fbpx

Concurso CGDFCom uma comissão interna já formada, o concurso CGDF deve lançar seu edital muito em breve. A seleção deve contar com oportunidades para o cargo de Auditor de Controle Interno, com exigência de Nível Superior e salário inicial de mais de R$ 12 mil.

A Controladoria Geral do Distrito Federal é um órgão especializado da Administração Direta. É responsável pela supervisão, tratamento e orientação de dados e informações no Portal da Transparência, supervisão e coordenação do sistema de controle interno, da auditoria administrativa, dos serviços das ouvidorias públicas.

A CGDF também atua na defesa do patrimônio público, na prevenção da corrupção, verificação dos princípios constitucionais nos atos da Administração Pública e na apuração de indícios de irregularidades administrativas.

Interessado no concurso CGDF?

Neste artigo reunimos tudo que você precisa saber para encarar o desafio: detalhes das carreiras, da rotina do órgão, do conteúdo das provas e dicas de estudo de arrasar.

Confira!

Principais informações sobre o Concurso CGDF

 

Quais as carreiras e atribuições?

 

O concurso CGDF deve ter vagas para a carreira de Auditor de Controle Interno nas especialidades Finanças e Controle e Planejamento e Orçamento. Veja quais as principais atribuições de cada uma:

 

Finanças e Controle

 

Planejar, coordenar, supervisionar e executar atividades de Nível Superior, de complexidade e responsabilidade elevadas, relacionadas à gestão orçamentária, financeira, patrimonial e contábil; realizar estudos e pesquisas que visem à formulação de políticas e diretrizes financeiras; conferir, analisar e consolidar balanços; controlar movimentação financeira dos fundos existentes; supervisionar e acompanhar atos e fatos da gestão patrimonial; pesquisar e periciar atos e fatos da administração orçamentária, financeira e patrimonial; desempenhar atividades de exame de processos e emissão de parecer quanto à legalidade de atos de concessão ou de revisão de reforma de aposentadorias e pensões e dos atos de admissão e desligamento de pessoal; realizar auditoria contábil, financeira, orçamentária, operacional, patrimonial, de pessoal, programas e de sistemas operacionais, hardware e software; participar de programas de treinamento; assessorar atividades específicas da sua área de atuação; executar outras atividades de interesse da área.

 

Planejamento e Orçamento

 

Planejar, coordenar, supervisionar e executar atividades de Nível Superior, de complexidade e responsabilidade elevadas, relacionadas à elaboração de propostas, programação e reprogramação orçamentárias; realizar estudos e pesquisas que visem à formulação de políticas e diretrizes orçamentárias e de planejamento do Distrito Federal; efetuar pesquisa, análise e interpretação da legislação econômico-fiscal, orçamentária, de pessoal e encargos sociais; promover a articulação entre planejamento e orçamento governamentais; examinar processos e emitir parecer quanto à legalidade de atos de concessão ou de revisão de reforma de aposentadorias e pensões e dos atos de admissão e de desligamento de pessoal; realizar auditoria contábil, financeira, orçamentária, operacional, patrimonial e de programas dos órgãos e entidades da Administração Direta e Indireta do Distrito Federal, examinar e auditar procedimentos licitatórios, contratos, convênios, acordos, ajustes e outros; participar de programas de treinamento; assessorar atividades específicas de Planejamento e Orçamento; executar outras atividades de interesse da área.

 

Qual o nível de formação exigido?

 

Para se candidatar a uma vaga de Auditor de Controle Interno no concurso CGDF, é preciso ter formação de Nível Superior em qualquer área de formação, desde que certificado por instituição credenciada no Ministério da Educação (MEC).

 

Qual o período de inscrição e valor da taxa?

 

Ainda não há informações consolidadas sobre datas e valores no concurso CGDF.

 

Qual o salário?

 

O salário inicial para o cargo de Auditor de Controle Interno é, atualmente, de R$ 12,800. No entanto, ele pode chegar a mais de R$ 17 mil, conforme tabela abaixo:

 

Quais os benefícios?

 

Os servidores da CGDF têm direito a uma série de benefícios, como auxílio-alimentação, auxílio-transporte e convênio médico.

 

Qual a lotação?

