fbpx

Auditor Fiscal da Receita Federal do BrasilVocê deve estar ciente de que o concurso para auditor fiscal da Receita Federal é um dos mais cobiçados e concorridos, certo?

 

O que talvez não saiba é que a concorrência é irrelevante e o maior desafio é a autossuperação e não a superação dos demais candidatos.

Como assim?

Nesse artigo você irá descobrir que mais de 50% dos candidatos que alcançam a nota mínima são convocados, ou seja, com uma boa preparação e desempenho na prova, a convocação é uma consequência quase certa.

Interessante, não é mesmo?

Em  breve deve haver novidades sobre o concurso da Receita Federal, uma vez que o órgão já protocolou um pedido de seleção com mais de 3 mil vagas no Ministério da Economia.

Então, é importante saber de antemão tudo sobre o concurso e as carreiras: funções, salários, benefícios, possibilidade de crescimento e como atuar na sua área de graduação dentro da Receita Federal, informações das possíveis bancas e como organizar os estudos dentro das matérias exigidas no edital.

Sem perder mais tempo, vamos começar!

 

Principais informações sobre o concurso de Auditor da Receita Federal

 

Quais as atribuições?

 

Saiba quais são as principais atividades desenvolvidas em cada uma das carreiras da Receita Federal:

 

Auditor Fiscal

  • Constitui o crédito tributário e de contribuições.
  • Elabora e profere decisões em processo administrativo-fiscal, em processos de consulta, restituição ou compensação de tributos e contribuições e de reconhecimento de benefícios fiscais.
  • Executa procedimentos de fiscalização, praticando os atos definidos na legislação específica, inclusive os de controle aduaneiro, apreensão de mercadorias, livros, documentos, materiais, equipamentos e assemelhados.
  • Examina a contabilidade de sociedades empresariais, empresários, órgãos, entidades, fundos e demais contribuintes, aplicando as restrições previstas na lei.

 

Como é o dia a dia de um Auditor da Receita Federal?

 

? question

A Receita Federal do Brasil apresenta um leque enorme de atribuições, dando oportunidades de áreas para todo e qualquer perfil.

Ou seja, após entrar, você pode ir buscando se direcionar para a sua área de graduação, como por exemplo, assessoria de impressa, julgamento de processos internos, gestão de pessoas, entre outras várias áreas, de acordo com seu perfil.

Existem, inclusive, trabalhos diferenciados, como piloto de helicóptero ou de lancha, ou ainda, a possibilidade de exercer seu cargo fora do país.

Sendo assim, o trabalho poderá variar de forma imensa entre um ou outro auditor, de acordo com a equipe em que se trabalha.

 

O Auditor trabalha armado?

 

Alguns auditores, principalmente que executam atividades de repreensão ao contrabando, têm porte de arma, mas não é algo que abrange todos os auditores fiscais.

 

O cargo de Auditor da Receita Federal é perigoso?

Existe um certo risco, visto que muitas vezes o auditor age de forma contrária ao interesse de pessoas e empresas poderosas, mas, apesar disso, é possível exercer o trabalho de forma segura.

Não somente a sociedade de modo geral, como o próprio sonegador, encara a Receita Federal como um órgão respeitado e integro, o que ameniza muitas situações, mesmo com perdas milionárias.

 

Quantas são as vagas?

 

Foi solicitada ao Ministério da Economia a autorização de um novo concurso para provimento de 3.314 vagas, sendo elas:

  • Auditor Fiscal – 700 vagas
  • Analista Tributário – 1.453 vagas
  • Analista Técnico Administrativo – 257 vagas
  • Assistente Técnico Administrativo – 907 vagas

De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), a realização de um concurso da Receita Federal é fundamental e urgente. Isso porque há uma grande defasagem no quadro de servidores, o que poderá afetar direta e consideravelmente os serviços oferecidos pelo órgão à população.

Há outra solicitação feita ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), que ainda está em avaliação, que refere-se à necessidade de preenchimento de nada menos que 5.000 vagas.

Um levantamento realizado em 2018 chegou a mostrar que a Receita Federal possui 21.237 postos de trabalho disponíveis. E, para deixar a situação ainda mais preocupante, cerca de 20% do pessoal na ativa já está em condições de se aposentar.

Nessa conta, a quantidade de vagas ultrapassaria 11.000 para o cargo de Auditor Fiscal e 10.000 para o cargo de Analista Tributário.

