 

O auditor fiscal é o servidor responsável pela fiscalização tributária e aduaneira do Brasil, no âmbito federal.

Isso significa que é responsável por toda a parte de fiscalização e controle dos tributos federais, não somente o imposto de renda, que é a primeira coisa que lembramos sobre a Receita Federal.

Para conhecer melhor todas as atribuições do cargo, clique aqui para acessar a Lei 10.593 de 2002, responsável em estabelecer essas atribuições.

 

Qual o salário inicial e final de um auditor fiscal da RBF?

 

Até o final de 2016, o salário inicial é de R$ 15.743,64 e o final é R$ 22.516,88.

Todavia, foi publicada em 30 de dezembro de 2016, a medida provisória com o reajuste do salário do auditor da Receita Federal do Brasil.

Sendo assim, a partir de janeiro de 2017, a remuneração inicial passou para R$ 19.211,01, onde será reajustada novamente em janeiro de 2018 passando para R$ 20.125,53 e, por fim, R$ 21.029,09 em janeiro de 2019.

Quanto ao salário final, passou a ser de R$ 24.943,07, valor que aumentará para R$ 26.127,87 em janeiro de 2018 e, por fim, R$ 27.303,62 em janeiro de 2019.

Outro fato que deve ser mencionado é que houve uma redução no número de níveis necessários para chegar ao teto máximo, ou seja, você consegue o salário final mais rapidamente, mas vamos explicar melhor sobre isso no plano da carreira.

Salário extremamente atrativo, não é mesmo?

Mas temos outra novidade, o bônus de eficiência.

 

Como funciona o bônus de eficiência

 

A criação do bônus de eficiência é uma novidade dentro da Receita Federal do Brasil.

O valor do bônus pago em dezembro de 2016 e janeiro de 2017 foi R$ 7.500,00 mensais. A partir de fevereiro, esse bônus será de R$ 3.000,00 mensais até maio de 2017.

O bônus de gratificação é calculado pela divisão das multas aplicadas e mercadorias apreendidas, sendo assim, apesar de não ser possível informar com certeza o valor do bônus a partir de junho, acredita-se que gire em torno de R$5.000,00.

No primeiro ano você não terá direito ao bônus, sendo que no segundo ano receberá 50% do valor da bonificação, no terceiro ano 75% e então, no quarto ano, 100% do valor, ou seja, a bonificação integral,

E, obviamente, não é somente isso, pois você ainda contará com os benefícios do cargo.

 

Quais os benefícios do auditor fiscal?

 

Além do bônus de eficiência, existe o auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00, auxílio-saúde com valor mínimo de R$ 101,00 por pessoa e benefício pré-escolar com um valor máximo de R$ 321,00.

 

Existem remunerações gratificadas?

 

Além da remuneração já mencionada, você pode assumir o cargo de chefe de seção, onde será acrescido em torno de R$ 500,00 ao seu pagamento e a chefia de divisões, onde esse acréscimo pode chegar até R$ 1.700,00.

Essas não são as únicas remunerações gratificadas possíveis, porém são as mais comuns e fácies de se conquistar.

Acho que você já percebeu o porquê de o cargo ser tão cobiçado, não é mesmo?

Mas não se preocupe, que você perceberá que conquistar uma vaga é possível e depende exclusivamente de você!

 

Qual a jornada de trabalho?

 

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, normalmente dividida em 8 horas diárias. Algumas funções, como por exemplo a equipe de vigilância em aeroportos ou equipe de repreensão, atuam em um regime diferenciado, em forma de plantão.

Em casos de plantão, adota-se 24 horas de serviço com folga de 72 horas ou ainda 12 horas de serviço intercalando com uma folga de 36 horas.

Mas, em alguns casos, é possível realizar seu trabalho em casa.

 

Como é possível realizar o trabalho de auditor fiscal em casa?

 

A Receita Federal já tem alguns projetos pilotos de teletrabalho, mas, após uma portaria recentemente assinada pelo Ministério da Fazenda, foi autorizado a aplicação do trabalho remoto de forma mais ampla.

Por conta disso, acredita-se que nos próximos meses essa será uma realidade cada vez mais comum entre os auditores, afinal muitos trabalhos podem ser realizados de maneira eficiente apenas com o uso de um computador com acesso à internet.