 

Os aprovados no concurso CGDF serão lotados em Brasília (DF).

 

Qual a jornada de trabalho?

 

A jornada de trabalho do servidor da CGDF é de 40 horas semanais.

 

Como é o dia a dia da função?

 

A função de Auditor de Controle Interno requer muita seriedade e comprometimento, uma vez que o profissional atua como um supervisor das atividades do órgão. No dia a dia, se envolve em diversas tarefas referentes a auditorias e inspeções internas, a fim de fiscalizar questões financeiras, patrimoniais e orçamentárias do órgão.  

 

Quais as chances de crescimento na carreira?

 

Os servidores da CGDF podem se desenvolver na carreira por meio de classes (primeira, segunda e especial) e padrões (I, II, III, IV e V).

A mudança ocorre em progressão funcional ou promoção.

A progressão é a passagem do servidor para o padrão de vencimento imediatamente superior dentro de uma mesma classe. Já a promoção é a passagem do servidor do último padrão de uma classe para o primeiro padrão da classe imediatamente superior.

Ambas as movimentações precisam respeitar critérios pré-estabelecidos, como tempo de serviço, qualificação e avaliação de desempenho.

 

Quantas são as vagas?

 

Ainda não há informações consolidadas sobre o número de vagas no concurso CGDF.

 

Como foi a concorrência do último concurso?

 

O último concurso CGDF foi realizado em 2013 e ofertou 60 vagas para Auditor de Controle Interno — 30 na especialidade de Finanças e Controle e 30 para Planejamento e Orçamento.

O número de inscritos na ocasião não está disponível, no entanto, embora os candidatos sempre estejam atrás desse tipo de informação, é bom reforçar que a concorrência real é outra. Ou seja, o número total de inscritos não representa o número de pessoas que vão estar, de fato, na corrida por uma vaga.

isso porque é sabido que apenas entre 8% e 10% dos candidatos estão realmente aptos para a disputa, tendo estudado o suficiente, seguindo o edital e os conteúdos exigidos. Além disso, o índice de abstenção chega, em média, a 30% do total.

Sendo assim, no dia da prova, a concorrência será muito menor.

E lembre-se: para o candidato bem preparado, não há barreiras. Afinal, esse é o verdadeiro diferencial na caminhada até a aprovação.

 

Quais as etapas do edital?

 

O último concurso CGDF teve cinco etapas:

  • 1ª – Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório
  • 2ª – Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório
  • 3ª – Sindicância de vida pregressa, de caráter unicamente eliminatório
  • 4ª – Curso de formação, de caráter classificatório e eliminatório
  • 5ª – Avaliação de títulos, de caráter unicamente classificatório

 

Como são as provas?

 

A prova objetiva do último concurso CGDF, realizado em 2013, contou com 80 questões de múltipla escolha , divididas em Conhecimentos Gerais, Conhecimentos Específicos e Conhecimentos Especializados.

Veja as disciplinas solicitadas em cada uma delas:

 

Conhecimentos Gerais

 

 

Conhecimentos Específicos

 

Conhecimentos Especializados

 

  • Economia e Finanças Públicas
  • Contabilidade Pública
  • Auditoria Governamental (somente para a especialidade Finanças e Controle)
  • Planejamento e Orçamento (somente para a especialidade Planejamento e Orçamento)

 

 

Além da prova objetiva, os candidatos foram submetidos a uma prova discursiva, que consistiu na redação de um texto dissertativo, narrativo e (ou) descritivo com, no máximo, 30 linhas, sobre tema formulado pela banca examinadora referente ao conteúdo programático constante no edital.

 

A última etapa é a avaliação de títulos, realizada conforme quadro abaixo:

 

 

Qual o conteúdo programático?

 

Veja quais os tópicos solicitados em todas as disciplinas no concurso CGDF:

 

Conhecimentos Gerais

 

Língua Portuguesa

Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. Domínio da ortografia oficial. Emprego das letras. Emprego da acentuação gráfica. Domínio dos mecanismos de coesão textual. Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. Emprego/correlação de tempos e modos verbais. Domínio da estrutura morfossintática do período. Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. Emprego dos sinais de pontuação. Concordância verbal e nominal. Emprego do sinal indicativo de crase. Colocação dos pronomes átonos. Reescritura de frases e parágrafos do texto. Substituição de palavras ou de trechos de texto. Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade.