 

Confira os dados detalhados na tabela abaixo:

 

Função Ocupados   Vagos     Total  
Auditor Fiscal  9.249 11.197 20.446
Analista Tributário 6.638 10.040 16.678

 

 

Qual o nível de formação exigido?

 

Auditor Fiscal: Nível Superior em qualquer área de atuação.

 

Qual o salário?

Auditor Fiscal: R$ 20.123,53 com teto de R$ 27.177,87.

 

Quais os benefícios?

 

Entre os benefícios dos servidores da Receita Federal, pode-se destacar:

  • Bônus eficiência: R$ 7.500,00
  • Auxílio-alimentação: R$ 458,00
  • Auxílio-saúde: até R$ 124,00 (por pessoa)
  • Benefício pré-escolar: R$ 321,00

 

Como funciona o bônus de eficiência?

 

joia positivo vantagens

A criação do bônus de eficiência é uma novidade dentro da Receita Federal do Brasil.

O valor do bônus pago em dezembro de 2016 e janeiro de 2017 foi R$ 7.500,00 mensais. A partir de fevereiro, esse bônus será de R$ 3.000,00 mensais até maio de 2017.

O bônus de gratificação é calculado pela divisão das multas aplicadas e mercadorias apreendidas, sendo assim, apesar de não ser possível informar com certeza o valor do bônus a partir de junho, acredita-se que gire em torno de R$5.000,00.

No primeiro ano você não terá direito ao bônus, sendo que no segundo ano receberá 50% do valor da bonificação, no terceiro ano 75% e então, no quarto ano, 100% do valor, ou seja, a bonificação integral,

E, obviamente, não é somente isso, pois você ainda contará com os benefícios do cargo.

 

Existem remunerações gratificadas?

 

dinheiro money salario

Além da remuneração já mencionada, você pode assumir o cargo de chefe de seção, onde será acrescido em torno de R$ 500,00 ao seu pagamento e a chefia de divisões, onde esse acréscimo pode chegar até R$ 1.700,00.

Essas não são as únicas remunerações gratificadas possíveis, porém são as mais comuns e fácies de se conquistar.

Acho que você já percebeu o porquê de o cargo ser tão cobiçado, não é mesmo?

Mas não se preocupe, que você perceberá que conquistar uma vaga é possível e depende exclusivamente de você!

 

Qual a lotação?

 

Os candidatos aprovados no concurso da Receita Federal são lotados nas Unidades Centrais da Secretaria do órgão, em Brasília (DF), ou nas unidades descentralizadas.

Após conhecerem a distribuição das vagas, os candidatos podem manifestar, em prazo fixado pela banca organizadora,  as opções de preenchimento (que observará, rigorosamente, a ordem de classificação na primeira etapa do edital).

Sempre que houver um novo concurso ou convocação de excedentes, ocorre um concurso de remoção interno, com base em dois critérios para privilégio de escolha:

  • Tempo de serviço na Receita Federal;
  • A cidade em que você está lotado, sendo que servidores lotados em cidades remotas e de fronteira tem maior preferência do que quem está lotado em um grande centro urbano.

A Receita Federal do Brasil está presente em todos os estados, distribuídas em vários municípios, portanto possibilita uma grande mobilidade e flexibilidade por parte do servidor, mesmo que, eventualmente, possa demorar alguns anos.

Um atalho para ser lotado no lugar desejado é o caminho da corregedoria, uma vez que, após trabalhar três anos nesse setor, você pode escolher para onde quer ir, sem qualquer concurso ou disponibilidade de vaga no local.

Sendo assim, desperta muito interesse, mas não é qualquer um que consegue ir para corregedoria, principalmente no início. Se houver interesse poderá, após algum tempo, passar por um processo seletivo destinado a corregedoria.

 

Qual a jornada de trabalho?

 

time 2 jornada tempo

A jornada de trabalho dos servidores da Receita Federal é de 40 horas semanais 98 horas diárias).

 

 

Como é possível realizar o trabalho de auditor fiscal em casa?

 

A Receita Federal já tem alguns projetos pilotos de teletrabalho, mas, após uma portaria recentemente assinada pelo Ministério da Fazenda, foi autorizado a aplicação do trabalho remoto de forma mais ampla.

Por conta disso, acredita-se que nos próximos meses essa será uma realidade cada vez mais comum entre os auditores, afinal muitos trabalhos podem ser realizados de maneira eficiente apenas com o uso de um computador com acesso à internet.

