fbpx

Concurso TJ MGO concurso do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (Concurso TJ MG) deve lançar em breve seu edital com as carreiras unificadas das 1ª e 2ª instâncias.

 

 

A banca já foi escolhida — será a AOCP. E a oferta de vagas será para as carreiras de Técnico Judiciário (Assistente Social e Psicólogo) e Oficial Judiciário (Oficial de Justiça Avaliador) que exigem Nível Médio e Superior, respectivamente.

 

Ficou interessado? É hora, então, de dar um gás nos estudos!

 

Se precisa de ajuda para escolher um bom curso preparatório, clique aqui e acesse nosso ranking, com a análise completa das melhores opções.

 

Importante lembrar que o cargo de Nível Médio tem ganho inicial de R$ 2.683,58, enquanto os de Nível Superior, de R$ 4.202,59.

 

Quer saber mais sobre o concurso TJ MG?

 

Acompanhe o post!

 

 

 

 

 

 

 

Principais informações sobre o concurso TJ MG

 

 

 

 

 

Quais as carreiras e atribuições?

 

 

No próximo concurso TJ MG serão oferecidas vagas para as carreiras de Técnico Judiciário (Assistente Social e Psicólogo) e Oficial Judiciário (Oficial de Justiça Avaliador).

 

Saiba quais as principais atividades de cada carreira:

 

Oficial Judiciário (Oficial de Justiça Avaliador)

 

 

 

 

  • Realizar citações, intimações, notificações e demais diligências próprias do seu ofício, ordenadas em processos judiciais e lavrar termos e certidões respectivas;
  • Promover as avaliações judiciais nos casos indicados em lei;
  • Fazer hasta pública, onde não houver leiloeiro público ou designado para esse fim;
  • Dar suporte às audiências ou sessões do Tribunal do Júri, quando necessário e coadjuvar o juiz na manutenção da ordem;
  • Substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • Participar de comissões e grupos de trabalho;
  • Executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico, em suas variadas formas.

 

 

 

 

Técnico Judiciário ( Assistente Social)

 

 

 

 

  • Elaborar estudos sociais, laudos, pareceres, relatórios e outros documentos técnicos compatíveis com sua área de atuação, relacionados a processos judiciais;
  • Realizar intervenções técnicas em audiências de conciliação e mediação, e em situações processuais, quando determinado por autoridade judicial;
  • Substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • Participar de comissões e grupos de trabalho;
  • Realizar viagens a comarcas do interior do Estado para executar atividades relativas à sua área de atuação;
  • Executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico em suas variadas formas.

 

 

Técnico Judiciário (Psicólogo)

 

 

 

 

  • Elaborar laudos, pareceres, relatórios e outros documentos técnicos, compatíveis com sua área de atuação, relacionados a processos judiciais;
  • Realizar intervenções técnicas em audiências de conciliação e mediação, e em outras situações processuais, quando determinado por autoridade judicial;
  • Substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • Participar de comissões e grupos de trabalho;
  • Realizar viagens a comarcas do interior do Estado para executar atividades relativas à sua área de atuação;
  • Executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico em suas variadas formas.

 

 

 

 

 

 

 

Quantas são as vagas?

 

 

Ainda não se sabe quantas vagas serão oferecidas no próximo concurso TJ MG.

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual o nível de formação exigido?

 

 

Para concorrer ao cargo de Oficial Judiciário é necessário ter formação de Nível Médio.

 

Já para concorrer a Técnico Judiciário é preciso ter formação de Nível Superior em Serviço Social ou Psicologia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual o salário?

 

 

 salario money dinheiroConfira o salário inicial para cada uma das carreiras:

 

Oficial Judiciário: R$ 2.683,58;

 

 

 

Técnico Judiciário: R$ 4.202,59.

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual a lotação?

 

 

Os aprovados no concurso TJ MG serão lotados no Foro Judicial ou Juizado Especial das Comarcas do estado de Minas Gerais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual a jornada de trabalho?

