Autorizado desde o fim do primeiro semestre de 2018, o concurso GGE CE ainda aguarda definições da comissão interna para a escolha da banca. Mas, em breve, deve haver novas informações sobre a aguardada seleção da Controladoria Geral do Estado do Ceará.

O concurso deve oferecer 25 vagas para Auditor de Controle, com exigência de Nível Superior e salário inicial podendo chegar a R$ 17 mil.

Interessou?

Prepare-se para saber tudo sobre o concurso CGE CE: atribuições da carreira, salário, chances de crescimento, lotação, conteúdo das provas, banca examinadora e dicas para agilizar sua aprovação.

Não perca mais tempo: leia agora!

 

Principais informações sobre o Concurso CGE CE

 

Quais as carreiras e atribuições?

A carreira ofertada no concurso CGE CE é a de Auditor de Controle Interno. Ainda não se sabe em quais áreas haverá oportunidades, no entanto, as atribuições do cargo, de maneira geral, são:

  • Cumprimento das metas estabelecidas no Plano Plurianual e na Lei de Diretrizes Orçamentárias e a execução dos programas de Governo e dos orçamentos do Estado
  • Gestão orçamentária, financeira, operacional e patrimonial dos órgãos e entidades do Estado, da aplicação de subvenções e renúncia de receita, bem como da aplicação de recursos públicos por pessoas físicas e entidades de direito privado;
  • Operações de crédito, avais, garantias, contra garantias, direitos e haveres do Estado
  • Execução de contratos de gestão com órgãos públicos, empresas estatais, organizações não governamentais e empresas privadas prestadoras de serviço público concedido ou privatizado;
  • Arrecadação e gestão das receitas, bem como sobre renúncias e incentivos fiscais;
  • Tomadas e prestações de contas de quaisquer responsáveis por órgãos da Administração Direta e dos dirigentes das entidades da Administração Indireta, inclusive fundações públicas;
  • Controle social sobre os programas contemplados com recursos do orçamento do Estado, mediante ações de educação social voltadas para uma gestão democrática e participativa; processos relativos à assunção de obrigações financeiras e à liberação de recursos;
  • Cumprimento dos contratos, convênios, acordos, ajustes e de outros atos de que resulte o nascimento ou a extinção de direitos e obrigações do Estado, e a sua conformidade com as normas e princípios administrativos;
  • Apoio e orientação prévia aos gestores de recursos públicos para a correta execução orçamentária, financeira e patrimonial do Poder Executivo Estadual;
  • Produção e fornecimento de informações gerenciais a partir do acompanhamento da gestão fiscal do Poder Executivo Estadual; XVI. da padronização das atividades primárias e de apoio dos Sistemas de Controle Interno, Ouvidoria, Ética e Transparência.

 

Qual o nível de formação exigido?

Para se candidatar a uma vaga no concurso CGE CE, é preciso formação de Nível Superior em qualquer área, com diploma expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

 

Qual o período de inscrição e valor da taxa?

Ainda não há informações consolidadas sobre valores e datas do concurso SGE CE.

 

Qual o salário?

A remuneração inicial para o cargo de Auditor de Controle Interno ainda não foi confirmada, mas estima-se que possa chegar a R$ 17 mil líquidos, sendo composta de:

  • Vencimento básico
  • Gratificação pelo desempenho na função de auditoria (30% do vencimento básico até a primeira avaliação e até 60% do vencimento básico nas avaliações seguintes)
  • Gratificação por titulação (percentual adicionado ao vencimento básico):
    • 15% para o título de Especialista
    • 30% para o título de Mestre
    • 60% para o título de Doutor

 

Qual a lotação?

Os aprovados no concurso CGE CE serão lotados na sede da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará, na capital Fortaleza.

 

Qual a jornada de trabalho?

A jornada de trabalho de um Auditor de Controle Interno na CGE CE é de 40 horas semanais.

 

Como é o dia a dia da função?