 

 

Quais as chances de crescimento na carreira?

 

Os servidores da Receita Federal podem evoluir na carreira em classes e padrões.

São três classes: segunda, primeira e especial.

E três padrões: I, II e III.

A movimentação ocorre por meio de progressão funcional ou promoção.

A progressão funcional é a movimentação do servidor de um padrão para o seguinte dentro de uma mesma classe, em período pré-determinado e a partir de critérios fixados em regulamento, além do resultado de avaliação formal de desempenho.

A promoção é a movimentação do servidor do último padrão de uma classe para o primeiro padrão da classe seguinte, em período pré-determinado e a partir da avaliação de desempenho e a participação em cursos ou programas de capacitação.

 

Como foi a concorrência do último concurso?

 

No concurso de 2014, foram oferecidas 278 vagas para o cargo de Auditor Fiscal e houve um total de 68.540 inscritos. No entanto, apenas 31.943 pessoas realizaram a prova.

Ou seja, um índice de abstenção de quase 50%!

Com isso, a relação de candidatos por vaga caiu para 115.

 

Existe um cadastro de reserva?

 

Como mencionado, o último concurso para auditor fiscal da Receita Federal foi realizado em 2014 com uma oferta de 278 vagas iniciais, sendo convocados, após um período, 100% da quantidade inicial de vagas, ou seja, 556 candidatos.

A Receita Federal é conhecida por sempre chamar uma quantidade significativa de excedentes sendo que, em 2012, foram disponibilizadas 200 vagas, mas somente 252 candidatos atingiram a pontuação mínima e optou-se por chamar todos de uma única vez.

Então esqueça a preocupação com a quantidade de vagas e use seu foco na preparação para o concurso.

 

Qual foi a nota de corte do último concurso?

 

O aproveitamento mínimo exigido era de 60%, sendo que o primeiro lugar teve um aproveitamento de 87%, a nota de corte das vagas iniciais foi de 74% e a nota do corte de excedentes de 71%.

 

Como são as provas?

No último concurso da Receita Federal, para ambas as carreiras, foram aplicadas duas provas objetivas escritas, de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos, e uma prova discursiva.

As provas escritas foram constituídas de questões de múltipla escolha (cinco alternativas e apenas uma resposta correta).

Veja quais foram as disciplinas e os pesos das provas objetivas:

 

Auditor Fiscal

 

A prova discursiva, que representa em torno de 22% da nota final, tem um importante papel na classificação.

No último concurso, a discursiva foi composta por duas questões de 20 a 40 linhas — uma sobre o conteúdo de Direito Tributário e outra referente ao conteúdo de Comércio Internacional e Legislação Aduaneira —, valendo 30 pontos cada uma (10 pontos referente ao português e o restante da resposta).

Nesse sentido, é importante mencionar que todos começam com os 10 pontos destinados ao português e, de acordo com cada erro apresentado, vai perdendo parte dessa pontuação.

No último concurso, não houve a cobrança de uma redação, apenas das questões. Todavia, acredita-se que será cobrada a redação em um próximo concurso.

 

Qual a diferença da prova para o cargo de auditor e analista?

 

Todo o conteúdo, com raras exceções em alguns anos, presentes no edital do analista estava também presente no editar do auditor, em alguns casos com maior dificuldade, inclusive.

Isso significa que se você estiver se preparando para o concurso de auditor, pode perfeitamente realizar o concurso de analista. Na situação contrária isso já não ocorre, uma vez que o edital de analista não cobre todas as matérias exigidas no concurso de auditor.

 

Provas anteriores Receita Federal

 Provas anteriores Receita Federal

 Provas anteriores Auditor Receita Federal

 Editais anteriores Receita Federal

 

 

Qual o conteúdo programático?

 

Confira o conteúdo programática para a carreiras de Auditor Fiscal no concurso da Receita Federal:

 

Auditor-Fiscal

Prova 1 - Conhecimentos Gerais

LÍNGUA PORTUGUESA

  1. Compreensão Textual. 2. Ortografia. 3. Semântica. 4. Morfologia. 5. Sintaxe. 6. Pontuação.

ESPANHOL ou INGLÊS

Interpretação de Textos.

RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO

  1. Estruturas Lógicas. 2. Lógica de Argumentação. 3. Diagramas Lógicos. 4. Trigonometria. 5. Matrizes e Determinantes 6. Álgebra elementar. 7. Probabilidade e Estatística Descritiva. 8. Geometria Básica. 9. Juros Simples e Compostos, Taxas de Juros e Desconto. 10. Compreensão e elaboração da lógica das situações por meio de: raciocínio matemático (que envolvam, entre outros, conjuntos numéricos racionais e reais – operações, propriedades, problemas envolvendo as quatro operações nas formas fracionária e decimal; conjuntos numéricos complexos; números e grandezas proporcionais; razão e proporção; divisão proporcional; regra de três simples e composta; porcentagem); raciocínio sequencial; orientação espacial e temporal; formação de conceitos; discriminação de elementos.

DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO

Direito Constitucional

  1. Princípios fundamentais da Constituição de 1988. 2. Direitos e deveres individuais e coletivos. 3. Direitos sociais. 4. Nacionalidade brasileira. 5. A organização nacional. União. Estados. Distrito Federal. Municípios. Competências. 6. Administração Pública: princípios constitucionais. Administrativo: 1.

Direito Administrativo e Administração Pública

conceitos, fontes e princípios administrativos. Constituição Federal de 1988. 2. Organização Administrativa do Estado Brasileiro: princípios, espécies, formas e características. Órgãos públicos. Administração pública direta e indireta. Regime jurídico administrativo. Regimes de parcerias. 3. Poderes e deveres dos administradores públicos. Uso e abuso de poder. Poderes vinculado, discricionário, hierárquico, disciplinar, regulamentar e poder de polícia.

  1. Teoria dos Atos Administrativos: conceitos, classificação, espécies, elementos, requisitos e atributos do ato administrativo. Teoria dos motivos determinantes. Vinculação e discricionariedade. Revogação, convalidação e invalidação. O ato administrativo e os direitos dos administrados.
  2. Serviços Públicos:

conceito e natureza, modalidades e formas de prestação, o perfil moderno do serviço público. Concessão, permissão e autorização. Parcerias Público Privadas – PPP. 6. Regime jurídico da Licitação e dos Contratos Administrativos. Obrigatoriedade, dispensa, inexigibilidade e vedação da licitação. Procedimentos, anulação e revogação. Modalidades de licitação. Regime dos contratos administrativos. Lei nº 8.666, de 21/6/1993, Lei nº 10.520, de 17/7/2002, e alterações.

  1. Agentes Públicos. Servidores Públicos: classificação e características. Regimes jurídicos funcionais. Constituição Federal de 1988, Lei nº 8.112, de 11/12/1990, e alterações. Contratação temporária. Execução indireta de atividades – terceirização: Decreto nº 2.271, de 7/7/1997. 8. Responsabilidade Civil do Estado. 9. Controle da Administração Pública. 10. Processo Administrativo Federal: Lei nº 9.784, de 29/1/1999.
  2. Improbidade Administrativa: Lei nº 8.429, de 2/6/1992. 12. Acesso à Informação Pública: Lei nº 12.527, de 18/11/2011. 13. Transferências de recursos da União mediante convênios e contratos de repasse (transferências voluntárias): Decreto nº 6.170, de 25/7/1997, e alterações. 14. Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal: Decreto nº 1.171, de 22/6/1994. 15. Sistema de Gestão da Ética do Poder Executivo Federal: Decreto nº 6.029, de 1/2/2007. 16. Conflito de Interesses no Serviço Público: Resolução nº 8, de 25/9/2003, da Comissão de Ética Pública da Presidência da República.

ADMINISTRAÇÃO GERAL

  1. Planejamento: planejamento estratégico; planejamento baseado em cenários. 2. Processo decisório: técnicas de análise e solução de problemas; fatores que afetam a decisão; tipos de decisões. 3. Gestão de pessoas: estilos de liderança; gestão por competências; trabalho em equipe; motivação; empoderamento. 4. Gestão: Gerenciamento de projetos; Gerenciamento de processos, Gestão da Mudança; Gestão da informação e do conhecimento. 5. Controle administrativo: indicadores de desempenho; conceitos de eficiência, eficácia e efetividade 6. Comunicação organizacional: habilidades e elementos da comunicação.

