Sabe aquela pílula mágica que você toma e memoriza tudo que estudou?

Infelizmente ela não foi inventada.

Até tentam nos vender “umas coisinhas” com essa promessa. Acredite: não funcionam!

Mas,

não seria legal se você pudesse estudar de uma maneira mais inteligente e conseguir reter melhor o conhecimento?

Melhor ainda…

Não seria legal aprender mais rápido e conseguir mais tempo para todas as outras tarefas da vida?

Não se preocupe, eu não estou aqui para te vender uma pílula do conhecimento,

no entanto posso afirmar que existem formas bem legais e comprovadas cientificamente de aprender mais rápido!

Tá duvidando?

Olha só: 20 formas cientificamente comprovadas de aprender mais rápido.

Caso prefira, fizemos um vídeo sobre o assunto:

Como aprender mais rápido:

 

1. Aprenda o mesmo conteúdo de maneiras diferentes

 

Uma pesquisa da Loma Linda School of Medicine de 2008 mostrou que ser exposto à informação por mídias ou formas diferentes estimula partes diferentes do cérebro. Quanto mais partes do cérebro são ativadas, mais você reterá a informação.

Então, quando você estiver aprendendo algum assunto, poderá fazer o seguinte:

  • Leia o livro / apostila
  • Leia suas anotações ou resumos que fez durante a aula
  • Veja um vídeo aula sobre o assunto
  • Procure pelo assunto na Web
  • Crie um mapa mental, resumo ou flash card
  • Ensine ou imagine estar ensinando alguém
  • Tente aplicar o assunto na prática de várias outras formas

Claro que você não conseguirá fazer tudo isso de uma só vez.  Mas, cada vez que você for revisar um tópico tente um método diferente, dessa forma você vai aprender bem mais rápido!

 

2. Estude várias disciplinas no mesmo dia, em vez de uma ou duas

Um estudo publicado na Educational Psychology Review  mostrou que é mais produtivo estudar várias disciplinas no mesmo dia do que estudar apenas uma ou duas.

Vamos imaginar que você esteja se preparando para estudar matemática, língua portuguesa, inglês e economia.

Para acelerar seu aprendizado, em vez de estudar uma disciplina em cada dia da semana (matemática na segunda, língua portuguesa na terça, inglês na quarta e economia na quinta) estude um pouquinho de cada no mesmo dia (estude todas no mesmo dia todos os dias).

Fazendo dessa forma, você vai aprender mais rápido do que estudar cada uma delas em dias diferentes da semana.

Por quê?

Porque estudando conteúdos muito similares de uma só vez acaba gerando confusão, pois é muita informação parecida e nosso cérebro meio que precisa de “um break” para processar informações parecidas.

Então, para estudar de uma forma inteligente, aprenda várias matérias no mesmo dia! Seu cérebro terá mais tempo para consolidar o aprendizado.

 

3. Revise periodicamente

 

Se você quiser transferir o conhecimento da memória de curto para longo prazo, precisa revisar periodicamente.

A revisão vai ajudá-lo a conseguir melhores resultados nas provas.

Uma pesquisa sobre os efeitos da revisão no aprendizado  mostrou melhores resultados na retenção do conhecimento naqueles que revisavam.

A quantidade de revisão e intervalos depende de por quanto tempo você quer reter a informação, mas, de forma geral são recomendadas as seguintes revisões:

  • 1º revisão – rápida após o aprendizado
  • 2ª revisão – 1 dia depois do aprendizado
  • 3ª revisão – 7 dias após o aprendizado
  • 4º revisão –21 dias após a 3ª revisão
  • 5ª revisão – 30 dias após a 4ª revisão
  • 6º revisão – 45 dias após a 5ª revisão
  • 7ª revisão – 60 dias após a 6ª revisão

 

Isso é apenas uma sugestão, caso queira aprofundar no assunto, veja o artigo que preparamos sobre a importância da revisão nos estudos.