Administração Pública

As reformas administrativas e a redefinição do papel do Estado. Reformado Serviço Civil (mérito, flexibilidade e responsabilização) e Reforma do Aparelho do Estado. Administração pública: do modelo racional-legal ao paradigma pós-burocrático. O Estado oligárquico e patrimonial, o Estado autoritário e burocrático, o Estado do bem-estar, o Estado regulador.  Empreendedorismo governamental e novas lideranças no setor público. Processos participativos de gestão pública: conselhos de gestão, orçamento participativo, parceria entre governo e sociedade.Governo eletrônico. Transparência da administração pública. Controle social e cidadania. Accountability. Excelência nos serviços públicos. Gestão por resultados na produção de serviços públicos. Gestão de Pessoas por Competências. Comunicação na gestão pública e gestão de redes organizacionais. Governabilidade e governança.  Intermediação de interesses (clientelismo, corporativismo e neocorporativismo). Mudanças institucionais: conselhos, organizações sociais, organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), agência reguladora, agência executiva. Processo de formulação e desenvolvimento de políticas: construção de agendas, formulação de políticas, implementação de políticas. As políticas públicas no Estado brasileiro contemporâneo. Descentralização e democracia. Participação, atores sociais e controle social. Gestão local, cidadania e equidade social. Planejamento e avaliação nas políticas públicas: conceitos básicos de planejamento. Aspectos administrativos, técnicos, econômicos e financeiros. Formulação de programas e projetos. Avaliação de programas e projetos. Tipos de avaliação. Análise custo benefício e análise custo-efetividade. O ciclo do planejamento em organizações (PDCA). Balanced Scorecard (BSC): principais conceitos, aplicações, mapa estratégico, perspectivas, temas estratégicos, objetivos estratégicos, relações de causa e efeito, indicadores, metas, iniciativas estratégicas. Referencial Estratégico das Organizações. Análise de ambiente interno e externo. Ferramentas de análise de ambiente: análise swot, análise de cenários, matriz GUT. Negócio, missão, visão de futuro, valores. Indicadores de desempenho. Tipos de indicadores. Variáveis componentes dos indicadores.

Noções de Direito Financeiro e Tributário

Finanças públicas na Constituição de 1988. Orçamento: conceito e espécies. Natureza jurídica. Princípios e normas constitucionais orçamentários. Normas gerais de direito financeiro (Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964). Despesa pública: conceito e classificação. Princípio da legalidade. Técnica de realização da despesa pública: empenho, liquidação e pagamento. Crédito suplementar, crédito extraordinário e crédito especial. Disciplina constitucional e legal dos precatórios e das requisições de pequeno valor. Receita pública: conceito. Ingressos e receitas. Classificação: receitas originárias e receitas derivadas. Preço público e taxa. Dívida Ativa da União de natureza tributária e não tributária. Parcelamento de débitos perante a Fazenda Pública (Lei nº 10.522, 19 de julho de 2002). Custos de administração e cobrança da Dívida Ativa. Débitos de pequeno valor (Lei nº 9.469 de 10 de julho de 1997). Cobrança extrajudicial e protesto de Certidões de Dívida Ativa (Lei nº 9.492, de 10 de setembro de 1997). Dívida Ativa do Banco Central: disposições legais específicas (art. 4º da Lei nº 9.650, de 27 de maio de 1998, arts. 37 e 37-C da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, art. 14 da Lei nº 11.371, de 28 de novembro de 2006). Crédito público: conceito. Empréstimos públicos: classificação, fases, condições, garantias,amortização e conversão. Dívida pública: conceito, disciplina constitucional, classificação e extinção. Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000). Relações financeiras entre a União e o Banco Central do Brasil (Medida Provisória nº 2.179-36, de 24 de agosto de 2001). Títulos da dívida pública (Lei nº 10.179, de 6 de fevereiro de 2001). Os tributos: conceito; espécies; natureza jurídica; classificação. O Sistema Tributário Nacional na Constituição de 1988: princípios gerais; limitações do poder de tributar; tributos de competência da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; repartição das receitas tributárias. Legislação tributária: vigência; aplicação; interpretação; integração. A competência tributária no Código Tributário Nacional. A obrigação tributária: conceito; fato gerador; sujeito ativo; sujeito passivo; responsabilidade tributária; responsabilidade por infrações da legislação tributária. O crédito tributário: conceito; constituição do crédito tributário; suspensão da exigibilidade do crédito tributário; extinção do crédito tributário; exclusão do crédito tributário; garantias e privilégios do crédito tributário. A administração tributária: conceito; fiscalização; dívida ativa tributária; certidões negativas. O ilícito tributário: conceito; infrações fiscais; crimes tributários; evasão e elisão fiscal. O contencioso tributário: conceito; processo tributário administrativo; processo tributário judicial. Letra Financeira e outros títulos de crédito e instrumentos emitidos por instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para composição de seu patrimônio de referência (Lei nº 12.838, de 9 de julho de 2013).