Prova 2 - Conhecimentos Específicos

DIREITO TRIBUTÁRIO:

  1. Tributo: conceito e classificação. 2. Limitações constitucionais do poder de tributar. 3. Impostos de competência da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. 4. Legislação Tributária: disposições gerais, vigência, aplicação, interpretação e integração. 5. Obrigação tributária principal e acessória. 6. Fato gerador da obrigação tributária. 7. Sujeição ativa e passiva. 8. Capacidade tributária. 9. 13 Domicílio tributário.
  2. Crédito tributário: conceito e constituição. 11. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento. 12. Hipóteses de alteração do lançamento. 13. Suspensão da exigibilidade do crédito tributário. 14. Extinção do crédito tributário e suas modalidades. 15. Exclusão do crédito tributário e suas modalidades. 16. Administração tributaria: fiscalização; dívida ativa; certidão negativa. 17. Regime Geral de Previdência Social.

17.1. Segurados obrigatórios. 17.2. Conceito, características e abrangência: empregado, empregado doméstico, contribuinte individual, trabalhador avulso, segurado especial. 17.3. Segurado facultativo: conceito, características. 18. Empresa e empregador doméstico: conceito previdenciário. 19. Financiamento da seguridade social. 19.1. Receitas da União. 19.2. Receitas das contribuições sociais: dos segurados, das empresas, do empregador doméstico, do produtor rural, do clube de futebol profissional, sobre a receita de concursos de prognósticos, receitas de outras fontes. 19.3. Salário-de-contribuição. 19.3.1. Conceito. 19.3.2. Parcelas integrantes e parcelas não-integrantes.

19.4. Arrecadação e recolhimento das contribuições destinadas à seguridade social. 19.4.1. Obrigações da empresa e demais contribuintes. 19.4.2. Prazo de recolhimento. 19.4.3. Recolhimento fora do prazo: juros, multa e atualização monetária. 19.4.4. Obrigações acessórias. Retenção e Responsabilidade solidária: conceitos, natureza jurídica e características.

CONTABILIDADE GERAL

  1. Princípios Contábeis Fundamentais. 2. Patrimônio: Componentes Patrimoniais: Ativo, Passivo e Situação Líquida (ou Patrimônio Líquido). 3. Diferenciação entre Capital e Patrimônio. 4. Equação Fundamental do Patrimônio. 5. Representação Gráfica dos Estados Patrimoniais. 6. Fatos Contábeis e Respectivas Variações Patrimoniais. 7. Contas: Conceito, Débito, Crédito e Saldo – Teorias, Função e Estrutura das Contas – Contas Patrimoniais e de Resultado.
  2. Apuração de Resultados. 9. Sistemas de Contas. Plano de Contas. 10. Provisões em Geral. 11. Escrituração: Conceito e Métodos – Lançamento Contábil: Rotina e Fórmulas. Processo de Escrituração. Escrituração de Operações Financeiras. 12. Livros de Escrituração: Obrigatoriedade, Funções e Formas de Escrituração. Erros de Escrituração e suas correções. 13. Sistema de Partidas Dobradas. 14. Balancete de Verificação.
  3. Balanço Patrimonial: Obrigatoriedade e apresentação. Conteúdo dos Grupos e Subgrupos. 16. Classificação das Contas, Critérios de Avaliação do Ativo e Passivo e Levantamento do Balanço de acordo com a Lei nº 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações). 17. Demonstração do Resultado do Exercício: Estrutura, Características e Elaboração de acordo com a Lei nº 6.404/76. 18. Apuração da Receita Líquida, do Custo das Mercadorias ou dos Serviços Vendidos e dos Lucros: Bruto, Operacional e NãoOperacional do Exercício, do Resultado do Exercício antes e depois da Provisão para o Imposto sobre a Renda e para a Contribuição Social sobre o Lucro. 19. PIS/PASEP e COFINS – Regime cumulativo e não-cumulativo.

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA (para área Geral)

Legislação Tributária: 1. Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza. 1.1. Princípios Constitucionais aplicáveis. 1.2. Critérios orientadores. 1.3. Renda e Proventos. Conceito. 1.4. Disponibilidade Econômica ou jurídica. 1.5. Acréscimo patrimonial. 1.6. Tributação das pessoas físicas. 1.7. Fato gerador. 1.8. Contribuintes e Responsáveis. 1.9. Domicílio Fiscal. 1.10. Base de cálculo. 1.11. Alíquotas. 1.12. Lançamento. 1.13. Sistema de bases correntes. 1.14. Período de apuração.

