Reter o aprendizado e ter a concentração necessária para lembrar todos os detalhes do conteúdo na hora da prova são requisitos básicos para obter bons resultados. Mas… nem sempre isso é uma tarefa simples! Por isso, neste artigo, reunimos as melhores técnicas de memorização que, com certeza, vão ajudar a agilizar a sua aprovação.

O volume de leituras e exercícios do concurseiro, como sabemos, é imenso. Muitas vezes, a sensação é de que você estuda muito, mas não chega a lugar algum, não consegue fixar o conhecimento na mente. Isso gera cansaço e frustração, claro.

Sendo assim, para dar conta de tudo e realmente internalizar o que leu, é vital desenvolver habilidades que otimizem o aprendizado. Nesse sentido, algumas técnicas de memorização são muito eficazes, se adaptando ao seu cronograma e fazendo com que você entenda como seu cérebro funciona melhor.

 

O que é a memória?

 

Antes de prosseguirmos, vamos a uma breve explicação sobre o que é a memória! Pois bem,  ela é uma faculdade psíquica com a qual conseguimos armazenar e recuperar informações e fatos no cérebro. Isso acontece por meio de conexões temporárias ou permanentes entre os neurônios.

Por isso, a memória é fundamental no processo de aprendizagem. E há vários tipos de memória (de curto e longo prazo) e cada uma com uma função diferente. Conheça quais são:

 

  • Processual: que reconhece processos (como andar de bicicleta).
  • Visual: que reconhece rostos e lugares.
  • Episódica: que contém os acontecimentos da sua vida.
  • Topocinética: que grava seus movimentos e a posição do corpo no espaço.
  • Semântica: que guarda palavras, raciocínios e o sentido das coisas.

 

Para bons resultados é preciso preparação

 

As técnicas de memorização são importantes ferramentas para acelerar e reter o aprendizado, com certeza. Mas também alguns hábitos e cuidados diários podem potencializar os resultados. Veja algumas orientações básicas que certamente vão agilizar o processo de fortalecimento da memória.

 

Ambiente que favoreça o estudo

 

Antes de começar a estudar, é importante pensar no espaço ao seu redor. Preparar o ambiente vai deixá-lo mais confortável e favorecer a concentração. Uma boa luz, que não force a vista, uma temperatura agradável, um local silencioso e organizado, uma cadeira confortável e ergonômica, uma mesa na qual você possa colocar todo o seu material. Pode parecer bobagem, mas esses detalhes fazem a diferença, uma vez que o ambiente tem grande influência sobre o comportamento humano.

 

Plano de estudos organizado

 

Vai ser bem difícil obter resultados efetivos sem um planejamento. Por isso, estabelecer um plano de estudos de acordo com seu ritmo e um cronograma alinhado a sua rotina são passos fundamentais. O ideal é que você consiga estudar sempre no mesmo local e horário, assim é mais fácil para o seu cérebro entrar no “modo” preparação para o concurso.

Aproveite para acessar nosso post sobre Como montar um Cronograma de Estudos perfeito para sua rotina.

 

Distância das redes sociais

 

Essa é uma tarefa bastante difícil para muita gente! Mas, acredite, afastar-se do computador e do celular pode fazer muito pela sua rotina de estudos. Tente não ceder à tentação de olhar as redes sociais ou responder mensagens instantâneas. Esses minutinhos de distração atrapalham a concentração e interrompem o fluxo de aprendizado, podendo colocar em risco todo o esforço feito até então.

No entanto, não estamos aqui demonizando a tecnologia! Ao contrário, se você desenvolver uma relação saudável com ela, pode até mesmo usá-la para ajudar nos estudos. A internet, afinal, é uma ótima ferramenta para pesquisa e conferência de dados. Então, aproveite para ler também o post 18 excelentes sites e aplicativos de questões de concursos.

 

Saúde em dia

 

Ninguém consegue render 100% se a saúde não está legal. Por isso, se estiver se sentindo mal, indisposto, respeite seu organismo e não se force a estudar. Durante o período de preparação para o concurso, também reforce os cuidados com a alimentação, pratique exercícios físicos com regularidade e fique de olho na qualidade do seu sono. Esses são pilares que garantem disposição para encarar a maratona de estudos.  