A função de Auditor de Controle Interno requer muita seriedade e comprometimento, uma vez que o profissional atua como um supervisor das atividades do órgão. No dia a dia, se envolve em diversas tarefas referentes a auditorias e inspeções internas, a fim de fiscalizar questões financeiras, patrimoniais e orçamentárias do órgão.  

 

Quais as chances de crescimento na carreira?

O crescimento na carreira do Auditor de Controle Interno se dá em classes (A, B, C e D) e referências (5 por classe).

O desenvolvimento ocorre mediante progressão funcional e promoção.

Progressão é a passagem do servidor de uma referência para outra imediatamente superior dentro da faixa de vencimento da mesma classe, obedecidos os critérios de desempenho ou antiguidade e o cumprimento do prazo de um ano.

Promoção é a passagem do servidor de uma classe para outra imediatamente superior dentro da mesma carreira, e observará o preenchimento de uma série de requisito, como o desempenho do servidor em relação ao cumprimento de metas.

 

Quantas são as vagas?

Espera-se que o concurso CGE oferte 25 vagas para o cargo de Auditor de Controle Interno.

 

Como foi a concorrência do último concurso?

O último concurso CGE CE foi realizado em 2013, quando ofereceu 18 vagas para o cargo de Auditor de Controle Interno — nas especialidades de Auditoria Governamental de Processos com Foco em Riscos (8), Auditoria em Obras Públicas (6) e Auditoria em Tecnologia da Informação (4).

Na ocasião, houve um total de 1.384 inscritos, em uma média de 76,88 candidatos por vaga.

No entanto, é importante você ter em mente que apenas cerca de 10% desse total representa a concorrência real.

Isso porque a maioria das pessoas não se prepara adequadamente para concursos públicos, com dedicação e foco no edital. Outros tantos, ainda, não vão comparecer no dia prova, entrando para o índice de abstenção, que, de maneira geral, fica em torno de 30%.

Então, não precisa se alarmar. É hora de apostar no que vai realmente fazer a diferença na caminhada até a aprovação: sua preparação!

É ela que vai lhe colocar à frente dos demais candidatos.

 

Quais as etapas do edital?

O edital do concurso CGE CE deve contar com duas fases:


1ª fase

  • Composta por duas provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório

 

2ª fase

  • 1ª etapa: Curso de Formação e Treinamento Profissional (eliminatório e classificatório), com duração de 160 horas/aula
  • 2ª etapa: avaliação psicológica (eliminatória)
  • 3º etapa: avaliação de títulos (classificatória)

 

Como são as provas?

As provas objetivas da primeira fase do concurso CGE CE se dividem da seguinte maneira:

P1 (Conhecimentos Gerais)

Comum à todas as áreas, versando sobre as disciplinas de:

P2 (Conhecimentos Específicos): referente a cada uma das áreas de especialidade.

No último concurso do órgão para o cargo de Auditor de Controle Interno, realizado em 2013, as provas foram aplicadas no mesmo dia e turno, com duração de 4h30.

Essa fase contou com 100 questões objetivas de múltipla escolha com quatro alternativas e apenas uma correta. A avaliação de Conhecimentos Gerais foi composta por 60 questões e a de Conhecimentos Específicos, 40.

O valor total da P1 foi de 60 pontos, enquanto que da P2 foi de 120 pontos. Para ser habilitado para a próxima fase, o candidato deveria alcançar o aproveitamento mínimo de 50% em cada uma delas, não podendo zerar em nenhuma disciplina.

Foram convocados para o Curso de Formação, os candidatos classificados até três vezes o número de vagas oferecidas, respeitados os empates, nas listas de ampla concorrência e de reserva de vagas para PCDs.

 

Qual o conteúdo programático?

Veja quais os tópicos solicitados em cada uma das disciplinas de Conhecimentos Gerais, que são comuns a todas as áreas.