  1. Tributação das pessoas jurídicas. 2.1. Gerador. 2.2. Contribuintes e Responsáveis. 2.3. Domicílio Fiscal. 2.4. Base de cálculo. 2.5. Receitas e Rendimentos. Conceito. 2.6. Omissão de receita. 2.7. Lucro real. 2.8. Lucro presumido. 2.9. Lucro arbitrado. 2.10. Isenções e reduções. 2.11. Imunidades. 2.12. Tributação na fonte. 2.13. Período de apuração. 2.14. Regime de caixa e regime de competência. 2.15. Alíquotas e adicional. 2.16. Lançamento.
  2. Imposto sobre Produtos Industrializados. 3.1. Princípios constitucionais aplicáveis. 3.2. Seletividade. 3.3. Não-cumulatividade. 3.4. Imunidades. 3.5. Bens de capital. 3.6. Fato gerador. 3.7. Industrialização. Conceito. 3.8. Características e modalidades de industrialização. 3.9. Contribuintes e Responsáveis. 3.10. Estabelecimentos Industriais e equiparados. 3.11. Domicílio. 3.12. Base de cálculo. 3.13. Créditos. 3.14. Não Tributados. 3.15. Suspensão. 3.16. Isenção. 3.17. Redução e majoração do imposto. 3.18. Período de apuração. 3.19. Apuração do imposto. 3.20. IPI na importação. 3.21. Lançamento. 3.22. Recolhimento. 3.23. Rotulagem e marcação de produtos. 3.24. Selos de controle. 3.25. Registro Especial. 3.26. Cigarros. 3.27. Bebidas.

Legislação Aduaneira

  1. Jurisdição Aduaneira. 1.1. Território Aduaneiro. 1.2. Portos, Aeroportos e Pontos de Fronteira Alfandegados. 1.2.1. Alfandegamento. 1.3. Recintos Alfandegados. 1.4. Administração Aduaneira. 2. Controle Aduaneiro de Veículos. 3. Tributos Incidentes sobre o Comércio Exterior. 3.1. Regramento Constitucional e Legislação Específica. 3.2. Produtos, Bens e Mercadorias. 3.3. Produtos Estrangeiros, Produtos Nacionais, Nacionalizados e Desnacionalizados.
  2. Imposto de Importação.

4.1. Sujeitos Ativo e Passivo. 4.2. Incidência. 4.3. Fato Gerador. 4.4. Base de Cálculo. 4.5. Alíquotas. 4.6. Regime de Tributação Simplificada. 4.7. Regime de Tributação Especial. 4.8. Regime de Tributação Unificada. 4.9. Pagamento do Imposto. 4.10. Imunidades do Imposto de Importação e Controle exercido pela Secretaria da Receita Federal do Brasil. 5. Imposto de Exportação. 5.1. Sujeitos Ativo e Passivo. 5.2. Incidência. 5.3. Fato Gerador. 5.4. Base de Cálculo. 5.5. Alíquotas. 5.6. Pagamento. 6. Imposto Sobre Produtos Industrializados vinculado à Importação. 6.1. Sujeitos Ativo e Passivo. 6.2. Incidência e Fato Gerador. 6.3. Base de Cálculo. 6.4. Imunidades.

  1. Contribuição para o PIS/PASEP Importação e COFINS Importação. 7.1. Sujeitos Ativo e Passivo. 7.2. Incidência e Fato Gerador. 7.3. 14 Base de Cálculo. 7.4. Alíquotas. 8. Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação vinculado à Importação. 8.1. Sujeitos Ativo e Passivo. 8.2. Fato Gerador. 8.3 Alíquotas. 8.4. Isenções e Imunidades. 8.5. Pagamento do Imposto e Controle pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.
  2. Procedimentos Gerais de Importação e de Exportação.

9.1. Atividades Relacionadas aos Serviços Aduaneiros. 9.2. Despacho Aduaneiro de Importação e Despacho Aduaneiro de Exportação. 9.2.1. Disposições Gerais. 9.2.2. Modalidades. 9.2.3. Documentos que os Instruem. 9.2.4. Casos Especiais de Importação e de Exportação Previstos na Legislação. 9.3. Espécies de Declaração de Importação e de Declaração de Exportação. 9.4. Declaração de Importação. 9.5. Conferência e Desembaraço na Importação e na Exportação. 9.6. Cancelamento da Declaração de Importação e da Declaração de Exportação. 9.7. SISCOMEX. 10. Regimes Aduaneiros Especiais e Regimes Aduaneiros aplicados em Áreas Especiais. 10.1. Disposições Gerais e Específicas de cada Regime e de cada Área.