 

 

A jornada de trabalho dos servidores do TJ MG é de 40 horas semanais (8 horas diárias).

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais as chances de crescimento na carreira?

 

 

 crescOs servidores do TJ MG podem subir na carreira em classes e padrões. E essa movimentação se dá de três diferentes maneiras:

 

Progressão: obtenção de um padrão de vencimento pelo servidor, a cada intervalo de um ano de efetivo exercício e conforme uma série de pré-requisitos específicos de cada área/cargo.

 

Promoção horizontal: obtenção de dois padrões de vencimento pelo servidor ocupante das classes E, D, C e B, a cada intervalo de dois anos de efetivo exercício, na classe inicial, e de três anos nas classes subsequentes na carreira, além de uma série de pré-requisitos específicos de cada área/cargo.

 

Promoção vertical: passagem do servidor ao padrão inicial da classe subsequente na carreira, conforme uma série de pré-requisitos específicos de cada área/cargo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Como foi a concorrência do último concurso?

 

 

 concorrenciaNo último concurso TJ MG, realizado em 2017, foram oferecidas 15 vagas para a carreira de Oficial de Apoio Judicial (10)) e Oficial Judiciário Comissário da Infância e  da Juventude (5).

 

No total, houve cerca de 103 mil inscritos, ou seja, uma média geral de quase 7 mil candidatos por vaga.

 

Ou seja, uma disputa bastante acirrada.

 

No entanto, aqui é importante lembrar que mais importante do que conhecer os números da concorrência em qualquer concurso público, é estar bem preparado. Esse é o único diferencial possível!

 

 

 

Isso porque apenas entre 8% e 10% dos inscritos estão realmente aptos a disputar uma vaga, tendo se preparado com dedicação e focados no edital. É preciso levar em conta, ainda, os altos índices de abstenção, que podem chegar facilmente a 30% do total de inscritos.

 

 

 

Sendo assim, a concorrência real sempre será muito menor do que os números divulgados.

 

 

 

 

Como são as provas?

 

 

A prova escrita objetiva contará com 60 questões de múltipla escolha (quatro  alternativas e apenas uma correta) nas seguintes disciplinas?

 

 

 

 

 

Técnico Judiciário (Assistente Social Judiciário) e Técnico Judiciário (Psicólogo Judicial)

 

 

 

 

  • Língua Portuguesa – 15 questões
  • Noções de Informática – 5 questões
  • Noções de Direito – 15 questões
  • Conhecimentos Específicos – 25 questões

 

 

Oficial Judiciário (Oficial de Justiça Avaliador)

 

 

 

 

  • Língua Portuguesa – 20 questões
  • Noções de Informática – 5 questões
  • Noções de Direito – 15 questões
  • Conhecimentos Específicos – 20 questões

 

 

 

 

Os candidatos devem passar, também, por uma prova discursiva, que será no formato de redação ou questões sobre tema constante do conteúdo específico de cada vaga.

 

As provas devem ser aplicadas nas cidades de Belo Horizonte, Diamantina, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia e Varginha.

 

 

 Provas anteriores Concurso TJ MG

 

 

 

Editais anteriores Concurso TJ MG

 

 

 

 

 

 

 

Qual o conteúdo programático?

 

 

Saiba quais tópicos devem ser solicitados em cada uma das disciplinas para cada uma das carreiras:

 

 

 

 

 

 

Conhecimentos Gerais

 

 

 

 

Língua Portuguesa

1. Ortografia: emprego das letras; divisão silábica; acentuação gráfica; abreviaturas e siglas; sinônimos, antônimos, homônimos e parônimos; notações léxicas; 2. Pontuação; 3. Substantivo: classificação, formação, flexão e emprego; 4. Adjetivo: classificação, formação, flexão e emprego; locução adjetiva; adjetivos que indicam nacionalidade (gentílicos); 5. Pronome: classificação, formação, flexão e emprego; colocação dos pronomes oblíquos; 6. Verbo: conjugação dos verbos regulares, irregulares e defectivos; verbos abundantes; classificação, formação, flexão (modos, formas nominais, tempos, número, pessoa e voz); locução verbal; 7. Advérbio: classificação e emprego;

