%

Probabilidade Concurso

Concurso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais 2017

 

Concurso TJ MG Magistratura

 

 

 

 

Mais uma excelente oportunidade vem por aí!

 

 

 

Foi formada a comissão responsável pelo concurso que ofertará vagas para o cargo de Juiz de Direito Substituto da carreira da magistratura do Estado de Minas Gerais.

 

 

 

 

Dentre outros requisitos, para candidatar-se ao cargo é necessário ser bacharel em direito há pelo menos três anos e ter três anos de atividade jurídica, exercida a partir da conclusão do curso de direito.

 Pra você que pretende participar dessa excelente oportunidade, confira as etapas que farão parte do concurso:
  • Primeira etapa: prova objetiva seletiva, de caráter eliminatório e classificatório;

 

  • Segunda etapa: duas provas escritas, de caráter eliminatório e classificatório;

 

  • Terceira etapa: inscrição definitiva, de caráter eliminatório, com as seguintes fases:
    • Avaliação Médica
    • Avaliação Psicológica
    • Avaliação da Vida Pregressa e Investigação Social

 

  • Quarta etapa: prova oral, de caráter eliminatório e classificatório;

 

  • Quinta etapa: avaliação de títulos, de caráter classificatório.

 

Prova Objetiva

  • Bloco 1: Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito do Consumidor, Direito da Criança e do Adolescente.
  • Bloco 2: Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Constitucional, Direito Eleitoral.
  • Bloco 3: Direito Empresarial, Direito Tributário, Direito Ambiental e Direito Administrativo.

 

O último concurso foi realizado em 2014 e foram ofertadas 37 vagas para o cargo de Juiz de Direito Substituto, com remuneração de R$ 21.711,74.

 

 

 

Concurso TJ MG Oficial de Apoio Judicial e Oficial Judiciário

 

 

 

Nesse ano de 2017 foi realizado o concurso do TJ MG para os cargos de Oficial de Apoio Judicial e Oficial Judiciário. Foram ofertadas 10 vagas para Oficial de Apoio Judicial e 5 para Oficial Judiciário. Para ambos os cargos foi exigido Ensino Médio completo, sendo que para o cargo de Oficial Judiciário foi exigida a especialidade em Comissário da Infância e da Juventude.     A remuneração inicial para ambos os cargos foi de R$ 3.457,01.

 

 

Provas

 

As provas, bem como os respectivos tempos de duração e as disciplinas aplicadas, foram distribuídos da seguinte forma:

Cargo Especialidade Provas Duração
Oficial de Apoio Judicial (Classe D) Objetiva de Múltipla Escolha             4 horas
Digitação            5 minutos
Oficial Judiciário (Classe D) Comissário da Infância e da Juventude Objetiva de múltipla escolha              4 horas

 

Disciplinas da prova objetiva de múltipla escolha Número de questões
Língua Portuguesa 25
Noções de Informática 15
Noções de Direito 25
Atos de Ofício 15

 

 

Atribuição dos Cargos

 

Conheça as atividades atribuídas aos cargos ofertados:

 

Oficial de Apoio Judicial (Classe D)  – Ensino Médio

  • Realizar atos para subsidiar a movimentação do processo e demais serviços administrativos;
  • redigir e digitar matéria relacionada a sua área de atuação;
  • auxiliar o magistrado nas audiências e nas sessões de julgamento;
  • substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • participar de comissões e grupos de trabalho;
  • executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico em suas variadas formas.

 

 

Oficial Judiciário (Classe D) – Ensino Médio – Especialidade: Comissário da Infância e da Juventude  

  • Auxiliar no preparo de processos, promover medidas preliminares de instrução relativas a crianças e adolescentes, determinadas pelo juiz;
  • lavrar auto de infração, quando constatar violação das normas de proteção à criança e ao adolescente que tipifiquem infrações administrativas;
  • fiscalizar a execução das normas de assistência e proteção que digam respeito à criança e ao adolescente;
  • cumprir determinação judicial, com o fim de esclarecer fatos ou circunstâncias que possam comprometer a segurança física e moral de crianças e adolescentes;
  • auxiliar a criação e manutenção de cadastro contendo informações sobre crianças e adolescentes sob regime de acolhimento familiar e institucional;
  • substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • participar de comissões e grupos de trabalho;
  • executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico em suas várias formas.

 

 

A banca responsável pela organização do concurso foi a Consulplan e as inscrições foram encerradas em 28 de julho de 2017.

 

 

Como ainda não há data prevista para publicação do edital do novo concurso, dá tempo de se preparar!

 

 

 

Continue acompanhando nossas notícias e bons estudos!

 

 

 

[Total: 0    Média: 0/5]