 

Língua Portuguesa

Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. Domínio da ortografia oficial: emprego das letras; emprego da acentuação gráfica. Domínio dos mecanismos de coesão textual: emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual; emprego/correlação de tempos e modos verbais. Domínio da estrutura morfossintática do período: relações de coordenação entre orações e entre termos da oração; relações de subordinação entre orações e entre termos da oração; emprego dos sinais de pontuação; concordância verbal e nominal; emprego do sinal indicativo de crase; colocação dos pronomes átonos. Reescritura de frases e parágrafos do texto: substituição de palavras ou de trechos de texto; retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade.

 

Conhecimento Lógico-Quantitativo e Analítico

Noções de Lógica. Estruturas e diagramas lógicos. Princípios aditivo e multiplicador da contagem. Arranjos, permutações e combinações. Análise de argumentos, suposições e inferências.

 

Direito Constitucional

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: princípios fundamentais. Aplicabilidade das normas constitucionais: normas de eficácia plena, contida e limitada. Normas programáticas. Controle de constitucionalidade das leis. Emenda, reforma e revisão constitucional. Ação direta de inconstitucionalidade. Ação declaratória de constitucionalidade. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos; direitos sociais; direitos de nacionalidade; direitos políticos; partidos políticos. Organização político-administrativa do Estado: Estado Federal Brasileiro, União, estados, Distrito Federal, municípios. Administração pública: disposições gerais; servidores públicos. Poder Executivo: Presidente, Vice-Presidente da República e Ministros de Estado. Atribuições e responsabilidades. Poder regulamentar e medidas provisórias. Poder Legislativo: estrutura, funcionamento e atribuições; processo legislativo; fiscalização contábil, financeira e orçamentária; comissões parlamentares de inquérito. Poder Judiciário: disposições gerais; órgãos do Poder Judiciário: organização e competências; Conselho Nacional de Justiça: composição e competências. Funções essenciais à Justiça: Ministério Público; Advocacia Pública; Defensoria Pública. Finanças Públicas: normas gerais; orçamento público. Ordem econômica e financeira. Atividade econômica do Estado. Princípios das atividades econômicas, propriedades da ordem econômica. Emenda nº75/2012 à Constituição Estadual de 1989, de 20 de dezembro de 2012.

 

Direito Administrativo

Conceito, objeto e fontes do Direito Administrativo. Regime Jurídico-Administrativo: princípios constitucionais do Direito Administrativo brasileiro. Organização administrativa do Estado: administração direta e indireta; autarquias, fundações públicas; empresas públicas; sociedades de economia mista; entidades paraestatais; Lei Estadual nº13.875/2007, de 07 de fevereiro de 2007, e suas alterações posteriores. Atos administrativos: conceito, requisitos, elementos, pressupostos e classificação. Vinculação e discricionariedade. Revogação e invalidação. Licitação (Lei Federal nº8.666, de 21/06/1993 e suas alterações): conceito, finalidades, princípios e objeto; obrigatoriedade, dispensa, inexigibilidade e vedação; modalidades; procedimento, revogação e anulação; sanções; normas gerais de licitação. Lei Federal nº12.462 (Regime Diferenciado de Contratações Públicas), de 05 de agosto de 2011, e suas alterações posteriores. Contratos administrativos: conceito, peculiaridades e interpretação. Formalização. Execução. Inexecução, revisão e rescisão. Agentes Públicos: servidores públicos; organização do serviço público; normas constitucionais concernentes aos servidores do serviço públicos; direitos e deveres dos servidores públicos; responsabilidades dos servidores públicos; processo administrativo disciplinar, sindicância e inquérito; Lei Estadual nº9.826, de 14 de maio de 1974, com alterações posteriores; Lei Estadual nº13.325, de 14 de julho de 2003, com suas alterações posteriores. Serviços públicos: conceito e classificação; regulamentação e controle; requisitos do serviço e direitos do usuário; competências para prestação do serviço; serviços delegados a particulares; concessões, permissões e autorizações; convênios e consórcios administrativos. Domínio público: conceito e classificação dos bens públicos; administração, utilização e alienação dos bens públicos; imprescritibilidade, impenhorabilidade e não oneração dos bens públicos; aquisição de bens pela Administração; terras públicas; águas públicas; jazidas; florestas; fauna; espaço aéreo; patrimônio histórico; proteção ambiental. Responsabilidade civil da Administração: evolução doutrinária; responsabilidade civil da Administração no Direito brasileiro; ação de indenização; ação regressiva. Processo Administrativo; normas básicas no âmbito da Administração Estadual (Lei Estadual nº9.826, de 14 de maio de 1974 e suas alterações).