 

Onde é a lotação inicial e qual possibilidade de remoção?

 

Todos os candidatos aprovados recebem um cartão com todas as cidades com vagas disponíveis, onde devem enumerar, de acordo com a ordem de preferência.

De acordo com essa ordem de preferência e classificação no concurso, a ESAF, provável banca organizadora, estabelece a lotação inicial de cada candidato.

Sempre que houver um novo concurso ou convocação de excedentes, ocorre um concurso de remoção interno, com base em dois critérios para privilégio de escolha:

– Tempo de serviço na Receita Federal;

– A cidade em que você está lotado, sendo que servidores lotados em cidades remotas e de fronteira tem maior preferência do que quem está lotado em um grande centro urbano.

A Receita Federal do Brasil está presente em todos os estados, distribuídas em vários municípios, portanto possibilita uma grande mobilidade e flexibilidade por parte do servidor, mesmo que, eventualmente, possa demorar alguns anos.

Um atalho para ser lotado no lugar desejado é o caminho da corregedoria, uma vez que, após trabalhar três anos nesse setor, você pode escolher para onde quer ir, sem qualquer concurso ou disponibilidade de vaga no local.

Sendo assim, desperta muito interesse, mas não é qualquer um que consegue ir para corregedoria, principalmente no início. Se houver interesse poderá, após algum tempo, passar por um processo seletivo destinado a corregedoria.

 

Qual o plano de carreira de um auditor da Receita Federal?

 

Como mencionado, tornou-se mais fácil, a partir de 2017, alcançar o nível máximo dentro da Receita Federal. Isto porque agora é necessário percorrer apenas 9 níveis, ao invés dos 13 níveis anteriormente necessário.

Além disso, tornou-se possível passar de um nível para o outro com apenas 12 meses, tempo significativamente menor do que os 18 meses anteriormente necessários.

Com essa mudança, o novo auditor que antes precisaria de 18 anos para chegar ao teto, consegue tal feito em torno de 10 anos, levando em consideração que durante o estágio probatório não ocorre progressão.

Caso assuma um cargo de chefia, esse período entre os níveis é reduzido, ou seja, conseguirá chegar mais rapidamente ao teto máximo da carreira.

 

Como é o dia-a-dia de um auditor da Receita Federal?

 

A Receita Federal do Brasil apresenta um leque enorme de atribuições, dando oportunidades de áreas para todo e qualquer perfil.

Ou seja, após entrar, você pode ir buscando se direcionar para a sua área de graduação, como por exemplo, assessoria de impressa, julgamento de processos internos, gestão de pessoas, entre outras várias áreas, de acordo com seu perfil.

Existem, inclusive, trabalhos diferenciados, como piloto de helicóptero ou de lancha, ou ainda, a possibilidade de exercer seu cargo fora do país.

Sendo assim, o trabalho poderá variar de forma imensa entre um ou outro auditor, de acordo com a equipe em que se trabalha.

 

O auditor da RFB trabalha armado?

 

Alguns auditores, principalmente que executam atividades de repreensão ao contrabando, possuem porte de arma, mas não é algo que abrange todos os auditores fiscais.

 

O cargo de auditor da Receita Federal é perigoso?

 

Existe um certo risco, visto que muitas vezes o auditor age de forma contrária ao interesse de pessoas e empresas poderosas, mas, apesar disso, é possível exercer o trabalho de forma segura.

Não somente a sociedade de modo geral, como o próprio sonegador, encara a Receita Federal como um órgão respeitado e integro, o que ameniza muitas situações, mesmo com perdas milionárias.

 

Qual o nível de formação exigido?

 

É necessária formação de nível superior em qualquer área, sendo que, nos concursos anteriores, não houve prova de títulos e é muito improvável que essa prática seja adotada.

 

Qual a concorrência do último concurso realizado?

 

Em 2014 a concorrência foi de 125 candidatos por vaga.

Mas o concurso da Receita Federal possui uma remuneração extremamente atrativa, então é comum que apareça muitos aventureiros, que se inscrevem para o concurso, mas ao começar a estudar, percebem a dificuldade e desistem.

Sendo assim, ainda em 2014, dos 65.540 inscritos, apenas 31.942 compareceram para a realização da prova. O mesmo ocorreu em concursos dos anos anteriores.