 

4. Não seja da turma do fundão

 

Se você tem a possibilidade de escolher onde sentar na aula, sente-se na frente.

Estudos mostraram que quem senta nas primeiras filas tende a ter melhores resultados nas provas.

Um estudo mostrou a seguinte média de nota de acordo com a fila sentada:

  • Primeiras filas: 80%
  • Filas do meio: 71.6%
  • Últimas filas: 68.1%

No estudo quem escolheu a fila foi o professor, o que significa que não tem “nada a ver” com a ideia de que estudantes mais motivados escolhem as primeiras filas e por isso tem notas melhores e “a turma do fundão” é mais desinteressada.

Sentando nas primeiras filas você conseguirá ver melhor o quadro, ouvir melhor a explicação e terá menos distrações.

Bem, agora você sabe onde estão os melhores lugares, basta escolher.

 

5.  Não seja multitarefa

 

Não tenha dúvida: fazer várias coisas ao mesmo tempo torna você menos produtivo, mais distraído e “mais burro”.

Estudos mostraram que pessoas que dizem que são ótimas em fazer tudo ao mesmo tempo, na verdade não são.

Se você realmente quer aprender, concentre-se em uma coisa de cada vez. Então, não tente estudar enquanto está assistindo TV ou verificando seu Instagram.

Aqui estão algumas sugestões para melhorar sua concentração:

  • Desligue as notificações do seu celular.
  • Coloque seu celular em outro cômodo ou coloque no modo avião.
  • Desligue a internet de seu computador.
  • Procure um aplicativo que bloqueie a internet.
  • Feche todas as abas do browser que não estão relacionadas.
  • Retire do seu local de estudo tudo que pode distraí-lo.

Você não é um “Windows” com várias janelas abertas. Acredite!

Então,

faça uma coisa de cada vez.

 

6. Simplifique, resuma e comprima a informação

 

O uso de mnemônicos pode ser um aliado incrível na seu aprendizado.

Exemplo #1

Se você quer memorizar as fases da prófase (meiose):

Fases da prófase (meiose): Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno, Diacinese.

Led Zeppelin Duplamente Doido.”

Ou seja, você criou uma frase engraçada e fácil de lembrar que pode ajudá-lo durante a prova.

Quanto mais “doida” e “mais memorizável” for a frase, melhor a chance de ajudá-lo na memorização.

 

Exemplo #2

Imagine que você queira memorizar a Competência da União para legislar privativamente (sobre Direitos):

Então memorize a frase:

 

CAPACETE de PM

 

Comercial
Grário
Penal
Aeronáutico
Civil
Eleitoral
Trabalho
Espacial
Processual
Marítimo

 

Além dos recursos mnemônicos você pode utilizar mapas mentais,  resumos ou flash cards, tabelas, diagramas e muitas outras ferramentas que comprimam a informação a ser gravada.

 

7. Faça anotações à mão, não no laptop

 

Faça anotações à mão, não no laptopEstudos mostram que alunos que fazem anotações à mão tendem processar e reter melhor a informação, pois acabam escrevendo “com as próprias palavras” e isso ajuda na memorização. Já os que fazem anotações no laptop, tendem a anotar exatamente o que foi dito pelo professor sem uma análise, o que prejudica o processamento da informação.

Não sei se você percebeu, mas quanto mais “trabalho”, “raciocínio” e “relacionamentos com outros conhecimentos” dermos ao cérebro, mais rápido aprendemos.

E, anotar à mão faz exatamente isso!

Obviamente, os que fazem anotações à mão acabam se saindo melhor nas provas.

 

8. Escreva seus medos

 

E se eu não passar?

E se eu esquecer de algo importante?

E se a prova for muito difícil?

Todo mundo enfrenta esses e outros medos antes de fazer uma prova.

Mas, se essas preocupações crescem e viram ansiedade, podem atrapalhar sua nota.

A solução?

Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que estudantes que escreveram seus medos e sentimentos sobre uma prova durante 10 minutos se saíram melhor que estudantes que não escreveram.