  1. Bagagem e Regime Aduaneiro de Bagagem no MERCOSUL. 12. Mercadoria Abandonada. 13. Mercadoria Avariada e Extraviada. 13.1. Definição. 13.2. Vistoria Aduaneira. 14. Termo de Responsabilidade. 15. Infrações e Penalidades previstas na Legislação Aduaneira. 16. Pena de Perdimento. 16.1. Natureza Jurídica. 16.2. Hipóteses de Aplicação. 16.3. Limites. 16.4. Processo/Procedimento de Perdimento. 16.5. Processo de Aplicação de Penalidades pelo Transporte Rodoviário de Mercadoria Sujeita a Pena de Perdimento.
  2. Aplicação de Multas na Importação e na Exportação. 18. Intervenientes nas Operações de Comércio Exterior. 19. Sanções Administrativas a que estão sujeitos os Intervenientes nas Operações de Comércio Exterior e o Processo de sua Aplicação. 20. Procedimentos Especiais de Controle Aduaneiro. 21. Destinação de Mercadorias. 22. Subfaturamento e Retenção de Mercadorias. 23. Legislação Aduaneira aplicável ao MERCOSUL. 24. Disposições Constitucionais Relativas à Administração e Controle sobre Comércio Exterior. 25. SISCOSERV (Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011).

INFORMÁTICA (para área de Informática):

  1. Gerência de Projetos. Fundamentos: Conceitos de Gerência de Projetos, PMBOK (Project Management Body of Knowledge) 4ª edição: Áreas de Conhecimento de Gerência de Projetos, Processos de Gerência de Projetos. OPM3 (Organizational Project Management Maturity Model): Conceituação. Escritório de Projeto. Conceitos de Gestão de Programas e de Gestão de Portfólio de Projetos.
  2. Análise e Arquitetura de Sistemas.

Análise e Projeto Orientado a Objetos com UML (Unified Modeling Language). Modelagem orientada a objeto: objetos, atributos, relacionamento entre objetos, diagrama objetorelacionamento, diagrama de estrutura da informação, especificação de objetos, especificação de relacionamentos. Análise e Projeto Estruturado. Modelagem orientada a processos: diagrama de fluxo de dados, definição de depósitos de dados, definição lógica de processos, dicionário de dados.

Processo Ágil

conceito, metodologia Scrum. RUP (Rational Unified Process): modelagem de negócio; levantamento e gerenciamento de requisitos; análise e projeto de software; implementação, teste e homologação; implantação; gestão de configuração. Engenharia de Software: processos de software; métricas de software; APF – análise de ponto de função; qualidade de software; modelos CMMI (Capability Maturity Model Integration) e MPS-BR (Melhoria de Processos do Software Brasileiro). SOA e Web services: conceitos básicos, aplicações, UDDI (Universal Description Discovery and Integration), WSDL (Web Services Description Language), SOAP (Simple Object Access Protocol).

  1. Banco de Dados e Gestão da Informação

. Fundamentos: finalidades, níveis de abstração, modelagem de dados, modelagem funcional. Administração de dados: fundamentos, sistemas de gerenciamento de banco de dados, utilização das linguagens de definição e de manipulação de dados e normalização. Administração de banco de dados: fundamentos, organização de arquivos, técnicas de armazenamento, métodos de acesso, tipos de bancos de dados, projeto de bancos de dados, conceitos de administração e tunning de banco de dados.

Conceitos de soluções de suporte à decisão

DW (Datawarehouse), OLAP (On-line Analytical Processing), Mineração de dados, BI (Business Inteligence). Conceitos de GED, Workflow e Gestão do Conhecimento. 4. Programação. Fundamentos: Lógica de programação; estrutura de dados e arquivos; paradigmas de programação; programação estruturada; programação baseada em objetos e padrões de projeto (Design Patterns). Conceitos de Linguagens e ambientes de programação: Java e PHP. Conceitos de Objetos distribuídos. Conceitos de Arquitetura de software: MVC (Model-view-controller), abstração entre camada de apresentação, negócio e de persistência.