 

Conhecimentos Específicos

 

Direito Constitucional

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: princípios fundamentais. Aplicabilidade das normas constitucionais: normas de eficácia plena, contida e limitada; normas programáticas. Controle de constitucionalidade das leis. Emenda, reforma e revisão constitucional. Ação direta de inconstitucionalidade. Ação declaratória de constitucionalidade. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos; direitos sociais; direitos de nacionalidade; direitos políticos; partidos políticos. Organização político- -administrativa do Estado: Estado federal brasileiro, União, estados, Distrito Federal, municípios e territórios. Administração pública: disposições gerais; servidores públicos. Poder Executivo. Presidente, Vice-Presidente da República e Ministros de Estado. Atribuições e responsabilidades. Poder regulamentar e medidas provisórias. Poder Legislativo: estrutura, funcionamento e atribuições; processo legislativo; fiscalização contábil, financeira e orçamentária; comissões parlamentares de inquérito. Poder Judiciário: disposições gerais; órgãos do Poder Judiciário: organização e competências; Conselho Nacional de Justiça: composição e competências. Funções essenciais à Justiça: Ministério Público; advocacia pública; defensoria pública. Finanças Públicas. Normas gerais. Orçamento público. Ordem econômica e financeira. Atividade econômica do Estado. Princípios das atividades econômicas, propriedades da ordem econômica.

Direito Administrativo

Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes, natureza e fins. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização administrativa da União; administração direta e indireta. Entidades paraestatais. Agentes públicos: classificação; poderes, deveres e prerrogativas; cargo, emprego e função públicos; regime jurídico único: provimento, vacância, remoção, redistribuição e substituição; direitos e vantagens; regime disciplinar; responsabilidade civil, criminal e administrativa. Processo administrativo disciplinar, sindicância e inquérito. Poderes administrativos: hierárquico; disciplinar; regulamentar; poder de polícia; Ato administrativo: validade, eficácia; atributos; extinção, desfazimento e sanatória; classificação, espécies e exteriorização; vinculação e discricionariedade. Serviços Públicos: conceito, classificação, regulamentação e controle; forma, meios e requisitos; delegação: concessão, permissão, autorização. Direitos do usuário. Regulação estatal. Agências Reguladoras: autonomia, organização, funcionamento e competências. Poder regulamentar das Agências Reguladoras. Contrato de concessão de serviço público: características, conceito, efeitos trilaterais, intervenção, extinção, equilíbrio econômico-financeiro, política tarifária. Prestação do serviço adequado. Direitos e deveres do concessionário, do poder concedente e do usuário. Responsabilidade extracontratual dos concessionários. Parcerias Público-Privadas. Controle externo de desestatização e de regulação. Constituição Federal. Lei nº 9.491/1997. Decreto nº 2.594/1998. Lei nº 11.079/2004. Controle e responsabilização da administração: controle administrativo; controle judicial; controle legislativo; responsabilidade civil do Estado. Lei nº 8.429/1992. Processo Administrativo. Normas básicas no âmbito da Administração Federal (Lei nº 9.784/1999). Licitação: conceito, finalidades, princípios e objeto. Obrigatoriedade, dispensa, inexigibilidade e vedação. Modalidades. Procedimento, revogação e anulação. Sanções. Normas gerais de licitação. Contratos administrativos: conceito, peculiaridades e interpretação. Formalização, execução, inexecução, revisão e rescisão.