 

 

 

 

8. Análise sintática: termos da oração; estrutura do período (coordenação e subordinação); orações; 9. Sintaxe: concordância verbal e nominal; regência verbal e nominal; 10. Ocorrência de crase; 11. Interpretação de texto: informações literais e inferências possíveis; 12. Ponto de vista do autor; 13. Significação contextual de palavra e expressões; 14. Estruturação do texto: relações entre ideias e recursos e coesão.

Noções de Informática

1. Equipamentos de microinformática: computador, monitor de vídeo, teclado, mouse, impressora, escâner (digitalização) e multifuncional; portas USB e dispositivos removíveis; identificação e utilização das teclas de digitação, Escape, combinação, função, navegação; 2. Sistema operacional Microsoft Windows 7 e Windows 10: operações de iniciar, reiniciar, desligar, login, logoff, bloquear e desbloquear; área de trabalho, ícones e atalhos; barra de tarefas; menu iniciar; execução de programas; Gerenciador de Tarefas do Windows; janelas; menus, faixa de opções (Ribbon UI) e barra de comandos e ferramentas; barra de estado; menus de contexto e atalhos de teclado; resolução de tela e configuração de múltiplos monitores de vídeo; unidades locais e mapeamentos de rede; central de rede e compartilhamento; dispositivos e impressoras; 3. Arquivos e pastas (diretórios): nomes, extensões e tipos de arquivos; utilização do Windows Explorer; operações de abrir, criar, renomear, mover, copiar e excluir arquivos e pastas; compactar e descompactar arquivos (ZIP); cópias de segurança (backup); 4. Editor de texto LibreOffice Writer: criação e edição de documentos de texto; formatação de caractere, parágrafo, página, marcadores, numeração, estrutura de tópicos, cabeçalho e rodapé; ortografia e gramática, idioma e hifenização; tabelas; figuras e Galeria; visualização e impressão; exportar como PDF; 5. Planilha eletrônica LibreOffice Calc: criação e edição de pastas de trabalho (documentos) e planilhas de cálculo (abas); referências a células; fórmulas e funções matemáticas, lógicas, de texto e de data e hora; formatação de células, condicional, cabeçalho e rodapé; importação de arquivos; visualização e impressão; exportar como PDF;

 

 

 

6. Redes, Internet e intranet: noções básicas redes de computadores, Internet e Intranet; web, navegadores; Mozilla Firefox, janelas e abas, limpar dados de navegação (histórico, cookies, cache), plug-ins; reconhecimento e digitação de endereços (URL), sítios (sites), caminhos e páginas; identificação e navegação por ligações (links); interação com controles e preenchimento de formulários; reconhecimento de cadeado de segurança (https) e prováveis golpes e fraudes; 7. Correio eletrônico (E-mail): identificação de nomes e endereços de correio eletrônico; remetente, destinatários, cópias e cópias ocultas; Webmail; receber e enviar mensagens; incluir, remover e salvar arquivos anexos; formatação; pesquisar e classificar mensagens; regras e filtros de mensagens; organização em pastas; catálogo de endereços; listas de discussão; tratamento de lixo eletrônico (spam), reconhecimento de prováveis golpes, fraudes e boatos;

 

 

 

8. Segurança da informação em tecnologia: conceitos fundamentais de segurança da informação, confidencialidade, integridade, disponibilidade, autenticidade, não-repúdio e privacidade; ameaças em computadores e redes; boas práticas de prevenção de códigos maliciosos (malware, pragas virtuais, vírus etc.); 9. Certificação digital: conceitos fundamentais de certificado digital de pessoa física e jurídica; identificação de validade e outros atributos de um certificado digital; ICP-Brasil, autoridade certificadora e de registro; token e cartão inteligente como mídias de certificado digital; conceitos, uso e cuidado de PIN e PUK; assinatura digital.

