Está de olho em um dos muitos concursos de tribunais em todo o país? Saiba que cada um deles tem seus conteúdos e exigências específicas para os candidatos. No entanto, de maneira geral, a área do Direito é sempre muito cobrada.

Essas seleções são também muitos disputadas, uma vez que oferecem remuneração bastante atrativas para cargos de níveis Médio e Superior não apenas para graduados em Direito, mas também para profissionais em diversas áreas de apoio.

Vale destacar que, na esfera federal, os tribunais são: Supremo Tribunal Federal (STF), Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Tribunal Superior do Trabalho (TST), Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Superior Tribunal Militar (STM). Além dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TRE) e 24 Tribunais Regionais do Trabalho (TRT).

Já na esfera estadual são cinco Tribunais Regionais Federais (TRF), 27 Tribunais de Justiça (TJ) e três Tribunais de Justiça Militar.

Se você tem afinidade com a área e sonha em se tornar servidor de um órgão da Justiça, é bom começar logo a preparação, buscando saber tudo sobre as carreiras e o que precisa ser/ter para se candidatar.  

E se você já está nessa caminhada, confira por aqui dicas que vão turbinar seus estudos e os principais editais que devem ser lançados nos próximos meses.

Leia já!

Principais informações sobre concursos de tribunais

 

Quais as carreiras?

Antes de falarmos das carreiras de concursos em particular, é importante salientar que as funções do Judiciário são divididas entre:

Área Judiciária: que inclui os serviços realizados por bacharéis em Direito, abrange processamento de feitos, análise e pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência nos vários ramos do Direito, execução de mandados e elaboração de pareceres jurídicos.

Área de Apoio Especializado: que abrange os serviços que exigem dos titulares o registro no órgão fiscalizador do exercício da profissão ou o domínio de habilidades específicas.

Área Administrativa: que inclui serviços relacionados com recursos humanos, licitações e contratos, material e patrimônio, controle interno e auditoria, orçamento e finanças, entre outros.

Nas áreas Administrativa e de Apoio Especializado, as carreiras oferecidas são as de Auxiliar Judiciário, com exigência de Nível Fundamental, Técnico Judiciário, com exigência de Nível Médio (em várias áreas), Analista Judiciário e Oficial de Justiça Avaliador, ambas com exigência de formação de Nível Superior (em diversas especialidades e em Direito, respectivamente).

Veja quais as principais atribuições de cada uma delas:

 

Auxiliar Judiciário

Suporte técnico, judiciário e administrativo e apoio em geral ao órgão, atendimento ao público, manutenção e controle de processos, documentos, livros e arquivos, auxílio na expedição e recebimento de processos e documentos e demais atividades que relacionadas ao bom funcionamento do tribunal.

 

Analista Judiciário (área Judiciária)

Analisar petições e processos, confeccionar minutas de votos, emitir informações e pareceres; proceder a estudos e pesquisas na legislação, na jurisprudência e na doutrina pertinente para fundamentar a análise de processo e emissão de parecer; fornecer suporte técnico e administrativo aos magistrados, órgãos julgadores e unidades do Tribunal; inserir, atualizar e consultar informações em base de dados; verificar prazos processuais; atender ao público interno e externo; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Analista Judiciário (área Administrativa)

Tarefas relacionadas à administração de recursos humanos, materiais, patrimoniais, orçamentários e financeiros, de desenvolvimento organizacional, licitações e contratos, contadoria e auditoria; emitir informações e pareceres; elaborar, analisar e interpretar dados e demonstrativos; elaborar, implementar, acompanhar e avaliar projetos pertinentes à área de atuação; elaborar e aplicar instrumentos de acompanhamento, avaliação, pesquisa, controle e divulgação referentes aos projetos desenvolvidos; atender ao público interno e externo; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Analista Judiciário (apoio especializado)

Atividades de apoio especializado à área jurídica conforme área de atuação específica de Nível Superior; executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Técnico Judiciário (área administrativa)

Apoio técnico e administrativo de Nível Médio pertinente às atribuições das unidades organizacionais; executar tarefas de apoio à atividade judiciária conforme área de atuação específica; arquivar documentos; efetuar tarefas relacionadas à movimentação e à guarda de processos e documentos; atender ao público interno e externo; classificar e autuar processos; realizar estudos, pesquisas e rotinas administrativas; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Técnico Judiciário (apoio especializado)

Atividades de apoio técnico à área jurídica conforme área de atuação específica de Nível Médio; executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Oficial de Justiça Avaliador

Executar citações, notificações, intimações e demais ordens judiciais, certificando no mandado o ocorrido; executar penhoras, avaliações, arrematações, praças e hastas públicas, remissões, adjudicações, arrestos, sequestros, buscas e apreensões, lavrando no local o respectivo auto circunstanciado; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

Qual o salário?

Veja a tabela completa com a remuneração prevista para os cargos de Auxiliar, Técnico e Analista em Tribunais.

 

Qual a lotação?