 

Administração e Políticas Públicas

Poder e dominação; cultura e organizações; o poder nas organizações. Estado: Conceito e evolução do Estado moderno; conceitos fundamentais do direito público e o funcionamento do Estado; estado, governo e aparelho de Estado; o aparelho de Estado nas democracias liberais. A crise do Estado contemporâneo; o Estado de Bem-estar social: evolução e crise; transformações do papel do Estado nas sociedades contemporâneas e no Brasil. Weber e a burocracia; o paradigma burocrático e o paradigma gerencial na gestão pública. Sistemas de governo; governabilidade e governança; intermediação de interesses (clientelismo, corporativismo e neocorporativismo). Estado unitário e Estado federativo; relações entre esferas de governo e regime federativo. Direito civis, direitos políticos e direitos sociais; a emergência da questão social como campo de intervenção do Estado; política de combate à pobreza: possibilidades e limitações; desigualdades socioeconômicas da população brasileira. Políticas públicas: formação da agenda governamental, processos decisórios e problemas da implementação. O Sistema de Freios e Contrapesos: autotutela; Controle Interno, Controle Externo, o papel da CGE; accountability horizontal; revisão jurisdicional dos atos administrativos. Governança e Administração Pública: orçamento, planejamento, análises governamentais e organizacionais, inovação, governança de organizações públicas; parcerias com o setor privado e com o terceiro setor. Governo eletrônico. Transparência da administração pública. Cidadania e Controle Social. Lei Federal nº12.527, de 18 de Novembro de 2011; Lei Estadual nº15.175, de 28 de junho de 2012.

 

Direito Financeiro

As necessidades públicas e a atividade financeira do Estado. Normas gerais de direito financeiro. Receita pública; receitas e entradas; classificação das receitas; receitas derivadas; receita tributária; repartição das receitas tributárias; multas; receitas originárias; teoria dos preços; taxa e preço público. Despesa pública: conceito e características; espécies; regime jurídico; Lei Federal nº4.320/64 e suas alterações. Orçamento: conceito; origem; regime jurídico do orçamento público; direito constitucional orçamentário; princípios orçamentários; leis orçamentárias; orçamento na Lei Federal Nº4.320/64; tramitação legislativa. Fiscalização financeira e orçamentária; tipos de controle; controle interno; controle externo; precatórios judiciais; os tribunais de contas. Crédito público: noções fundamentais; natureza jurídica; empréstimos públicos e suas espécies; limites do crédito público. Lei de Responsabilidade Fiscal. 9. Lei Complementar Estadual nº119/ 2012, de 28 de dezembro de 2012.

 