Noções de Direito

1. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: 1.1. Dos princípios fundamentais (arts. 1º a 4º); 1.2. Dos direitos e garantias fundamentais (arts. 5º ao 13); 1.3. Da organização do Estado (arts.18 e 19, 37 a 41); 1.4. Da organização dos Poderes (arts. 44 a 47,59,76 a 83, 92 a 135); 1.5. Da família, da criança, do adolescente e do idoso (arts. 226 a 230). 2. Constituição do Estado de Minas Gerais de 1989: 2.1. Dos servidores públicos (art. 20 a 37); 2.2. Da organização dos Poderes (arts. 52, 83, 96 a 118).

 

 

 

3. Lei de Organização e Divisão Judiciárias do Estado de Minas Gerais – Lei Complementar estadual nº 59, de 18 de janeiro de 2001: 3.1. Das circunscrições (arts. 1º a 8º); 3.2. Dos órgãos de jurisdição (art. 9º); 3.3. Do Tribunal de Justiça (arts. 11 a 16, 23 a 26); 3.4. Da Jurisdição de Primeiro Grau (arts. 52 a 65, 74 a 85-B); 3.5. Da Magistratura da Justiça Comum (art. 163); 3.6. Da discriminação dos órgãos auxiliares (arts. 236 a 238); 3.7. Dos órgãos auxiliares dos Tribunais (arts. 239 a 243); 3.8. Dos órgãos auxiliares dos juízos (arts. 250 a 257); 3.9. Dos direitos do servidor (arts. 258 a 266); 3.10. Da incompatibilidade, do impedimento e da suspeição (arts. 267 a 269); 3.11. Da substituição (arts. 270 a 272); 3.12. Do regime disciplinar dos servidores do Poder Judiciário (arts. 273 a 290); 3.13. Da sindicância e do processo disciplinar (arts. 291 a 300); 3.14. Disposições Gerais (art. 301). 4. Regimento Interno do TJMG – Resolução do Tribunal Pleno nº 3, de 26 de julho de 2012: 4.1. Preâmbulo (arts. 1º e 2º); 4.2. Da constituição, da organização e do funcionamento dos órgãos (arts. 3º a 9º, 12 a 15, 25 a 34); 4.3. Dos recursos cíveis (arts. 375 a 385); 4.4. Dos recursos criminais (arts. 486 a 498). 5. Lei dos Juizados Especiais – Lei nº 9.099, de 26 de setembro de 1995: 5.1. Disposições gerais (arts. 1º e 2º); 5.2. Dos Juizados Especiais Cíveis (arts. 3º a 12, 14 a 19, 34, 42, 52, 54); 5.3. Dos Juizados Especiais Criminais (arts. 60 a 68, 78, 82, 84, 87).

 

 

 

6. Lei dos Juizados Especiais da Fazenda Pública – Lei nº 12.153, de 22 de dezembro de 2009: 6.1. Arts. 1º, 2º e 5º a 7º. 7. Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei 8.069, de 13 de julho de 1990 (arts. 141, 143, 144 e 152). 8. Estatuto do idoso – Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003: 8.1. Disposições preliminares (arts. 1º e 2º); 8.2. Do acesso à Justiça (arts. 69 a 71). 9. Lei sobre a Informatização do processo judicial – Lei nº 11.419, de 19 de dezembro de 2006. 10. Sistema Processo Judicial Eletrônico – Pje – Resolução do CNJ nº 185, de 18 de dezembro de 2013.