Contabilidade Geral

Princípios Contábeis Fundamentais (aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade pela Resolução CFC n.º 750/1993, atualizada pela Resolução CFC nº 1.282/2010. Deliberação CVM nº 29, de 05/02/86: estrutura conceitual básica da Contabilidade. Principais grupos usuários das demonstrações contábeis. As responsabilidades da administração da entidade e do auditor independente. O parecer do auditor independente. NBC T 11 – Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis. Diferença entre regime de competência e regime de caixa. Informações sobre origem e aplicação de recursos. Patrimônio. Componentes patrimoniais: Ativo, Passivo e Situação Líquida (ou Patrimônio Líquido). Equação fundamental do Patrimônio. Fatos contábeis e respectivas variações patrimoniais. Conta: conceito. Débito, crédito e saldo. Função e estrutura das contas. Contas patrimoniais e de resultado. Balancete de verificação. Apuração de resultados. Controle de estoques e do custo das vendas. Escrituração. Sistema de partidas dobradas. Escrituração de operações típicas. Livros de escrituração: Diário e Razão. Erros de escrituração e suas correções. Balanço patrimonial: obrigatoriedade e apresentação. Conteúdo dos grupos e subgrupos. Classificação das contas. Critérios de avaliação do Ativo e do Passivo. Avaliação de investimentos. Levantamento do Balanço de acordo com a Lei nº 6.404/1976 (Lei das Sociedades por Ações). Demonstração do resultado do exercício: estrutura, características e elaboração de acordo com a Lei nº 6.404/1976. Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados: forma de apresentação de acordo com a Lei nº 6.404/1976. 17 Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido: forma de apresentação de acordo com a Lei nº 6.404/1976. Relatório Anual da Administração. Notas explicativas às demonstrações contábeis. Conselho fiscal: competência, deveres e responsabilidades, de acordo com a Lei nº 6.404/1976. 19 Demonstração de Fluxos de Caixa: métodos direto e indireto. Aspectos contratuais da Contabilidade. Relação Agente e Principal.

Contabilidade de Custos

Sistemas de custos: terminologia aplicada à Contabilidade de Custos, terminologia em entidades não industriais. Classificação de custos. Custos diretos: custos fixos e variáveis. Distinção entre custos e despesas. Custos indiretos: alocação e determinação da base para alocação. Custos indiretos: custos fixos e variáveis. Métodos de custeio: por absorção, direto ou variável e ABC (Custeio Baseado por Atividades). Definição, principais características, diferenciação, vantagens e desvantagens de cada método.

Controle Interno e Externo

Tribunais de Contas: natureza jurídica dos Tribunais de Contas, natureza jurídica e eficácia das decisões dos Tribunais de Contas; alcance da fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial. O Tribunal de Contas do Distrito Federal (Lei Complementar nº 1/1994): natureza, competência, jurisdição e julgamento de contas. Processo de tomada e prestação de contas, processo de tomada de contas especial (Resolução nº 102/1998-TCDF) e controle de atos de pessoal. O sistema de controle interno do Poder Executivo do Distrito Federal: competências constitucionais (art. 74 da Constituição Federal de 1988 e art. 80 da Lei Orgânica do Distrito Federal), organização (Lei nº 830/1994, Lei nº 3.105/2002, Lei nº 3.163/2003 e Decreto nº 29.965/2009). Relação entre o Tribunal de Contas e o órgão de controle interno do Poder Executivo. Conselho Nacional dos Órgãos de Controle Interno dos Estados e do Distrito Federal – CONACI: objetivos e competências.