Os pesquisadores também descobriram que essa técnica é melhor para “medos habituais” que acompanham toda a vida.

Em outro estudo, foi observado que estudantes que escreviam seus sentimentos em diários tinham melhor memória e aprendizado.

Se você encarar seus sentimentos negativos e escrevê-los, eles acabam perdendo importância e gerando menos efeitos em sua ansiedade.

Então,

para ficar menos ansioso, separe 10 minutos e escreva todos os sentimentos negativos que você tem em relação a prova e tudo mais. Fazendo isso, é muito provável que você conseguirá boas notas.

Não custa tentar, não é?

 

9. Faça testes frequentemente

 

Décadas de estudos mostram os  testes ou exercícios são cruciais para melhorar suas notas.

Em um experimento na University of Louisville a psicóloga Keith Lyle dividiu uma aula em dois grupos.

Um dos grupos recebeu ao final de cada aula um teste com 4 a 6 perguntas sobre o assunto estudado.

O outro grupo não recebeu nenhum teste.

Ao final da pesquisa, o grupo que recebeu testes conseguiu uma nota significantemente melhor que a do grupo que não recebeu.

Então, pare de estudar apenas pela teoria.

Você precisa fazer MUITOS exercícios para melhorar e conseguir melhores notas.

 

10. Faça uma conexão entre o que você acabou de aprender com algo que já conhecia

 

Henry Roediger III em seu Livro “Make It Stick: The Science of Successful Learning, scientists” explica que quanto mais relação você conseguir fazer entre os conceitos que já aprendeu e os novos conceitos que está sendo exposto, mais rápido você aprenderá.

Vamos imaginar que você está aprendendo sobre as células do sangue.

Você poderá relacionar com o assunto “guerra” que já está na sua memória:

Os glóbulos brancos são “soldados” que defendem você contra as doenças que são “os inimigos”.

Ou imagine que você está aprendendo sobre o Orçamento de um país, você pode correlacionar ao orçamento de uma casa. As receitas (tributos) são os salários, as despesas de capital são aquelas necessárias para “trabalhar e produzir mais” como a troca de um carro ou a compra de uma casa e as despesas correntes são aquelas que você tem para se manter, como a gasolina e a comida.

Fazer associações leva tempo e exige esforço, mas quando você consegue fazer essas comparações e conexões, você grava durante muito mais tempo e seu desempenho melhora absurdamente.

 

11. Leia as partes importantes em voz alta

 

Leia as partes importantes em voz altaVárias pesquisas mostram que ler informação em voz alta ajuda a aprender mais rápido que ler silenciosamente.

Mas, por quê?

Quando você lê em voz alta, você ao mesmo tempo ouve e visualiza a informação, utilizando dois sentidos.  Quando você lê silenciosamente apenas vê, utilizando apenas um sentido.

Mas vamos ser realistas, é impossível ler todo o conteúdo em voz alta, demora muito.

Então, aí vai uma dica que recomendo:

Passo 1: quando você estiver lendo, sublinhe os principais conceitos e fórmulas. Não estou dizendo para você parar para memorizar, apenas sublinhe e continue lendo.

Passo 2: depois de terminar a leitura e sublinhar as principais informações, leia tudo que sublinhou em voz alta várias vezes. Leia cada fórmula e informação devagar, para reter melhor.

Passo 3: depois de fazer o passo 2, tire um intervalo de três minutos.

Passo 4: volte aos principais conceitos sublinhados e avalie se os memorizou.

Passo 5: para cada conceito e equação que não foi memorizado, repita os passos 2, 3 e 4.

E, não esqueça de colocar essas informações em suas revisões.

 

12. Faça intervalos de estudo regularmente

 

Intervalos de estudos melhoram sua produtividade e seu foco.

Então,

se você acha que a melhor estratégia é ficar 6 horas estudando trancado em uma sala, está completamente errado!