Auditoria Governamental de Processos com Foco em Riscos

Governança e análise de risco. Governança no setor público. O papel da auditoria na estrutura de governança. Estrutura conceitual de análise de risco (COSO). Elementos de risco e controle. Aplicação da estrutura conceitual de análise de risco. O papel das normas de auditoria. Normas internacionais para o exercício profissional da auditoria interna. Definição de auditoria interna, independência, proficiência e zelo profissional, desenvolvimento profissional contínuo, programa de garantia de qualidade, planejamento, execução do trabalho de auditoria, comunicação de resultados, monitoramento do progresso, resolução da aceitação dos riscos pela administração. Normas vigentes de auditoria independente das demonstrações contábeis emanadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Normas da INTOSAI: Declaração de Lima. Código de ética e padrões de auditoria. Auditoria no setor público estadual. Finalidades e objetivos da auditoria governamental. Abrangência de atuação. Formas e tipos. Normas relativas à execução dos trabalhos. Normas relativas à opinião do auditor. Relatórios e pareceres de auditoria. Operacionalidade. Prática de auditoria governamental: administração da função de auditoria; necessidade de definição de propósitos, autoridade e responsabilidade; procedimentos e políticas; controle de qualidade em auditoria. Planejamento. Missão/ papel/produtos da função de auditoria no contexto governamental. Programas de auditoria. Papéis de trabalho. Testes de auditoria. Amostragem estatística em auditoria. Eventos ou transações subsequentes. Revisão analítica. Entrevista. Conferência de cálculo. Confirmação. Interpretação das informações. Observação. Procedimentos de auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis. Tipos de auditoria: auditoria de conformidade; auditoria operacional; auditoria de demonstrações contábeis; auditoria de sistemas financeiros; atividades de estudo e consultoria; atividades de detecção de fraude. Metodologias e habilidades em auditoria governamental: mensuração de desempenho; avaliação de programas; métodos estatísticos e analíticos (revisão analítica, amostragem, regressão linear simples e múltipla). Métodos qualitativos: entrevistas, questionários e fluxogramação. Técnicas de coleta de dados e pesquisas. Habilidades analíticas (distinção entre informações significantes e insignificantes). Processo de apresentação do trabalho de auditoria: auditoria como um projeto; práticas de avaliação de risco e controle; o trabalho de execução; comunicação dos resultados; monitoramento.

 

Administração Financeira e Orçamentária

Funções do Governo; falhas de mercado e produção de bens públicos; políticas econômicas governamentais (alocativa, distributiva e estabilizadora); federalismo fiscal. Orçamento público: conceitos e princípios, evolução conceitual do orçamento público; orçamento programa: fundamentos e técnicas; regime jurídico do orçamento público; orçamento público no Brasil (Títulos I, IV, V e VI da Lei Federal nº4.320/1964 e suas alterações; orçamento na Constituição de 1988; Plano Plurianual – PPA; Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO; Lei Orçamentária Anual – LOA; leis de Créditos Adicionais). Plano Plurianual (PPA): estrutura, base legal, objetivos, conteúdo, tipos de programas. Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO): objetivos, Anexos de Metas Fiscais, Anexos de Riscos Fiscais, critérios para limitação de empenho. Lei Orçamentária Anual (LOA): orçamento fiscal; orçamento de investimento; orçamento da seguridade social. Classificações orçamentárias; classificação da despesa pública: institucional, funcional, programática, pela natureza; classificação da receita pública: institucional, por categorias econômicas, por fontes. Ciclo orçamentário: elaboração da proposta, discussão, votação e aprovação da lei de orçamento; execução orçamentária e financeira: estágios e execução da despesa pública e da receita pública; programação de desembolso e mecanismos retificadores do orçamento. Tópicos selecionados da Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº101/2000): princípios, conceitos, planejamento, renúncia de receitas, geração de despesas, transferências voluntárias, destinação de recursos para o setor privado, transparência da gestão fiscal, prestação de contas e fiscalização da gestão fiscal.

 

Como funciona o Curso de Formação?

O Curso de Formação da Controladoria Geral do Estado tem duração de 160 horas/aula e é composto por oito disciplinas. Os candidatos que chegarem ao final do curso, e forem aprovados na Avaliação Psicológica, passam por uma prova objetiva com 80 questões, 10 por disciplina, e não pode ter nota inferior a 5 em cada uma das matérias.

Os candidatos que alcançarem as notas mínimas no curso estão aptos para apresentar a documentação comprobatória da avaliação de títulos.

 

Qual a data da prova objetiva?

Ainda não há informações consolidadas sobre prova e datas do concurso SGE CE.

 

Qual a banca?

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades. Estando por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

A banca responsável pelo Concurso CGE CE 2018 será o Cespe / Cebraspe, e para auxiliar na sua preparação, preparamos um artigo com todas as características dessa banca. Veja aqui.

 

Como se preparar?

A preparação é a parte mais importante da jornada até a aprovação em um concurso público. É preciso ter em mente que são horas e mais horas de estudos, leituras, exercícios e revisão. Para obter bons resultados, só com muita disciplina e foco.