Administração Financeira e Orçamentária

Funções do Governo. Falhas de mercado e produção de bens públicos. Políticas econômicas governamentais (alocativa, distributiva e estabilizadora). Federalismo Fiscal. Orçamento público: conceitos e princípios. Evolução conceitual do orçamento público. Orçamento-Programa: fundamentos e técnicas. Orçamento público no Brasil: Títulos I, IV, V e VI da Lei nº 4.320/1964. Orçamento na constituição de 1988: Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Lei Orçamentária Anual (LOA). Leis de Créditos Adicionais.  Plano Plurianual (PPA): estrutura, base legal, objetivos, conteúdo, tipos de programas. Decreto nº 2.829/1998. Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO): objetivos, Anexos de Metas Fiscais, Anexos de Riscos Fiscais, critérios para limitação de empenho. Classificações orçamentárias. Classificação da despesa pública: institucional, funcional, programática, pela natureza. Classificação da receita pública: institucional, por categorias econômicas, por fontes. Ciclo orçamentário: elaboração da proposta, discussão, votação e aprovação da lei de orçamento. Execução orçamentária e financeira: estágios e execução da despesa pública e da receita pública. Programação de desembolso e mecanismos retificadores do orçamento. Conta Única do Tesouro Nacional: conceito e previsão legal. Gestão organizacional das finanças públicas: sistema de planejamento e orçamento e de programação financeira constantes da Lei nº 10.180/2001. Tópicos selecionados da Lei Complementar nº 101/2000: princípios, conceitos, planejamento, renúncia de receitas, geração de despesas, transferências voluntárias, destinação de recursos para o setor privado, transparência da gestão fiscal, prestação de contas e fiscalização da gestão fiscal.

 

Conhecimentos Especializados

 

Economia e Finanças Públicas

Conceitos básicos de micro e macroeconomia. Funções do Governo. Papel do Governo na economia: estabilização econômica, promoção do desenvolvimento e redistribuição de renda. A função do Bem-Estar: políticas alocativas, distributivas e de estabilização. Bens públicos, semipúblicos e privados. Necessidades de financiamento do setor público. Agregados Macroeconômicos: as identidades macroeconômicas básicas; o sistema de Contas Nacionais; as Contas Nacionais no Brasil. O Balanço de Pagamentos no Brasil. Agregados Monetários. As contas do Sistema Monetário. Conceito de Déficit e Dívida Pública. Financiamento do déficit. Economia da dívida pública. Política fiscal. Política Cambial. Comportamento das contas públicas e financiamento do déficit público no Brasil. Distribuição de renda. Desigualdades regionais. Indicadores sociais. Política Monetária. Relação entre taxas de juros, inflação, resultado fiscal e nível de atividade. A oferta e demanda agregada. Limite constitucional estadual e legal. O financiamento dos gastos públicos – tributação e equidade. Incidência tributária. Princípios teóricos da tributação. Tipos de tributos. Progressividade, regressividade e neutralidade. Orçamento público e os parâmetros da política fiscal. Orçamento e gestão das organizações do setor público. Características básicas de sistemas orçamentários modernos: estrutura programática, econômica e organizacional para alocação de recursos (classificações orçamentárias), mensuração de desempenho e controle orçamentário. Avaliação de políticas públicas e programas governamentais: referencial teórico, conceitos básicos e tipos de avaliação, técnicas de avaliação e monitoramento da despesa pública, avaliação de políticas públicas, utilização de indicadores, análise de custo benefício.

Contabilidade Pública

Contabilidade pública: campo de aplicação, objeto e objetivos. Título IX da Lei n.º 4.320/1964. Tópicos selecionados da Lei Complementar nº 101/2000: conceitos de dívida pública e restos a pagar, escrituração e consolidação das contas. Gestão organizacional da contabilidade pública no Brasil: papéis da Secretaria do Tesouro Nacional e dos órgãos setoriais de Contabilidade constantes da Lei nº 10.180/2001. Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI): conceito, objetivos, usuários e segurança do sistema (princípios e instrumentos). Balanço patrimonial de acordo com a Lei nº 4.320/1964: estrutura, características dos ativos e passivos e das contas de compensação. Balanço orçamentário de acordo com a Lei nº 4.320/1964: estrutura, características das receitas e despesas orçamentárias. Interpretação do resultado orçamentário. Relatório resumido da execução orçamentária a que se refere à Lei Complementar nº 101/2000: estrutura, composição. Demonstração das variações patrimoniais, de acordo com a Lei nº 4.320/1964: estrutura, características das interferências, mutações, superveniências e insubsistências. Receitas e despesas efetivas e não-efetivas. Interpretação do resultado patrimonial. Balanço financeiro de acordo com a Lei nº 4.320/1964: estrutura, características das receitas e despesas extraorçamentárias.  Interpretação do resultado financeiro. Relatório de gestão fiscal de acordo com a Lei Complementar nº 101/2000: estrutura, composição.