  1. Legislação sobre contratação de TI. Legislação básica: Lei no 8666/1993, Decreto no 2271/1997, Decreto no 7174/2010. Conceitos do processo de contratação definidos por IN MPOG/SLTI 02/2008 e IN MPOG/SLTI 04/2010: acordo de nível de serviços, agentes intervenientes do processo, Documento de oficialização da demanda, análise de viabilidade, estratégia da contratação, plano de sustentação, análise de riscos.
  2. Governança de TI

Alinhamento estratégico entre TI e negócios. BSC (Balanced scorecard). COBIT (Control Objectives for Information and related Technology): conceitos básicos, estrutura e objetivos, requisitos de informação, recursos de tecnologia da informação, domínios, processos, objetivos de controle. ITIL v3 (Information Technology Infrastructure Library): conceitos básicos; estrutura e objetivos; implementação de gerenciamento de serviços de TI.

  1. Modelagem de processos.

Conceitos básicos. Identificação e delimitação de processos de negócio. Construção e mensuração de indicadores de processos. 8. Redes de computadores e infraestrutura de TI. Tipos e topologias de redes: redes geograficamente distribuídas, redes locais,

15 topologias ponto a ponto e multiponto, topologias Ethernet. Componentes: switches, hubs, roteadores, bridges, repetidores, conectores, modems, meios de transmissão, ligações ao meio, cabeamento. Arquitetura TCP/IP: Fundamentos, sistema de protocolos, camadas, utilitários, tradução de nomes, TCP/IP em ambiente de rede. Gerenciamento de rede: conceitos, fundamentos, protocolos, ferramentas. Arquiteturas e padrões: arquitetura cliente/servidor, arquiteturas SNA e TCP/IP, modelo OSI, padrão e tecnologias Ethernet. Plataforma de hardware: RISC, CISC. Processadores: 32 e 64 bits.

Virtualização

Conceitos, aplicações. Ambiente nuvem: Conceitos, sistemas utilizados, nuvens privadas/corporativas. Fundamentos de Windows e Linux. Internet e Intranet: finalidades, características físicas e lógicas, aplicações, serviços. Tecnologias Recentes de Hardware e de Administração de Rede. 9. Segurança da Informação. Política de segurança. Ameaças e ataques. Mecanismos de segurança: firewall, detectores de intrusão, serviços de autenticação, criptografia, assinatura digital, certificação digital, protocolos SSL,TLS e IPsec, arquitetura de segurança lógica e física, arquitetura de segurança OSI. Conceitos da ISO BS 17799.

 

Qual a banca?

 

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades. Estando por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

No último concurso, de 2014, a banca organizadora foi a  ESAF (Escola de Administração Fazendária). Contudo, ainda não se sabe qual será a banca do próximo.

Aproveite para conferir as análises completas que fizemos das mais importantes instituições do país. Clique no nome de cada uma e saiba mais:

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

 

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. Afinal, é sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a área ou cargo pretendido.

Desse modo, veja algumas opções realmente boas:

 

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. De fato, tem material completo com videoaulas, além de professores de primeira linha. Assim, se você quer um curso com bom histórico de aprovação, e a possibilidade de estudar para mais de um concurso, o Gran Cursos certamente é uma ótima opção.

 

Curso Gran Cursos – Receita Federal

 

Estratégia ConcursosO Estratégia Concursos tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, pois conta com um material de qualidade e professores renomados. Ou seja, se você quer ter a certeza que está estudando pelo melhor material e, além disso, não se importa em pagar pela qualidade, o Estratégia Concursos é, com efeito, sua melhor opção.

 

 Curso Estratégia – Receita Federal

 

Concurso ExponencialO Exponencial é mais uma excelente alternativa. Igualmente aos demais cursos, é voltado para o aprendizado acelerado, mas oferece ainda o interessante serviço de coaching 100% especializado.

 

Curso Exponencial – Concurso Receita Federal

 

Para saber mais sobre o concurso de Auditor Fiscal da Receita Federal e saber as novidades sobre o futuro edital, acompanhe também nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Bons estudos e boa sorte!

Planilha de Estudos

Planilha de Estudos

Com essa planilha você vai poder calcular automaticamente seu tempo ideal de estudos.

Ela foi criada com base no Método PQF para calcular o quanto você tem que estudar, levando em conta o peso de cada matéria, quantidade de horas necessárias e facilidade que você tem sobre cada uma.

Abra seu e-mail e baixe agora mesmo sua planilha (não esqueça de procurar no SPAM).