Com base nesses números, a quantidade de candidatos por vaga passou de 125 para 58.

Porém, dentre os 31.942 que comparecem, apenas 804 conseguiram a nota mínima necessária e, dentre esses, 556 foram nomeados. Sendo assim, pode-se dizer que a concorrência real foi de 1,4 candidatos por vaga.

Com tudo isso queremos te mostrar que a concorrência é grande, mas nesse concurso é indiferente, porque se analisarmos, você não está competindo com outros candidatos, mas com a própria ESAF para atingir a nota mínima.

Conquistando a nota mínima, as chances de você ser convocado são gigantescas, então se concentre nos estudos e esqueça a concorrência desse concurso.

 

Existe um cadastro de reserva?

 

Como mencionado, o último concurso para auditor fiscal da Receita Federal foi realizado em 2014 com uma oferta de 278 vagas iniciais, sendo convocados, após um período, 100% da quantidade inicial de vagas, ou seja, 556 candidatos.

A Receita Federal é conhecida por sempre chamar uma quantidade significativa de excedentes sendo que, em 2012, foram disponibilizadas 200 vagas, mas somente 252 candidatos atingiram a pontuação mínima e optou-se por chamar todos de uma única vez.

Então esqueça a preocupação com a quantidade de vagas e use seu foco na preparação para o concurso.

 

Qual foi a nota de corte do último concurso?

 

O aproveitamento mínimo exigido era de 60%, sendo que o primeiro lugar teve um aproveitamento de 87%, a nota de corte das vagas iniciais foi de 74% e a nota do corte de excedentes de 71%.

 

Qual a quantidade de vagas do próximo concurso?

 

Foram solicitadas 400 vagas, mas não é possível saber, até o momento, a quantidade que será destinada aos auditores, sendo que essa quantidade inclui auditor e analista fiscal, além do assistente técnico administrativo.

 

Qual será a banca escolhida para o próximo concurso?

 

Com certeza deverá ser a ESAF, visto que, além de ser a escolha nos últimos concursos, ela pertence ao Ministério da Fazenda, não existindo a necessidade de licitação.

 

Quais matérias devo estudar mais?

 

As provas da ESAF apresentam uma particularidade, sendo necessário atingir 40% de aproveitamento individual dentro de cada matéria, sendo que no último concurso o edital contou com 11 matérias.

O aproveitamento geral é de 60% de na prova objetiva e 60% da prova discursiva.

O fato de exigência mínima por matéria, muda completamente a maneira de planejar seus estudos.

No último concurso, por exemplo, 61 pessoas, dentre as que se classificaram, fizeram a pontuação mínima necessária em Raciocínio Lógico Quantitativo, ou seja, mesmo não sendo um conteúdo de peso, merece atenção como os demais, caso contrário você pode não conseguir atingir 40% de aproveitamento.

As matérias que tiveram maior candidatos com um aproveitamento mínimo necessário foram direito administrativo, com 125 pessoas e legislação tributária, com 172 pessoas.

Em resumo, todas as matérias devem ser estudadas, levando em consideração sua dificuldade e tamanho do conteúdo, independentemente do peso.

Nesse concurso, talvez até mais que em outros, é fundamental a realização de um curso preparatório com professores qualificados.

Por exemplo, no Estratégia Concursos, é feito um raio x de todas as últimas provas do concurso e analisado, matéria por matéria, a quantidade de perguntas relacionadas a cada tema de uma determinada matéria.

Isso pode ser fundamental para te guiar, principalmente quando você não tem um longo tempo disponível para preparação.

Outro detalhe é que os editais para auditor da Receita Federal nunca se mantêm, ou seja, sempre algo é acrescentado ou retirado.

O que o próximo edital irá trazer de novo?

Impossível adivinhar, portanto estude com garra e dedicação o que já é certo, como base no último edital e, quando sair o novo edital, você terá em torno de 60 dias para se dedicar as novidades.

O importante é já estar preparado para o que sabe que irá cair.

 

Como é a prova discursiva?

 

A prova discursiva, que representa em torno de 22% da nota final, tem um importante papel na sua classificação e será a responsável em você ficar no início ou final da lista de candidatos aprovados.