Auditoria Governamental (especialidade Finanças e Controle)

Conceito, evolução. Auditoria interna e externa: papéis. Auditoria governamental segundo a INTOSAI (International Organization of Supreme Audit Institutions). Auditoria interna segundo o IIA (Institute of Internal Auditors). Governança no setor público. Papel e importância. Controles internos segundo o COSO I e o COSO II – ERM (Enterprise Risk Management). Normas internacionais para o exercício profissional da auditoria. Normas da INTOSAI: código de ética e padrões de auditoria. Normas do IIA: independência, proficiência e zelo profissional, desenvolvimento profissional contínuo. Normas de auditoria do TCU (Portaria-TCU nº 280/2010). Auditoria de regularidade e auditoria operacional. Instrumentos de fiscalização: auditoria, levantamento, monitoramento, acompanhamento e inspeção. Planejamento de auditoria. Plano de auditoria baseado no risco. Atividades preliminares. Determinação de escopo. Materialidade, risco e relevância. Exame e avaliação do controle interno. Risco inerente, de controle e de detecção. Matriz de Planejamento. Programa de auditoria. Papéis de trabalho. Testes de auditoria. Importância da amostragem estatística em auditoria. Execução da auditoria. Técnicas e procedimentos: exame documental, inspeção física, conferência de cálculos, observação, entrevista, circularização, conciliações, análise de contas contábeis, revisão analítica, exame documental, inspeção física, conferência de cálculos, observação, entrevista, circularização, conciliações, análise de contas contábeis, revisão analítica.  Evidências. Caracterização de achados de auditoria. Matriz de Achados e Matriz de Responsabilização. Comunicação dos resultados: relatórios de auditoria. Monitoramento. Supervisão e Controle de Qualidade. Procedimentos em processos de prestação de contas da Administração Pública Federal. Peças e conteúdos do processo de contas e do relatório de gestão, conforme disposto na IN n.º 63/2010.

Planejamento e Orçamento (especialidade Planejamento e Orçamento

Objetivos, metas, abrangência e definição de Finanças Públicas. Classificação das Receitas e Despesas Públicas segundo a finalidade, natureza e agente. Hipóteses teóricas do crescimento das despesas públicas. O financiamento dos gastos públicos – tributação e equidade. Incidência tributária. Déficit Público. Federalismo fiscal. Processo e etapas de intervenção do Governo na economia brasileira. Orçamento na Constituição Federal: Plano Plurianual, Lei de Diretrizes Orçamentárias e Lei Orçamentária Anual. Orçamento público: conceitos e elementos básicos do orçamento público, orçamento tradicional, orçamento de base zero, orçamento de desempenho, orçamento-programa. Objetivos da política orçamentária. Classificação e conceituação da receita orçamentária. Classificação e conceituação da despesa orçamentária. Manual Técnico do Orçamento 2014. Integração planejamento e orçamento – Decreto nº 2.829, de 29/10/98 e Portaria MPOG nº 42, de 14/04/99.

 

Como funciona o curso de formação?

 

O curso de formação, de caráter classificatório e eliminatório, terá a duração de 160  horas/aulas. As aulas serão ministradas de segunda a sexta-feira, podendo, ainda, estender-se aos sábados, domingos e feriados e em período noturno.

O candidato convocado, mediante o edital específico, deverá efetuar a matrícula para curso de formação e providenciar a entrega de documentação solicitada.

Ao fim do curso, será aplicada prova de verificação de aprendizagem, composta de 50 questões de múltipla escolha, com o peso de 1,00 ponto para cada questão, que avaliará as habilidades e os conhecimentos do candidato, conforme as disciplinas e conteúdos ministrados nas aulas.

 

Qual a data da prova objetiva?

 

Ainda não há informações consolidadas sobre datas das provas no concurso CGDF.

 

Qual a banca?

 

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades. Estando por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

O último concurso CGDF foi realizado pela Fundação Universa. Veja a análise completa sobre as principais bancas examinadoras de todo o país:

Clique no nome da instituição e saiba mais:

 

Como se preparar?

