fbpx

Provas da Receita FederalVai fazer as provas da Receita Federal no próximo concurso? Então é melhor ir se preparando desde já, uma vez que a seleção é uma das mais disputadas do país.

Portanto, é preciso estar por dentro de todos os detalhes.

Neste artigo, vamos ajudar você a garantir a tão sonhada vaga, explicando como são as provas para Analista Tributário e Auditor Fiscal da Receita Federal, quais as disciplinas, pesos, estilo das questões, conteúdo programático e mais!

Pronto para agilizar sua aprovação no concurso da Receita Federal?

Vamos nessa!

Saiba mais sobre as provas da Receita Federal

Qual a diferença entre as provas de Analista e Auditor?

Todo o conteúdo presente no edital do Analista Tributário costuma constar também do edital do Auditor Fiscal,  com raras exceções em alguns anos.

Ou seja, se você estiver se preparando para o concurso de Auditor, pode perfeitamente realizar o concurso de Analista.

Entretanto, a situação contrária isso já não ocorre, uma vez que o edital de Analista não cobre todas as matérias exigidas no concurso de Auditor.

Está em dúvida sobre as atribuições de cada uma das carreiras? Clique aqui e saiba exatamente o que faz um Analista e o que faz um Auditor.

Como foram as provas?

No último concurso da Receita Federal, para ambas as carreiras, foram aplicadas duas provas objetivas escritas, de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos, e uma prova discursiva.

As provas escritas foram constituídas de questões de múltipla escolha (cinco alternativas e apenas uma resposta correta).

Veja quais foram as disciplinas e os pesos das provas objetivas:

Analista Tributário

Auditor Fiscal

A prova discursiva, que representa em torno de 22% da nota final, tem um importante papel na classificação.

No último concurso, a discursiva foi composta por duas questões de 20 a 40 linhas — uma sobre o conteúdo de Direito Tributário e outra referente ao conteúdo de Comércio Internacional e Legislação Aduaneira —, valendo 30 pontos cada uma (10 pontos referente ao português e o restante da resposta).

Nesse sentido, é importante mencionar que todos começam com os 10 pontos destinados ao português e, de acordo com cada erro apresentado, vai perdendo parte dessa pontuação.

No último concurso, não houve a cobrança de uma redação, apenas das questões. Todavia, acredita-se que será cobrada a redação em um próximo concurso.

Quando cobrada, a redação da ESAF é guiada, isso é, com tópicos orientados, o que permite ao candidato se sair bem mesmo não dominando por completo o tema.

Para arrasar na redação, é preciso seguir algumas orientações básicas. Para saber tudo sobre o assunto, clique aqui e garanta um texto nota 10.

Qual a banca organizadora?

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades.

De fato, se você estiver por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

A banca organizadora dos dois últimos concursos da Receita Federal foi a ESAF e tudo leva a crer que a parceria se repetirá em uma próxima seleção. Até mesmo pelo fato de a ESAF pertencer ao Ministério da Fazenda e, assim, dispensar licitação.

Então, para saber detalhes sobre a instituição, acesse nosso post com a análise completa, clicando aqui.

Quais matérias devo estudar mais?

As provas da ESAF apresentam uma particularidade: é preciso atingir 40% de aproveitamento individual dentro de cada matéria, sendo que no último concurso o edital contou com 11 matérias.

Aliás, o aproveitamento geral é de 60% de na prova objetiva e 60% da prova discursiva.

Além disso, o fato de exigência mínima por matéria muda completamente a maneira de planejar os estudos.

No último concurso, por exemplo, 61 pessoas dentre as que se classificaram fizeram a pontuação mínima necessária em Raciocínio Lógico Quantitativo. Ou seja, mesmo não sendo um conteúdo de peso, merece atenção como os demais, caso contrário você pode não conseguir atingir 40% de aproveitamento.

As matérias que tiveram maior candidatos com um aproveitamento mínimo necessário foram Direito Administrativo, com 125 pessoas, e Legislação Tributária, com 172 pessoas.

Em resumo, todas as matérias devem ser estudadas, levando em consideração a dificuldade e tamanho do conteúdo, independentemente do peso.

Qual o conteúdo programático?

Veja quais os tópicos solicitados em cada uma das disciplinas de conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos nas provas para as carreiras de Analista Tributário e Auditor Fiscal.

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

Então, agora que você sabe tudo sobre as provas da Receita Federal, pode acessar também o manual completo, com ainda mais informações, clicando aqui.

E aproveite para conferir as novidades do edital nas nossas redes sociais:  Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Bons estudos!

Planilha de Estudos

Planilha de Estudos

Com essa planilha você vai poder calcular automaticamente seu tempo ideal de estudos.

Ela foi criada com base no Método PQF para calcular o quanto você tem que estudar, levando em conta o peso de cada matéria, quantidade de horas necessárias e facilidade que você tem sobre cada uma.

Abra seu e-mail e baixe agora mesmo sua planilha (não esqueça de procurar no SPAM).