O primeiro passo, é obter todas as informações sobre o concurso (prazos, disciplinas pedidas, banca examinadora, etc) lendo com muita atenção o edital. Depois, é fundamental planejar seus estudos da forma que melhor funcione com você.

Para lhe ajudar nesse caminho, temos o post como montar um cronograma de estudos perfeito para sua rotina.

 

Quais as melhores apostilas?

Há pessoas que obtêm ótimos resultados estudando sozinhas, outras precisam de ajuda e investem em um curso preparatório. Se você optou por um voo solo, saiba que as apostilas serão suas melhores amigas. Por isso, é fundamental saber quais as mais conceituadas disponíveis no mercado. Se forem específicas para o concurso pretendido, tanto melhor!

Uma das mais completas é do Estratégia Concursos, que é também um dos melhores cursos do país. A apostila do Estratégia é direcionada para o, com todos os conteúdos solicitados em todas as disciplinas do concurso CGE CE.

Outra ótima opção é o Gran Cursos Online. Igualmente, tem material vasto para download, totalmente direcionado para o concurso CGE CE. No Gran você ainda pode contratar um plano de assinatura que dá acesso a todos os mais de 7 mil cursos disponíveis na plataforma.

Muitas pessoas acreditam que estudar por apostila não é tão efetivo, mas as que indicamos aqui são realmente boas. No entanto, claro, tudo vai depender do quanto você se dedicar aos estudos. Pode ser um desafio ainda maior, mas é possível ser aprovado estudando por apostilas!

Confira também nosso post completo sobre as melhores apostilas para concursos.

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. É sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a sua área de atuação.

O  Estratégia Concursos, por exemplo, tem um curso direcionado para o concurso CGE CE. Além disso, o Estratégia tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, conta com um material de qualidade e professores renomados.

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. Da mesma forma, tem material completo, com videoaulas, e professores de primeira linha.

Ainda tem dúvidas? Aproveite para conferir nosso ranking completo com os melhores cursos preparatórios para concursos.

Curso Estratégia para concurso CGE CECurso Gran para concurso CGE CE

 

Quais as melhores técnicas para estudar?

Há diversas técnicas que podem potencializar seu aprendizado, como a pomodoro e a de ciclo de estudos. Você também pode estudar com flash cards ou mapas mentais. O ideal é experimentar cada uma delas e ver com qual se adapta melhor.

Para lhe ajudar na escolha, reunimos todas as informações no post com as 16 melhores técnicas e métodos de estudos para concursos públicos.

 

Como estudar por questões?

De todas as técnicas, a mais utilizada pelos concurseiros é, com certeza, a de estudo por questões. O método ajuda revisar a matéria e fixar o conteúdo. Com isso, também torna o estudo mais efetivo e acelera a aprovação!

Para saber como funciona a técnica e aplicá-la na sua preparação, acesse o post completo que fizemos sobre o assunto.

Provas anteriores concurso CGE CEEdital anterior concurso CGE CE

 

Qual a previsão de próximo concurso?

Para acompanhar a evolução do edital do concurso CGE CE, acesse nossa seção de concursos previstos. E para ler as notícias sobre os principais editais do país em andamento, fique de olho na seção de concursos abertos.

Não perca sua chance!

 

Checklist do candidato

Para saber se você tem mesmo o perfil do candidato para o concurso CGE CE, faça uma rápida checklist:

  • Ter formação de Nível Superior.
  • Ter disponibilidade para mudar de cidade.
  • Ter empenho e determinação.
  • Buscar estabilidade financeira e profissional.

Quem está de olho em uma das 25 vagas do concurso CGE CE deve dar aquele gás nos estudos, pois em breve o edital será lançado. Até lá, acesse nossas redes sociais para ficar por dentro das últimas notícias, ler manuais e análises completas e conhecer as melhores dicas de preparação.

Estamos no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Conte com a gente e bons estudos!

[Total: 0    Média: 0/5]