 

 

 

 

Conhecimento Específico

 

 

 

Oficial Judiciário/Oficial de Justiça Avaliador

1) Processos: conceito, espécies, tipos de procedimento; distribuição, autuação e registro; protocolo; petição inicial; numeração e rubrica das folhas nos autos; guarda, conservação e restauração dos autos; exame em cartório, manifestação e vista; retirada dos autos pelo advogado; carga, baixa, conclusão, recebimento, remessa, assentada, juntada e publicação; lavratura de autos e certidões em geral; traslado; contestação. 2) Termos processuais cíveis e criminais e autos: conceitos, conteúdo, forma e tipos. 3) Atos do Juiz: sentença, decisão interlocutória e despacho; acórdão. 4) Atos processuais: forma, nulidade, classificação e publicidade; processos que correm em segredo de justiça. 5) Citação e intimação: conceito, requisitos, modalidades de citação: via postal, mandado, por Edital; cartas precatória, rogatória e de ordem. Intimação na Capital e nas comarcas do interior; intimação do Ministério Público; contagem do prazo de intimação. 6) Prazos: conceito, curso dos prazos, prazos das partes, do juiz e do servidor, processos que correm nas férias. 7) Apensamento de autos: procedimento; requisitos da carta de sentença.

 

 

 

 

 

8) Autos suplementares: quando são obrigatórios, peças que devem conter; sua guarda. 9) Custas e emolumentos. 10) Distribuição de feitos: critérios para distribuição e escala de valores, ações que não dependem de distribuição. 11) Condição a ser observada para a distribuição de petição inicial; exceção. 12) Distribuição de feitos por dependência: conceito e casos em que ocorre. 13) Processo de Execução: citação, penhora, arresto, avaliação, impugnação e embargos à execução. 14) Busca e Apreensão, remoção, reintegração na posse, imissão na posse, prisão civil, alvará de soltura, condução coercitiva de testemunha. 15) A cobrança judicial da dívida ativa da Fazenda Pública. 16) Centrais de Mandados: atribuições. 17) Bem de família. 18) Alienação fiduciária: normas de processo. 19) Procedimentos nos Juizados Especiais Cíveis: Dos atos processuais. Do pedido. Das citações e intimações. Da Revelia. Da conciliação e do Juízo Arbitral. Da Instrução e Julgamento. Da Resposta do Réu. Das Provas. Da Sentença. Dos Embargos de Declaração. Da extinção do processo sem julgamento do mérito. Da execução. Das Despesas. 20) Procedimentos nos Juizados Especiais Criminais: Da competência e dos atos processuais. Da fase preliminar. Do procedimento sumaríssimo. Da execução. Das despesas processuais.

 

 

 

21) Lei Federal nº 13.105, de 16 de março de 2015 (Código de Processo Civil): Dos auxiliares da Justiça – art. 149; Do Escrivão, do Chefe de Secretaria e do Oficial de Justiça – art. 150, 151, 154 e 155; Da prática eletrônica de atos processuais – arts. 193 à 199; Do tempo e do lugar dos atos processuais – 212 a 216; Do lugar – art. 217; Dos prazos – art. 218; Dos prazos – art. 231; Da verificação dos prazos e das penalidades- art. 233; Da comunicação dos atos processuais – arts.236 a 275; Da competência 782; Da citação do devedor e do arresto – 827 à 830; Da penhora, do depósito e da avaliação – 831 a 853; 870 a 875. Legislação de referência: – Lei Federal nº 13.105, de 16 de março de 2015 (Código de Processo Civil); – Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995 (arts. 12 a 59 e 64 a 92); – Lei Federal nº 6.830, de 22 de setembro de 1980 (Dispõe sobre a cobrança judicial da dívida ativa da Fazenda Pública); – Decreto-Lei nº 911, de 01 de outubro de 1969, alterado pela Lei n° 10.931, de 02 de agosto de 2004; – Código de Normas da Corregedoria – Provimento nº 355, de 18 de abril de 2018.

Técnico Judiciário/Assistente Social

1) Fundamentos históricos: teóricos e metodológicos do serviço social. 2) Serviço Social e Ética: dimensão ético-política da profissão. 3) Código de Ética Profissional do Assistente Social- Resolução do Conselho Federal de Assistente Social – CFAS – nº 273, de 13/5/1993. Lei da Regulamentação da Profissão de Assistente Social – Lei nº 8.662, de 7/6/1993. 4) Serviço social de casos: conceituação; metodologia de trabalho na ação com indivíduos e grupos familiares; técnicas e instrumentais de trabalho; atendimento de caso; etapas do trabalho (entrevista, estudo do caso, diagnóstico, avaliação, intervenção).

