proximos concursos

Concurso TRF1: Edital iminente! Vagas para Técnico e Analista

concurso trf1

Sumário

Atenção concurseiros de plantão…

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) está prestes a lançar o edital para o novo concurso público, que ofertará 25 vagas imediatas e formação de cadastro reserva para os cargos de Analista e Técnico Judiciário.

Os salários são atrativos, sendo R$ 13.994,78 para Analista Judiciário e R$ 8.529,67 para Técnico Judiciário.

Detalhes das Inscrições

As inscrições para o concurso TRF1 abrirão às 16h do dia 12 de junho e seguirão até 15 de julho de 2024. Os candidatos poderão se inscrever através do site da banca organizadora, Fundação Getúlio Vargas (FGV). As taxas de inscrição são de R$ 120,00 para Analista Judiciário e R$ 90,00 para Técnico Judiciário.

Etapas e Provas do Concurso

Os candidatos serão avaliados através das seguintes etapas:

  • Prova objetiva (eliminatória e classificatória)
  • Prova discursiva (eliminatória e classificatória)
  • Teste de Aptidão Física (TAF) (eliminatório – exclusivo para Analista Judiciário – Inspetor de Polícia Judicial e Técnico Judiciário – Agente da Polícia Judicial)
  • Heteroidentificação
  • Perícia Médica

Prova Objetiva

As provas objetivas serão realizadas no dia 29 de setembro de 2024, com horários distintos:

  • Analista Judiciário – Das 8h às 13h
  • Técnico Judiciário – Das 15h às 20h

As provas incluirão questões sobre as seguintes disciplinas:

  • Língua Portuguesa
  • Raciocínio Lógico e Matemático
  • Noções de Sustentabilidade
  • Noções de Direitos Humanos e Fundamentais e de Acessibilidade
  • Conhecimentos Específicos

Prova Discursiva

A prova discursiva ocorrerá no mesmo dia da prova objetiva e consistirá na elaboração de uma redação, valendo 20 pontos.

Teste de Aptidão Física (TAF)

O TAF, de caráter eliminatório, será exclusivo para os cargos de Analista Judiciário – Inspetor de Polícia Judicial e Técnico Judiciário – Agente da Polícia Judicial. Os candidatos aprovados na prova discursiva serão convocados para o teste físico, que incluirá exercícios de flexão de braço na barra fixa, suspensão na barra fixa e abdominal remador.

 

Concurso TRF1 Juiz

 

O último edital do Concurso TRF1 foi publicado em março de 2023.

Foi ofertada 1 vaga imediata + formação de cadastro reserva para a carreira de Juiz Federal Substituto do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

A banca organizadora foi a FGV – Fundação Getúlio Vargas.

 

Principais informações sobre o concurso TRF1

 

Quais as carreiras e atribuições?

 

O concurso TRF1 ofertou 1 vaga imediata + CR para o cargo de Juiz Substituto.

 

As atribuições do cargo são as seguintes:

 

  • Julgar as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
  • Julgar as ações que envolvam exercício do direito de greve;
  • Julgar as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores;
  • Julgar os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data , quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição;
  • Julgar os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, o;
  • Julgar as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho;
  • Julgar as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho;
  • Julgar a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195, I, a , e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que proferir;
  • Julgar outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei.

 

Qual o nível de formação exigido?

 

Dentre outros requisitos especificados em edital, foi exigido dos candidatos Nível Superior em Direito.

 

Quais as demais exigências?

 

Os demais requisitos do concurso TRF1 foram:

 

  • Estar no exercício dos direitos civis e políticos;
  • Ter nacionalidade brasileira;
  • Estar em dia com as obrigações eleitorais e, em caso de candidato do sexo masculino, também com as militares;
  • Ser bacharel em Direito há três anos, no mínimo, por instituição de ensino superior, oficial ou reconhecida, com diploma registrado no Ministério da Educação (MEC);
  • Ter, na ocasião da inscrição definitiva, três anos de atividade jurídica, exercida após a obtenção do grau de bacharel em Direito, na forma definida no artigo 93, I, da Constituição Federal, e na Resolução nº 75, de 12/5/2009, do Conselho Nacional de Justiça, comprovada por intermédio de documentos e certidões;
  • Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo;
  • Ter comprovados, na investigação procedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, bons antecedentes morais e sociais, bem assim, por meio de laudo emitido por órgão oficial, saúde física e mental e características psicológicas adequadas ao exercício do cargo;
  • Apresentar declaração pública de bens e prestar compromisso de desempenhar, com retidão, as funções do cargo, cumprindo a Constituição e as leis;
  • Não registrar antecedentes criminais;
  • Não estar sendo processado nem ter sofrido penalidade por prática de atos desabonadores no exercício profissional.