Minha sugestão é que você faça intervalos de 5 a 10 minutos depois de 40 minutos de estudo.

É interessante ter um temporizador para lembrar que é o momento de parar de estudar e começar a relaxar!

Outra coisa importante, durante esse período de relaxamento, tente evitar celular e computador.  Esses equipamentos não “deixam” você realmente descansar.

Outra opção, é utilizar o método pomodoro.  Se você não conhece é uma excelente oportunidade.

 

13. Tenha pequenas recompensas ao final de cada estudo

 

Tenha pequenas recompensas ao final de cada estudo

Antes de iniciar seu ciclo ou sessão de estudo, já imagine um “presentinho” para você mesmo ao final da sessão. Muitos estudos mostram que essa técnica melhora a memória e o aprendizado.

 

As recompensas podem ser simples como:

 

  • Comer algo saudável
  • Ouvir sua música favorita
  • Fazer uma pequena caminhada
  • Fazer exercícios de alongamento
  • Tomar banho
  • Tocar um instrumento
  • Fazer alguns exercícios físicos
  • Relaxar uns minutinhos na rede

Acredito que você já tenha em mente boas recompensas, não é?

Utilizando essa técnica você vai aprender mais rápido e de forma mais inteligente.

 

14. Foco no processo, não no resultado

 

Se você focar somente na prova “vai pirar o cabeção”.

Estudos mostram que aqueles que tem como meta o aprendizado e não somente uma boa nota na prova conseguem melhores resultados.

A Pisicóloga Carol Dweck da Stanford University afirma que o aluno com melhores notas é aquele que:

  • Coloca seu foco no esforço, não no resultado
  • Coloca seu foco no processo, não na recompensa
  • Acredita que com estudo e empenho pode melhorar, até nas matérias que tem mais dificuldade
  • Aceita desafios
  • Entende que obteve sucesso quando aprende algo, não apenas quando é aprovado

 

Ou seja,

os estudantes que não tem “sucesso” tendem a colocar a meta no objetivo (ser aprovado) enquanto os que tem sucesso tendem a colocar a meta no aprendizado.

O aluno com as melhores notas entenderá que conseguiu o resultado se aprendeu, o outro se for aprovado.

Mas quer ver algo interessante?

Os que focam no resultado geralmente estão pensando na sua imagem perante os outros. Eles pensam: vou mostrar minha nota, minha aprovação, etc., para essa ou aquela pessoa.

Os que focam no aprendizado estão mais concentrados no crescimento pessoal, eles pensam: vou aprender direitinho “tudo sobre crase” ou “tudo sobre probabilidade” pois “vai ser interessante para meu conhecimento”, e se preocupam em atingir esse objetivo.

O engraçado é que nossa sociedade como um todo valoriza e incentiva alunos com foco no resultado quando quem REALMENTE consegue bons resultados é aquele que tem foco no aprendizado.

 

15. Beba ao menos 8 copos de água por dia

 

Não!

Não pule essa dica!

Estudos mostram que em torno de 75% das pessoas estão em um estado crônico de desidratação.

E, a desidratação é ruim para seu cérebro, consequentemente, seu aprendizado.

Um estudo da University of East London mostrou que a desidratação diminui a capacidade mental de processar informação. Existem inclusive casos que o cérebro encolhe pela falta de água.

A solução é muito simples:

Beba ao menos 8 copos de água por dia.

Leve sua “garrafinha de água” por onde estiver e beba mesmo antes de sentir sede.

Durante a prova, leve água e beba pelo menos a cada 40 minutos. Isso vai ajudar sua hidratação, desempenho e conta também como um intervalo para dar uma refrescada também na mente.

 

16. Faça exercícios pelo menos 3 vezes por semana

 

Exercícios físicos não são bons apenas para seu corpo, são excelentes para seu cérebro.

Muitos estudos mostram que o exercício:

Então, se você quer aquele remédio mágico do aprendizado: faça pelo menos 30 a 45 minutos de exercícios três vezes por semana.