Apesar de os tribunais terem designações distintas e regiões de abrangência próprias, a Justiça Federal, a Justiça do Trabalho e a Justiça Eleitoral são ramos especializados da Justiça da União. Portanto, mesmo que o servidor esteja lotado em determinada cidade, é possível solicitar remoção de uma localidade para outra.

Quanto a isso, pode haver restrição de prazo (em geral, o período de estágio probatório) e a necessidade de permuta com outro servidor. 

 

Quantas são as vagas?

De maneira geral, em concursos de tribunais, a convocação de candidatos aprovados costuma ser bem maior que o número de vagas ofertadas no edital. Outro ponto que vale salientar é o fato de que, devido às disciplinas comuns do conteúdo programático dos concursos para tribunais, muitos candidatos prestam provas para vários tribunais ao mesmo tempo. Assim, à medida que vão sendo chamados, mais vagas vão sendo abertas.

 

Quais os pré-requisitos?

Para se candidatar a uma vaga em concursos de tribunais, você precisa ter a formação indicada para a carreira, que pode ser de Nível Médio (técnicos) ou de Nível Superior (analistas). ao contrário do que muita gente pensa, os órgãos não oferecem apenas oportunidades para os bacharéis de Direito, mas também para profissionais de áreas de apoio especializado.

Entre as áreas ofertadas, normalmente estão Administração, Biblioteconomia, Contabilidade, Engenharia, Enfermagem, Segurança do Trabalho, Tecnologia da Informação, etc.

É preciso, ainda, cumprir alguns requisitos básicos, como:

  • Ter nacionalidade brasileira
  • Ter, no mínimo, 18 anos
  • Estar em dia com as obrigações eleitorais
  • Estar em dia com obrigações do serviço militar
  • Encontrar-se no pleno gozo dos direitos políticos
  • Ter documentos que comprovem a escolaridade e os pré-requisitos
  • Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo

 

Como é o dia a dia no tribunal?

De maneira geral, os servidores dos tribunais têm uma carga horários de 6 a 8 horas diárias (30/40 horas por semana). A maioria das funções são internas, ou seja, desempenhadas na sede do órgão ou em unidades dentro do território nacional/estadual. Algumas carreiras, como a de Oficial Avaliador, costumam ir à campo, mas essas saídas não representam qualquer risco à integridade física e mental do servidor.

Dessa forma, o trabalho nos tribunais do país, apesar de agregar grandes responsabilidades, são tranquilos e burocráticos.  

 

Quais as disciplinas básicas?

Cada tribunal tem suas particularidades, que também se refletem nos respectivos concursos. De qualquer maneira, há algumas matérias que são essenciais aos servidores da Justiça brasileira (considere que o grau de exigência varia conforme o grau de escolaridade).

Veja quais as disciplinas básicas, que você já deve começar a considerar em seus estudos:

Lembre-se que, além das disciplinas básicas, cada órgão solicita do candidato conhecimentos sólidos sobre sua legislação interna e sua área do Direito. Por exemplo, o Tribunal do Trabalho vai, obviamente, exigir conteúdo do Direito do Trabalho e Processual, o Tribunal Eleitoral, de Direito Eleitoral, e assim por diante.

 

Como são as provas?

As provas em concursos de tribunais se dividem em objetivas e discursivas. As provas objetivas costumam trazer entre 60 e 100 questões de múltipla escolha. Já as provas discursivas, normalmente, solicitam uma redação ou uma análise de caso referente à área de atuação.

Os tribunais, em geral, contratam bancas com um nível de exigência moderado/alto, que indicam um volume substancial de conteúdos e fazem com que o candidato tenha que memorizar muitas informações.

 

Quais as principais bancas?

Um dos passos mais importantes para o candidato durante a preparação é conhecer o perfil da banca examinadora. Isso porque não são todas iguais e cada uma tem suas particularidades. Estando por dentro do estilo da banca responsável pela prova do concurso que você vai participar é possível direcionar melhor seus estudos e torná-los mais efetivos.

Aqui no Próximos Concursos há análises completas das bancas examinadoras mais importantes que estão à frente dos concursos de tribunais em todo o país. Clique no nome da instituição e saiba mais:

 

Como se preparar?

A preparação é a parte mais importante da jornada até a aprovação em um concurso público, especialmente em concursos de tribunais, que costumam contar com um volume expressivo de conteúdo. É preciso ter em mente que são horas e mais horas de estudos, leituras, exercícios e revisão. Para obter bons resultados, só com muita disciplina e foco.

O primeiro passo, é obter todas as informações sobre o concurso (prazos, disciplinas pedidas, banca examinadora, etc) lendo com muita atenção o edital. Depois, é fundamental planejar seus estudos da forma que melhor funcione com você.

Para lhe ajudar nesse caminho, temos o post como montar um cronograma de estudos perfeito para sua rotina.

 

Quais as melhores apostilas?

Há pessoas que obtêm ótimos resultados estudando sozinhas, outras precisam de ajuda e investem em um curso preparatório. Se você optou por um voo solo, saiba que as apostilas serão suas melhores amigas. Por isso, é fundamental saber quais as mais conceituadas disponíveis no mercado. Se forem específicas para o concurso pretendido, tanto melhor!