 

Qual o salário?

 

O salário inicial para o cargo de Juiz Substituto no concurso TRF1 é de R$ 32.004,65.

 

Qual a jornada de trabalho?

 

O aprovado no concurso TRF1 tem carga horária de 40 horas semanais.

 

Quais as etapas?

 

O concurso foi composto pelas seguintes etapas:

 

  • 1ª Etapa: Prova objetiva seletiva (eliminatória e classificatória);
  • 2ª Etapa: Duas provas escritas (eliminatórias e classificatórias);
  • 3ª Etapa: Inscrição definitiva: dividida em três fases (caráter eliminatório);
    • a) Sindicância da vida pregressa e Investigação social
    • b) Exame de sanidade física e mental
    • c) Exame psicotécnico
  • 4ª Etapa: Prova oral (eliminatória e classificatória);
  • 5ª Etapa: Avaliação de títulos (classificatória).

 

Como são as provas?

 

Prova objetiva

A prova objetiva foi composta de três blocos de disciplinas:

 

Bloco I (40 questões):

  • Direito Constitucional;
  • Direito Previdenciário;
  • Direito Penal;
  • Direito Processual Penal;
  • Direito Econômico e de Proteção ao Consumidor.

 

Bloco II (30 questões):

  • Direito Civil;
  • Direito Processual Civil;
  • Direito Empresarial;
  • Direito Financeiro e Tributário.

 

Bloco III (30 questões):

 

Prova escrita

  • A primeira, discursiva, constituída de uma dissertação e de respostas a duas questões de livre escolha da Comissão de Concurso
  • A segunda consiste na lavratura de sentenças, uma de natureza cível (1ª parte) e outra de natureza penal (2ª parte), em dias sucessivos.

 

Avaliação de títulos

Foram considerados os seguintes títulos:

  • Exercício de cargo, emprego ou função pública privativa de bacharel em Direito pelo período mínimo de 1 ano;
  • Exercício do Magistério Superior na área jurídica pelo período mínimo de 5 anos;
  • Exercício de outro cargo, emprego ou função pública privativa de bacharel em Direito não previsto no inciso I, pelo período mínimo de 1 ano;
  • Exercício efetivo da advocacia pelo período mínimo de 3 anos;
  • Aprovação em concurso público, desde que não tenha sido utilizado para pontuar no inciso I;
  • Diplomas em Cursos de Pós-Graduação: Doutorado reconhecido ou revalidado; Mestrado reconhecido ou revalidado; Especialização em Direito, na forma da legislação educacional em vigor, com carga horária mínima de 360 horas-aula, cuja avaliação haja considerado monografia de final de curso;
  • Graduação em qualquer curso superior reconhecido ou curso regular de preparação à Magistratura ou ao Ministério Público, com duração mínima de 1 ano, carga horária mínima de 720 horas-aula, frequência mínima de 75% e nota de aproveitamento;
  • Curso de extensão sobre matéria jurídica de mais de 100 horas-aula, com nota de aproveitamento ou trabalho de conclusão de curso e frequência mínima de 75%;
  • Publicação de obras jurídicas;
  • Láurea universitária no curso de Bacharelado em Direito;
  • Participação em Banca Examinadora de concurso público para o provimento de cargo da magistratura, Ministério Público, Advocacia Pública, Defensoria Pública ou de docente em instituição pública de ensino superior;
  • Exercício, no mínimo durante 1 (um) ano, das atribuições de conciliador nos juizados especiais, ou na prestação de assistência jurídica voluntária.

 

Acesse o edital completo:

 

Para auxiliar nos estudos, acesse as provas do concurso anterior:

 

 

Conhece o perfil da FGV?

 

Antes de mais nada, conhecer o perfil da banca é essencial para que você consiga sair na frente dos concorrentes. Como fazer isso?

Preparamos um artigo com todas as características dessa banca:

 

 

 

Tenha acesso a outras notícias e artigos. Curta nosso site no FacebookTwitterInstagram e Youtube!

 

Conte com a gente e bons estudos!!!

Comentar com Facebook

Fique bem informado

Acompanhe o melhor canal com vídeos com dicas de estudos e notícias sobre concursos públicos.

Veja nossos Web Stories

Motivação: O Segredo para a Aprovação em Concursos Públicos

plugins premium WordPress