Você ficará mais energético e aprenderá muito melhor.

 

17.  Durma pelo menos 8 horas por noite

 

Durma pelo menos 8 horas por noiteMuitos estudantes afirmam que dormem pouco para conseguir mais tempo livre para estudar.

Infelizmente, é uma péssima ideia.

Todos os estudos sobre sono mostram que se você dormir bem conseguirá ficar mais focado e aprender mais rápido, melhorará sua memória e lidará melhor com o estresse.

Então, dormindo bem você não perde tempo!  Muito pelo contrário, você ganha velocidade de aprendizado.

Existe outro estudo muito interessante que mostra que se você estudar algo difícil antes de dormir e revisar no próximo dia, conseguirá memorizar muito melhor.

Então, minha sugestão é que você dê uma estudada nos conteúdos difíceis um pouco antes de dormir e revise no próximo dia.

E se você é festeiro e gosta de passar as noites em claro, tenho uma péssima notícia:

Vários estudos mostram que o povo que não dorme à noite tem notas piores nas provas e piores desempenhos nas carreiras.

Então, nada de noitadas nem de pouco sono.

 

18.  Coma Blueberry

 

Blueberry ou mirtilo é um fruto rico em flavonoide, que melhora as conexões do cérebro e estimula a regeneração das células cerebrais.

Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que o mirtilo melhora tanto a memória de curto como a de longo prazo, além de prevenir contra doenças degenerativas como Alzheimer.

No Brasil é bem complicado encontrar a fruta fresca, então, as alternativas são elas em cápsulas, farinha ou sucos da fruta.

 

19.  Coma ovos de galinha

 

Pesquisadores da Universidade de Boston conduziram uma pesquisa com 1400 alunos durante 10 anos. Eles descobriram que os alunos que incluíram em sua dieta colina se saiam muito melhor em testes de memória.

A colina é o precursor da acetilcolina. A acetilcolina é liberada na junção entre os neurônios, permitindo que a transmissão nervosa seja passada de uma forma melhor, que é essencial para a formação de novas memórias.

Mas que alimentos possuem colina?

Ovos de galinha! Mais precisamente, a gema que contém 90% da colina do ovo.

Caso você esteja com medo do colesterol… relaxe…

Estudos recentes mostram que isso era mito e que os ovos de galinhas são muito saudáveis!

 

Se você for vegetariano aqui estão algumas alternativas:

  • Lentilhas
  • Semente de girassol
  • Semente de abóbora
  • Amêndoas
  • Repolho
  • Couve flor
  • Brócolis

 

20.  Consuma ômega 3

 

O consumo de ômega 3 é excelente para a função cerebral. Um estudo mostrou que o consumo do ômega 3 reduziu testes de ansiedade em alunos e melhorou a concentração.

Além disso, o ômega 3 previne pressão alta, doenças do coração, artrite, osteoporose, depressão, demência, asma, câncer e muitas outras doenças.

Veja alguns alimentos ricos em ômega 3

  • Salmão
  • Sardinha
  • Truta
  • Linhaça
  • Sementes de abóbora
  • Nozes

 

Finalizando

 

Eu sei que o artigo foi longo, mas não se estresse com ele.

Você não precisa nem deve implementar todas as dicas do artigo, vá testando uma a uma e veja qual apresenta melhores resultados para você.

As pessoas são diferentes e reagem de forma diferente a métodos e estímulos, você tem que ser perspicaz para saber o que dá certo e o que não dá para sua realidade.

Como dica mais importante eu deixo a mensagem:

Foco no aprendizado e não na prova!

Pense que você está aprendendo e crescendo para a vida, não para um teste bobo que não vai medir você… medirá apenas sua capacidade de reter e compilar informação.

Lembre-se que, no que estiver ao nosso alcance, estaremos aqui para dar todo o suporte que você precisar para alcançar seus sonhos. Pode contar conosco!

 

[Total: 4    Média: 4.5/5]