 

A preparação é a parte mais importante da jornada até a aprovação em um concurso público. É preciso ter em mente que são horas e mais horas de estudos, leituras, exercícios e revisão. Para obter bons resultados, só com muita disciplina e foco.

O primeiro passo, é obter todas as informações sobre o concurso (prazos, disciplinas pedidas, banca examinadora, etc) lendo com muita atenção o edital. Depois, é fundamental planejar seus estudos da forma que melhor funcione com você.

Para lhe ajudar nesse caminho, temos o post como montar um cronograma de estudos perfeito para sua rotina.

 

Quais as melhores apostilas?

 

Há pessoas que obtêm ótimos resultados estudando sozinhas, outras precisam de ajuda e investem em um curso preparatório. Se você optou por um voo solo, saiba que as apostilas serão suas melhores amigas. Por isso, é fundamental saber quais as mais conceituadas disponíveis no mercado. Se forem específicas para o concurso pretendido, tanto melhor!

Uma das mais completas é do Estratégia Concursos, que é também um dos melhores cursos do país. A apostila do Estratégia é direcionada para o concurso CGDF, com todos os conteúdos solicitados em todas as disciplinas.

Outra ótima opção é o Gran Cursos Online. Igualmente, tem material vasto para download, totalmente direcionado para o concurso CGDF. No Gran você ainda pode contratar um plano de assinatura que dá acesso a todos os mais de 7 mil cursos disponíveis na plataforma.

Muitas pessoas acreditam que estudar por apostila não é tão efetivo, mas as que indicamos aqui são realmente boas. No entanto, claro, tudo vai depender do quanto você se dedicar aos estudos. Pode ser um desafio ainda maior, mas é possível ser aprovado estudando por apostilas!

Confira também nosso post completo sobre as melhores apostilas para concursos.

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

 

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. É sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a sua área de atuação.

O  Estratégia Concursos, por exemplo, tem um curso direcionado para o concurso CGDF. Além disso, o Estratégia tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, conta com um material de qualidade e professores renomados.

 

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. Da mesma forma, tem material completo, com videoaulas, e professores de primeira linha.

Ainda tem dúvidas? Aproveite para conferir nosso ranking completo com os melhores cursos preparatórios para concursos.

 

Curso Gran concurso CGDF

 

Quais as melhores técnicas para estudar?

 

Há diversas técnicas que podem potencializar seu aprendizado, como a pomodoro e a de ciclo de estudos. Você também pode estudar com flash cards ou mapas mentais. O ideal é experimentar cada uma delas e ver com qual se adapta melhor.

Para lhe ajudar na escolha, reunimos todas as informações no post com as 16 melhores técnicas e métodos de estudos para concursos públicos.

 

Como estudar por questões?

 

De todas a técnicas, a mais utilizada pelos concurseiros é, com certeza, a de estudo por questões. O método ajuda revisar a matéria e fixar o conteúdo. Com isso, também torna o estudo mais efetivo e acelera a aprovação!

Para saber como funciona a técnica e aplicá-la na sua preparação, acesse o post completo que fizemos sobre o assunto.

Provas anteriores concurso CGDF

 

Qual a previsão de próximo concurso?

 

Para acompanhar a evolução do edital do concurso CGDF, acesse nossa seção de concursos previstos. E para ler as notícias sobre os principais editais do país em andamento, fique de olho na seção de concursos abertos.

Não perca sua chance!

 

Checklist do candidato

 

Para saber se você tem mesmo o perfil do candidato para o concurso CGDF, faça uma rápida checklist:

  • Ter formação de Nível Superior.
  • Ter disponibilidade para mudar de cidade.
  • Ter empenho e determinação.
  • Buscar estabilidade financeira e profissional.

 

O concurso CGDF ainda não tem data definida, mas é bom ficar de olho nas novidades. Logo deve haver novas informações. Até lá, acompanhe tudo do mundo concurseiro também nas nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

 

Conte com a gente e bons estudos!

ASSINATURA ILIMITADA DO GRANCOM MAIS DE 80% DE DESCONTO
(pouco tempo!)

CLIQUE AQUI PARA PEGAR SEU CUPOM

Prontinho, agora você tem acesso a todo material grátis.