Uma das mais completas é do Estratégia Concursos, que é também um dos melhores cursos do país. A apostila do Estratégia é direcionada para o, com todos os conteúdos solicitados em todas as disciplinas de concursos de tribunais.

Outra ótima opção é o Gran Cursos Online. Igualmente, tem material vasto para download, totalmente direcionado para concursos de tribunais. No Gran você ainda pode contratar um plano de assinatura que dá acesso a todos os mais de 7 mil cursos disponíveis na plataforma.

Muitas pessoas acreditam que estudar por apostila não é tão efetivo, mas as que indicamos aqui são realmente boas. No entanto, claro, tudo vai depender do quanto você se dedicar aos estudos. Pode ser um desafio ainda maior, mas é possível ser aprovado estudando por apostilas!

Confira também nosso post completo sobre as melhores apostilas para concursos.

 

Quais os melhores cursos preparatórios?

Se você tem como investir tempo e dinheiro em curso preparatório, é preciso pensar bem antes para escolher um que seja adequado às suas necessidades. É sempre um diferencial apostar em um módulo específico para a sua área de atuação.

O  Estratégia Concursos, por exemplo, tem um curso direcionado para concursos de tribunais. Além disso, o Estratégia tem ótimos índices de aprovação nos principais concursos do país, conta com um material de qualidade e professores renomados.

O Gran Cursos Online também está muito bem avaliado. Da mesma forma, tem material completo, com videoaulas, e professores de primeira linha.

Ainda tem dúvidas? Aproveite para conferir nosso ranking completo com os melhores cursos preparatórios para concursos.

 

Quais as melhores técnicas para estudar?

Há diversas técnicas que podem potencializar seu aprendizado, como a pomodoro e a de ciclo de estudos. Você também pode estudar com flash cards ou mapas mentais. O ideal é experimentar cada uma delas e ver com qual se adapta melhor.

Para lhe ajudar na escolha, reunimos todas as informações no post com as 16 melhores técnicas e métodos de estudos para concursos públicos.

 

Dicas para passar em concursos de tribunais

 

1 – Esteja focado nos concursos de tribunais

Uma vez decidido a ingressar no serviço público em um órgão da Justiça brasileira, você precisa se dedicar exclusivamente nos concursos de tribunais.

Isso porque, para ser aprovado, é preciso acertar uma média de 90% das questões das provas objetivas — um índice bastante alto.

Para tanto, você não pode apenas “passar os olhos” pelo conteúdo ou eventualmente estudar as matérias. Pelo contrário, é preciso que sua preparação tenha continuidade para que você se torne um especialista na área.

 

2 – Invista em material específico

Da mesma forma, é preciso investir em um material de qualidade, direcionado para os concursos de tribunais, para garantir a efetividade dos estudos. Não perca tempo e dinheiro com apostilas, videoaulas e livros que não vão lhe ajudar nesse sentido, por melhores que sejam.

 

3 – Atente à banca examinadora

como sempre dizemos por aqui, conhecer a banca examinadora é fundamental para uma preparação adequada. Na área de concursos de tribunais, isso fica mais evidente. Afinal, as bancas costumam ter um nível de exigência alto e cada um tem suas peculiaridades, seu estilo de pergunta, seus conteúdos recorrentes e suas pegadinhas.

Sabendo desses detalhes, você estará mais seguro na hora da prova, o que, com certeza, vai fazer toda a diferença na sua aprovação!

 

4 – Estude por questões

Como a teoria costuma ser muito extensa em concursos de tribunais, uma maneira de tornar sua preparação mais efetiva é estudar por questões. Essa é uma das técnicas mais utilizadas pelos concurseiros, pois ajuda revisar a matéria e fixar o conteúdo.

Sendo assim, busque provas anteriores recentes do tribunal que deseja ingressar e faça muitos exercícios.

Acesse provas anteriores de concursos de tribunais

 

4 dicas para passar em concursos de tribunais

  1. Esteja focado nos concursos de tribunais
  2. Invista no material específico
  3. Atente à banca examinadora
  4. Estude por questões

 

Qual a previsão de concursos?

Para acompanhar a evolução dos principais editais do país, inclusive de concursos de tribunais, acompanhe nossas seções de concursos previstos e abertos.

 

Checklist do candidato

Agora que você chegou até aqui, que tal se certificar rapidamente se tem mesmo o perfil do candidato de concursos de tribunais: Faça a checklist:

  • Ter formação de Nível Médio ou Nível Superior nas áreas ofertadas.
  • Ter disponibilidade para mudar de cidade.
  • Ter empenho e determinação.
  • Buscar estabilidade financeira e profissional.

Os concursos de tribunais atraem todos os anos milhares de concurseiros. Com bons salários e a sonhada estabilidade, é preciso se preparar com afinco para se dar bem. Mas, para isso, basta acreditar no seu potencial e colocar a mão na massa!

Conte com a gente para o que precisar na caminhada até a aprovação. Acesse nossas redes sociais para ficar por dentro de tudo: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Bons estudos!

 

 

[Total: 1    Média: 5/5]