É destinado um período todo para sua resolução e, no último concurso, a discursiva foi composta por duas questões de 20 a 40 linhas, onde o valor de cada questão era 30 pontos, sendo 10 pontos referente ao português e o restante a resposta em si.

É importante mencionar que todos começam com os 10 pontos destinados ao português e, de acordo com cada erro apresentado, vai perdendo parte dessa pontuação.

No último concurso, não houve a cobrança de uma redação, apenas das questões. Todavia, acredita-se fortemente que será cobrado a redação no próximo concurso.

Quando cobrada, a redação da ESAF é guiada, isso é, com tópicos lhe guiando, o que permite sair bem mesmo não dominando por completo o tema.

Qual a diferença da prova para o cargo de auditor e analista?

 

Todo o conteúdo, com raras exceções em alguns anos, presentes no edital do analista estava também presente no editar do auditor, em alguns casos com maior dificuldade, inclusive.

Isso significa que se você estiver se preparando para o concurso de auditor, pode perfeitamente realizar o concurso de analista. Na situação contrária isso já não ocorre, uma vez que o edital de analista não cobre todas as matérias exigidas no concurso de auditor.

 

Existe curso de formação como parte do processo seletivo?

 

Até 2009, o curso de formação fazia parte do processo seletivo, sendo que, em 2012 e 2014, deixou de ser uma etapa do processo seletivo, ou seja, você começava o curso após ter tomado posse.

Porém, acredita-se que o curso de formação retornará como parte do processo seletivo. Mas não se preocupe com isso, afinal se conseguir passar na primeira etapa, nada mais irá te segurar.

 

Qual a previsão do próximo concurso?

 

No último concurso, 15 dias após a autorização, a banca ESAF foi escolhida e, no dia seguinte, foi liberado o edital. Em menos de 60 dias após o edital foram aplicadas as provas.

O processo foi muito rápido, sendo extremamente arriscado esperar a autorização do concurso para iniciar os estudos. Em menos de 3 meses é praticamente impossível manter uma rotina de estudo que permita, nesse concurso, um resultado satisfatório.

Sendo assim, se estiver interessado, comece imediatamente a estudar, pois apesar de não existir um tempo certo de preparação, podemos garantir que 3 meses é muito pouco, exceto se tiver uma imensa bagagem em concursos.

 

Como me preparar para esse concurso?

 

A preparação é a parte mais importante da jornada até a aprovação em um concurso público. É preciso ter em mente que são horas e mais horas de estudos, leituras, exercícios e revisão. Para obter bons resultados, só com muita disciplina e foco.

O primeiro passo, é obter todas as informações sobre o concurso (prazos, disciplinas pedidas, banca examinadora, etc) lendo com muita atenção o edital. Depois, é fundamental planejar seus estudos da forma que melhor funcione com você.

 

Para lhe ajudar nesse caminho, temos o post como montar um cronograma de estudos perfeito para sua rotina.

 

Quais as melhores técnicas para estudar?

 

Há diversas técnicas que podem potencializar seu aprendizado, como a pomodoro e a de ciclo de estudos. Você também pode estudar com flash cards ou mapas mentais. O ideal é experimentar cada uma delas e ver com qual se adapta melhor.

 

Para lhe ajudar na escolha, reunimos todas as informações no post com as 16 melhores técnicas e métodos de estudos para concursos públicos.

 

Como estudar por questões?

 

De todas as técnicas, a mais utilizada pelos concurseiros é, com certeza, a de estudo por questões. O método ajuda revisar a matéria e fixar o conteúdo. Com isso, também torna o estudo mais efetivo e acelera a aprovação!

Para saber mais, acesse o post completo que fizemos sobre o assunto.

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

 

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. É sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a sua área de atuação.

O  Estratégia Concursos, por exemplo, tem um curso direcionado para o concurso que você precisa. Além disso, o Estratégia tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, conta com um material de qualidade e professores renomados.

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. Da mesma forma, tem material completo, com videoaulas, e professores de primeira linha.

 

Aproveite também para seguir o Próximos Concursos nas redes sociais:  Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.  Por lá você vai encontrar tudo sobre o universo concurseiro, discussões de qualidade, troca de experiências e dicas imbatíveis.

 

E lembre-se: conte com a gente na caminhada até a aprovação!

 

Bons estudos!

 

[Total: 3    Média: 5/5]