Incorporando essas mudanças simples no seu dia a dia, temos certeza que você conseguirá obter resultados ainda melhores nos estudos. E já que estamos falando de turbinar o aprendizado, que tal acessar nosso post com as 16 melhores técnicas e métodos de estudos para concursos? Temos também um supervídeo no nosso canal do Youtube sobre o assunto.

 

Conheça 7 técnicas de memorização que turbinam o aprendizado

 

Agora sim! Vamos conhecer e saber mais sobre algumas das melhores técnicas de memorização para concursos. Todas essas práticas são simples e efetivas, mas precisam ser realizadas corretamente e com muita disciplina para que você obtenha os melhores resultados. Confira quais são:

 

1 – Flashcards

 

Flashcards são pequenos cartões com uma pergunta na frente e uma resposta no verso. É um método simples: basta tentar acertar a resposta que está atrás do papel. A técnica é muito recorrente no estudo de idiomas ou fórmulas, mas pode ser aplicada a qualquer disciplina. Na área de concursos, é bastante utilizada no estudo de Matemática, Estatística, Contabilidade e outros conceitos difíceis de memorizar e que constantemente caem nas provas.

Saiba mais sobre o assunto no post Flash cards: aprenda como fazer e detone nos concursos, que traz todos os detalhes da técnica de memorização e dicas importantes para aplicá-la corretamente.

 

2 – Mapas mentais

 

Os mapas mentais são diagramas elaborados para representar ideias e conceitos relacionados a uma palavra-chave. Eles ajudam a visualizar e classificar as informações e, assim, facilitar o entendimento, a tomada de decisão e a escrita. A técnica foi criada pelo famoso psicólogo inglês Tony Buzan. Ele afirma que, usando a técnica, conseguimos acessar regiões não exploradas do nosso cérebro e facilitar a memorização.

Acesse o post Aprenda a criar um mapa mental efetivo e obtenha orientações completas sobre a prática, uma das mais utilizadas técnicas de memorização.  

 

3 – Resumos

 

Fazer resumo é uma ótima maneira de guardar na mente aquilo que é mais importante no conteúdo estudado. Afinal, para colocar as informações no papel de forma simplificada, seu cérebro precisa antes processá-las. Por isso, os resumos só são válidos se não forem cópias fiéis, mas textos elaborados a partir da sua compreensão do que foi estudado. Melhor ainda se forem resumos feitos à mão, porque esse hábito estimula as células da base do seu cérebro e o deixam mais ativo, segundo estudos científicos.

No post Como fazer resumos para concursos você vai saber mais sobre a técnica de memorização e as melhores maneiras de montar o seu material.

 

4 – Simulados

 

Testes e exercícios simulados são como ginástica para o cérebro. Isso mesmo, porque a partir deles você treina sua mente para acessar as informações quando forem necessárias. E quanto mais você treina, mais fácil esse processo se torna. Igualmente, praticando simulados você consegue mensurar o tanto que já foi internalizado do conteúdo e onde ainda precisa de mais atenção.

Confira também nosso post Como acelerar seu aprovação estudando por questões, um método comprovadamente eficaz para turbinar o aprendizado.

 

5 – Autoexplicação

 

A técnica da autoexplicação nada mais é que dar aula para si próprio, ou imaginando que está à frente de um grupo de alunos. É muito utilizada numa fase mais inicial dos estudos, quando a pessoa está começando a se inteirar de um conteúdo.

A prática, se levada a sério, vai lhe ajudar a perceber se você está mesmo entendendo o que lê e se seria capaz de dar respostas e formular argumentos que façam sentido. Da mesma forma, você pode direcionar melhor os estudos.

 

6 – Acrônimos

 

Já ouviu essa palavra? Acrônimos são siglas inventadas a partir da primeira letra ou sílaba de várias palavras formando uma nova expressão que ajude a lembrar termos que precisam ser decorados.  Ou seja, os acrônimos são ferramentas que ajudam o cérebro a acessar informações com mais facilidade e mais rapidamente.

Por exemplo: você precisa se lembrar quais os direitos previstos na Constituição Federal: Vida, Liberdade, Igualdade, Segurança e Propriedade. Daí surge a sigla ViLISP.