 

 

 

5) Serviço social e família: teoria da família (sistêmica); transformações na família (violência doméstica e separação de casal). 6) Serviço social e equipe interdisciplinar. 7) Serviço social e o Estatuto da Criança e do Adolescente. 8) Serviço social e o Estatuto do Idoso. 9) Serviço social e a Lei de Execução Penal. 10) Serviço social e a Legislação em saúde mental: a inserção social do portador de sofrimento mental infrator na rede da cidade em consonância com as políticas públicas de assistência ao portador de sofrimento mental, garantindo acessibilidade à cidadania, de forma intersetorial segundo os princípios antimanicomiais. 11) Serviço social e planejamento: alternativas metodológicas de processos de planejamento, monitoramento e avaliação- formulação de programas, projetos e planos. Indicadores sociais de avaliação: verificabilidade e demonstração da efetividade e do alcance social do processo de trabalho do assistente social.

 

 

 

12) Serviço social no Poder Judiciário: funções e atribuições. A perícia em Serviço Social e a elaboração de laudos sociais e pareceres. Legislação: – Decreto-Lei Federal nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 (Código Penal) arts. 43 a 47; art. 55 e arts. 77 a 82. – Lei Federal nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 (Código de Processo Civil) arts. 145 a 147; art. 421; art. 423; arts. 432 e 433; art. 435 e art. 437. – Lei Federal nº 7.210, de 11 de julho de 1984 (Execução Penal) arts. 40 e 41; art. 61; arts. 147 a 149; arts. 151 a 154; art. 156; art. 158; arts. 160 e 161; arts. 180 e 181 e art. 202. – Lei Federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) arts. 7º a 52; arts. 90 a 94; arts. 98 a 140 e arts. 150 a 190. – Decreto Federal nº 99.710, de 21 de novembro de 1990 (Convenção sobre os Direitos da Criança). – Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995 (Juizados Especiais) arts. 60 e 61; art. 76; art. 85 e art. 89. – Lei Federal nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso). – Lei Federal nº 11.340 de 07 de agosto de 2006 (Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher). – Lei Federal nº 11.343 de 23 de agosto de 2006 (Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas). – Lei Federal nº 12.010 de 29 de julho de 2009 (Adoção).

Técnico Judiciário/Psicólogo

1) Diagnóstico psicológico: conceituação e objetivos; tipos de processo diagnóstico; avaliação psicológica; entrevista psicológica; elaboração de laudos. 2) Aconselhamento psicológico: métodos e técnicas. 3) Técnicas de intervenção psicológica: psicoterapia breve e emergencial; as entrevistas preliminares e seus efeitos imediatos. 4) Psicopatologia: semiologia e nosologia dos transtornos mentais.

 

 

 

5) A criança e o adolescente: desenvolvimento emocional e social. Meninos e meninas com trajetória de rua: características contemporâneas do fenômeno e de sua abordagem. Crianças sob risco pessoal e social: violência familiar, abuso sexual, abrigamento e adoção. Adolescência e criminalidade: ato infracional e medidas socioeducativas; tráfico de drogas e projetos de intervenção; adolescência e rede de saúde. Depoimento especial. 6) Família: família e desenvolvimento da personalidade; as transformações modernas e contemporâneas da família. Teorias psicológicas e abordagem clínica da família: teoria sistêmica e teoria psicanalítica. A família no discurso jurídico: tipos de processo; perícia; orientação, acompanhamento e intervenção nos conflitos. Violência doméstica. 7) Paciente portador de sofrimento psíquico e a Justiça: Interdição civil; psicopatologia e criminalidade; os princípios da luta antimanicomial e o acompanhamento dos pacientes em medida de segurança.

