Provas da Receita FederalVai fazer as provas da Receita Federal no próximo concurso? Então é melhor ir se preparando desde já, uma vez que a seleção é uma das mais disputadas do país.

Portanto, é preciso estar por dentro de todos os detalhes.

Neste artigo, vamos ajudar você a garantir a tão sonhada vaga, explicando como são as provas para Analista Tributário e Auditor Fiscal da Receita Federal, quais as disciplinas, pesos, estilo das questões, conteúdo programático e mais!

Pronto para agilizar sua aprovação no concurso da Receita Federal?

Vamos nessa!

Saiba mais sobre as provas da Receita Federal

Qual a diferença entre as provas de Analista e Auditor?

Todo o conteúdo presente no edital do Analista Tributário costuma constar também do edital do Auditor Fiscal,  com raras exceções em alguns anos.

Ou seja, se você estiver se preparando para o concurso de Auditor, pode perfeitamente realizar o concurso de Analista.

Entretanto, a situação contrária isso já não ocorre, uma vez que o edital de Analista não cobre todas as matérias exigidas no concurso de Auditor.

Está em dúvida sobre as atribuições de cada uma das carreiras? Clique aqui e saiba exatamente o que faz um Analista e o que faz um Auditor.

Como foram as provas?

No último concurso da Receita Federal, para ambas as carreiras, foram aplicadas duas provas objetivas escritas, de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos, e uma prova discursiva.

As provas escritas foram constituídas de questões de múltipla escolha (cinco alternativas e apenas uma resposta correta).

Veja quais foram as disciplinas e os pesos das provas objetivas:

Analista Tributário

Auditor Fiscal

A prova discursiva, que representa em torno de 22% da nota final, tem um importante papel na classificação.

No último concurso, a discursiva foi composta por duas questões de 20 a 40 linhas — uma sobre o conteúdo de Direito Tributário e outra referente ao conteúdo de Comércio Internacional e Legislação Aduaneira —, valendo 30 pontos cada uma (10 pontos referente ao português e o restante da resposta).

Nesse sentido, é importante mencionar que todos começam com os 10 pontos destinados ao português e, de acordo com cada erro apresentado, vai perdendo parte dessa pontuação.

No último concurso, não houve a cobrança de uma redação, apenas das questões. Todavia, acredita-se que será cobrada a redação em um próximo concurso.

Quando cobrada, a redação da ESAF é guiada, isso é, com tópicos orientados, o que permite ao candidato se sair bem mesmo não dominando por completo o tema.

Para arrasar na redação, é preciso seguir algumas orientações básicas. Para saber tudo sobre o assunto, clique aqui e garanta um texto nota 10.

Qual a banca organizadora?

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades.

De fato, se você estiver por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

A banca organizadora dos dois últimos concursos da Receita Federal foi a ESAF e tudo leva a crer que a parceria se repetirá em uma próxima seleção. Até mesmo pelo fato de a ESAF pertencer ao Ministério da Fazenda e, assim, dispensar licitação.

Então, para saber detalhes sobre a instituição, acesse nosso post com a análise completa, clicando aqui.

Quais matérias devo estudar mais?

As provas da ESAF apresentam uma particularidade: é preciso atingir 40% de aproveitamento individual dentro de cada matéria, sendo que no último concurso o edital contou com 11 matérias.

Aliás, o aproveitamento geral é de 60% de na prova objetiva e 60% da prova discursiva.

Além disso, o fato de exigência mínima por matéria muda completamente a maneira de planejar os estudos.

No último concurso, por exemplo, 61 pessoas dentre as que se classificaram fizeram a pontuação mínima necessária em Raciocínio Lógico Quantitativo. Ou seja, mesmo não sendo um conteúdo de peso, merece atenção como os demais, caso contrário você pode não conseguir atingir 40% de aproveitamento.

As matérias que tiveram maior candidatos com um aproveitamento mínimo necessário foram Direito Administrativo, com 125 pessoas, e Legislação Tributária, com 172 pessoas.

Em resumo, todas as matérias devem ser estudadas, levando em consideração a dificuldade e tamanho do conteúdo, independentemente do peso.

Qual o conteúdo programático?

Veja quais os tópicos solicitados em cada uma das disciplinas de conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos nas provas para as carreiras de Analista Tributário e Auditor Fiscal.

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

Então, agora que você sabe tudo sobre as provas da Receita Federal, pode acessar também o manual completo, com ainda mais informações, clicando aqui.

E aproveite para conferir as novidades do edital nas nossas redes sociais:  Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Bons estudos!

Gostou do artigo?
[Total: 1 Average: 5]

Planilha de Estudos

Inscreva-se agora para baixar gratuitamente a Planilha definitiva de Estudos!

Confirme seu e-mail e baixe a planilha!

Desconto de 30% no Gran Cursos Online

É só CLICAR AQUI para receber o desconto

E se quiser receber outras dicas de concurso, é só assinar nossa newsletter abaixo:

Você acabou de se inscrever em nossa lista.