 

7 – Associações 

 

Fazer associações, assim como acrônimos, funciona muito bem para decorar informações com muitos detalhes. Traçando conexões entre ideias e palavras, os dados começarão a vir de forma espontânea na sua cabeça. Por isso, a associação não é tanto uma técnica de memorização, mas a maneira mais natural de exercitar a memória.

A prática consiste em vincular a resposta de uma pergunta a algo que já você conhece, pode ser uma coisa bem comum ou até mesmo absurda. O importante é que faça sentido para você. Assim, quando tiver que responder, lembre-se dessa associação e desenvolva a ideia a partir dela.

Um exemplo bem simples: você precisa lembrar do nome Ângela. Então busque associar essa resposta sempre a anjos. Você pode até mesmo colocar essa associação em seus resumos. E a cada leitura, reforçar o vínculo.

 

Veja também alguns mitos sobre a memorização

 

É preciso muito tempo para memorizar

 

A memorização tem muito mais a ver com a qualidade do estudo que com o tempo. De nada adianta você passar horas e horas lendo livro e apostilas ou fazendo simulados se não está concentrado naquele conteúdo ou ele ainda não faz sentido para você. Além disso, cuidado para não sobrecarregar seu cérebro. É muito melhor fazer pausas durante a preparação do que tentar absorver volumes gigantescos de conteúdo de uma só vez.

 

Só memorizamos se alguém estiver falando

 

Obviamente, aprender com um professor é muito mais estimulante e até divertido. No entanto, o meio pelo qual a informação chega até o nosso cérebro não é o mais importante para memorizá-la. O que faz a diferença é, sim, o nível de concentração que se tem quando está estudando, seja em uma sala de aula, com um livro ou apostila, para que o conteúdo seja processado adequadamente e devidamente armazenado.

 

Só pessoas velhas têm problemas de memória

 

Não mesmo! Um estudo norte-americano recente apontou que os millennials (pessoas entre 18 e 34 anos) têm maior dificuldade para reter informações que indivíduos com mais de 55 anos. A causa? Os mais jovens andam muito estressados e isso prejudica a memorização. De fato, os idosos costumam ter ótima memória, a não ser que tenham sofrido um acidente ou apresentem alguma doença degenerativa.

 

Ter boa memória é um dom

 

Ninguém nasce com um potencial de memorizar maior que de outra pessoa. Ou seja, não é um dom ou uma habilidade que só os inteligentes podem ter. A memória é uma função cognitiva que pode ser melhorada mediante treinamento (técnicas de memorização). Claro, desde que a pessoa não sofra de nenhuma doença que afete seu desenvolvimento.

 

O curso de técnicas de memorização do Renato Alves é bom?

 

Já que falamos em memorização, é praticamente impossível não citarmos o curso Estudo e Memorização do Renato Alves. O método, criado e patenteado por ele, tem foco no aprendizado de práticas de estudo e memorização que podem ser aplicadas a qualquer disciplina. No treinamento, você vai aprender a assistir aulas sem fazer anotações, a ler de maneira mais concentrada, a criar um plano de estudos ideal e a desenvolver técnicas para reversão do branco em momentos decisivos.

O curso Estudo e Memorização do Renato Alves é 100% prático e online (via computador, tablet e celular), com acesso irrestrito 24 horas durante seis meses. Além disso, tem certificado de excelência em conteúdo conferido pela WEC, que é a maior empresa da América Latina no fornecimento de informações sobre serviços de Treinamento e Desenvolvimento.

Para conhecer todos os detalhes do curso do Renato Alves e suas técnicas de memorização, acesse nosso post completo sobre o assunto.

 

 

Curso de Memorização

Técnicas de memorização do Renato Alves

Veja mais

Esperamos que, ao chegar no fim deste artigo, você não tenha mais dúvidas de que as  técnicas de memorização são ótimas ferramentas para dar aquela turbinada no seus estudos. Além disso, são muito fáceis de fazer.

De qualquer maneira, é importante lembrar que os bons resultados vão depender dos seus esforços e da sua disciplina. E nós do Próximos Concursos estamos aqui para lhe ajudar na caminhada até a aprovação, trazendo sempre as melhores dicas para facilitar sua vida.

Falando nisso, já conhece as nossas redes sociais? Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube. Por lá você encontra ainda mais conteúdos relevantes e informações úteis.

Bons estudos!

 

[Total: 2    Média: 5/5]