 

 

 

8) O psicólogo judicial e a Execução Penal. 9) Mediação e conciliação: técnicas e objetivos. 10) Psicologia e Justiça: compromisso social, ética e Direitos Humanos. Legislação: – Lei Federal nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 (Código Penal) Título V – Seção I e Seção II do Capítulo I, Capítulo IV e Capítulo V. – Lei Federal nº 5.869 de 11 de janeiro de 1973 (Código do Processo Civil) Título VIII, Capítulo I, Capítulo II e Seção VII do Capítulo VI. – Lei Federal nº 7.210 de 11 de julho de 1984 (Execução Criminal) especialmente o Título II e o Título IV. – Lei Federal nº 8.069 de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). – Lei Federal nº 9.099 de 26 de setembro de 1995 (Juizados Especiais) especialmente o Capítulo III. – Lei Federal nº 10.406 de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil) Livro IV, Título I, Título III e Título IV. – Lei Federal nº 10.741 de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso). – Lei Federal 13.431/2017 de 4 de abril de 2017.

 

 

 

 

 

 

Qual a banca?

 

 

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades. Estando por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

 

 

 

A banca do próximo concurso TJ MG já foi escolhida: será a AOCP.

 

 

 

Para saber mais sobre a banca, confira a análise completa que fizemos, clicando aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais as melhores apostilas?

 

 

 Há pessoas que obtêm ótimos resultados estudando sozinhas, outras precisam de ajuda e investem em um curso preparatório. Se você optou por um voo solo, saiba que as apostilas serão suas melhores amigas. Por isso, é fundamental saber quais as mais conceituadas disponíveis no mercado. Se forem específicas para o concurso pretendido, tanto melhor!

 

 

 

 

 

Melhores Apostilas

 

 

Algumas pessoas acreditam que estudar por apostila não é tão efetivo, mas as que indicamos aqui são realmente boas. No entanto, claro, tudo vai depender do quanto você se dedicar aos estudos.

 

 

 

Para saber mais, confira a análise completa que fizemos no post 21 Melhores Apostilas para Concursos Públicos (para Garantir a Aprovação)

 

 

 

 

 

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

 

 

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. Afinal, é sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a área ou cargo pretendido.

 

 

 

Desse modo, veja algumas opções realmente boas:

 

 

 

 

Estratégia ConcursosO Estratégia Concursos tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, pois conta com um material de qualidade e professores renomados. Ou seja, se você quer ter a certeza que está estudando pelo melhor material e, além disso, não se importa em pagar pela qualidade, o Estratégia Concursos é, com efeito, sua melhor opção.

 

 

 

Curso Estratégia – Concurso TJ MG

 

 

 

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. De fato, tem material completo com videoaulas, além de professores de primeira linha. Assim, se você quer um curso com bom histórico de aprovação, e a possibilidade de estudar para mais de um concurso, o Gran Cursos certamente é uma ótima opção.

 

 

 

Curso Gran Cursos – Concurso TJ MG

 

 

 

O Exponencial é mais uma excelente alternativa. Igualmente aos demais cursos, é voltado para o aprendizado acelerado, mas oferece ainda o interessante serviço de coaching 100% especializado.

 

Curso  Exponencial – Concurso TJ MG

 

 

 

 

Checklist do candidato

 

 

Agora que você chegou ao fim do post, é hora de retomar alguns pontos e fazer uma checklist para confirmar se o concurso TJ MG é mesmo para você:

 

 

  • Ter formação de Nível Médio e Superior, de acordo com o cargo pretendido;
  • Ter afinidade com a área jurídica;
  • Ter dedicação e empenho;
  • Desejar estabilidade financeira e profissional.

 

 

Para saber novidades sobre o andamento do concurso TJ MG, siga também nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

 

Bons estudos e boa sorte!

 

 

 

 

 

ASSINATURA ILIMITADA DO GRANCOM MAIS DE 80% DE DESCONTO
(pouco tempo!)

CLIQUE AQUI PARA PEGAR SEU CUPOM

Prontinho, agora você tem acesso a todo material grátis.