Um dos maiores inimigos daquele que querem passar em concursos públicos é o esquecimento. Não é difícil entender o conteúdo nem assimilar conceitos complexos, mas é muito difícil guardar tanta informação! Assim, podemos dizer que sua maior aliada é a revisão.

A maioria dos concursos mede nossa capacidade de memorizar, mas nosso cérebro não é uma máquina que simplesmente anota toda a informação e busca no banco de dados rapidinho na hora da prova.

Felizmente, você hoje aprenderá um método incrível capaz de lhe colocar entre os primeiros lugares de qualquer concurso: a técnica da revisão.

Primeiro, entenda como acontece o esquecimento

O maior estudioso em esquecimento foi o alemão Hermann Ebbinghaus. Veja a curva criada por ele:

curava do esquecimento concursos

Não se assuste, eu explico:

  • Os números de 0 a 100 representam o quanto de informação você retém. 100% é lembrar totalmente e 0% é esquecimento total.
  • A curva normal do esquecimento é a curva azul. Significa que se você aprender algo novo e não revisar, em 1 mês esqueceu completamente o estudado.
  • Como você pode observar, o maior esquecimento acontece nas primeira 24 horas do aprendizado, e piora na primeira semana.

Vamos sintetizar ainda mais os dados acima:

  • Um dia após ter aprendido algo novo você lembra apenas 54% da informação
  • Após uma semana, 35%.
  • Após 14 dias, 21%.
  • Após 21 dias, 8%.

Bem, agora que você viu quão imperfeita é nossa memória, vamos à solução mágica. Falo sério! Após entender a técnica, seu rendimento em concursos será turbinado. Vamos lá?

Para reter a informação, é simples: você precisa fazer revisões do que aprendeu. Não qualquer revisão, mas uma com método. Segundo os estudiosos (e o gráfico acima), as revisões devem ser feitas da seguinte forma:

  • Primeira revisão: 20 minutos ou uma hora após ter estudado um conteúdo novo. Deve ser uma revisão rápida, apenas ler e elaborar flash cards, resumos e mapas mentais.
  • Segunda revisão: 24 horas após o conteúdo estudado. Uma revisão um pouco mais aprofundada que a anterior. É importante selecionar os itens com mais dificuldade de memorização.
  • Terceira revisão: uma semana após a segunda revisão.
  • As próximas revisões dependerão do seu desempenho. Caso você já sinta que está dominando o conteúdo, revise uma vez por mês ou em períodos maiores e uma revisão a cada mês e talvez com o tempo maior.

Quantas revisões são necessárias?

Em média, precisamos de 7 revisões espaçadas para gravarmos algo em nossa memória de longo prazo.

E quando a revisão acaba?

Bem, é preciso usar o bom senso. Você certamente precisará fazer revisões diárias. Mas, caso você perceba que está dedicando tempo demais à revisões e poucos aos exercícios e aulas, diminua o tempo de revisões e tente focar apenas no que realmente precisa memorizar. Fique atento para não deixar de revisar assuntos que ainda não assimilou.

Essa quantidade de revisões não é perda de tempo?

Não! Se você não aprender a revisar adequadamente, perderá seu tempo com uma nota péssima na prova. Como já disse, é preciso bom senso. Se o edital já saiu e você não vai conseguir estudar toda a matéria, deverá colocar a revisão em segundo plano. Mas, ainda assim, é interessante repassar pontos críticos, como fórmulas ou algo que caia muito na prova.

Posso adiantar ou atrasar revisões?

Sim! Não é uma receita de bolo. Se uma revisão era para ser feita em 7 dias e terminou em 10, não é um grande problema. Apenas enfatizo a importância da revisão rápida após a leitura ou aula e de outra revisão em 24 horas. As demais revisões podem ser programadas com muita flexibilidade.

Fazer revisão é o mesmo que fazer exercícios de provas anteriores?

Apesar da resolução de exercícios das provas anteriores ser um método de revisão, você deve ir além, revendo a matéria por meio de resumos, flash cards e mapas mentais.

Como organizar minha revisão?

Há alguns programas que podem lhe ajudar a organizar esse processo. Eu recomendo a agenda do Google ou, para os menos digitais, uma simples agenda em papel.

É importante criar uma ordem no material a ser revisado. Se você nomear seus resumos, mapas mentais e flash cards, a organização fica bem mais fácil.

Vou dar alguns exemplos.

Preciso revisar a matéria de ontem: Língua Inglesa, o capítulo sobre verbos é a aula 3. Deixei-o dentro da pasta verde. Fiz um mapa mental e chamei ele de Revisão: MM-A3-Verbos-Pasta Verde (mapa mental, A3-Verbos)

Preciso revisar também a aula de três semanas atrás. Como era Estatística, fiz flash cards com as fórmulas. Utilizei o Gocongr. Revisar Fórmulas de Estatística-Gocongr-fórmulas difíceis.

Basicamente, você deve ter uma organização pessoal e saber onde está o material.

Veja como ficou em minha agenda:

revisoes-para-concursos

Revisando a revisão

É importante você ter em mente a importância da revisão, juntamente com a resolução de exercícios anteriores. Você vai perceber que seu aprendizado será potencializado quando aplicar os conceitos expostos neste artigo. Boa sorte e excelentes estudos!

[Total: 0    Média: 0/5]