fbpx

como passar em concurso públicoAcho que você já deve ter descoberto que não se consegue as coisas boas da vida por meio de atalhos.

É chato, mas é verdade, ou seja, você não passará em um bom concurso público apenas utilizando técnicas de chute ou lendo uma apostila no trajeto para o serviço.

Para passar você precisará de técnica, inteligência, sacrifícios e um bom caminho a percorrer.

Mas não desanime, tenho uma ÓTIMA NOTÍCIA:

 

Não existem atalhos, mas existem CAMINHOS MAIS CURTOS.

 

Sim, o caminho de estudo para concursos é longo, mas, observando quem já o trilhou, você descobrirá maneiras de chegar ao final desse caminho de forma mais rápida.

 

Mas, como descobrimos o caminho mais curto?

 

Os caminhos para passar mais rápido em concursos públicos estão por aí, podemos encontrá-los no youtube, na web, em blogs, depoimentos de aprovados, em livros. Enfim, em todos os lugares. O que faremos aqui é sintetizar todas as informações daqueles que passaram mais rapidamente nos concursos públicos.

Então, é importante que você saiba que se você quer passar mais rapidamente em qualquer concurso, você precisa aprender a descobrir o que estudar, quando estudar, como estudar e como fazer as provas.

Aqui analisaremos exatamente estes pontos.

Preparado?

 

 

1) Faça revisões periódicas

 

A revisão é exatamente o que vai te colocar entre os primeiros lugares no concurso ou a falta dela é o que pode te deixar fora das vagas.

Ela não é somente importante, ela é essencial para a sua aprovação.

Se você perguntar para a maioria dos que passaram mais rapidamente e em boas colocações em concursos públicos, provavelmente a grande maioria responderá que a revisão fazia parte de sua rotina.

Existe uma teoria bem interessante chamada curva do esquecimento, segundo ela, em 21 dias você lembra apenas de 8% do que aprendeu, ou seja, em uma aula de 60 minutos, se você não fizer uma revisão, você lembrará apenas de 5 minutos do conteúdo dessa aula.

Mas existem excelentes técnicas de revisão que podem resolver esse problema, e quem as utiliza geralmente comemora um excelente resultado em concursos.

O ideal é que você faça a chamada repetição espaçada, que pode ser assim:

  • Uma primeira revisão em torno, 24 horas depois de ter estudado um conteúdo.
  • A segunda revisão pode ficar para cerca de uma semana depois. 
  • A terceira pode ser feita depois de um mês dias.
  • A partir daí, o intervalo pode ser fixo. 

Contudo, é preciso avaliar como você se sai, aumentando ou diminuindo esses períodos, pois não há uma regra fixa nesse sentido. O mais importante é, a cada revisão, verificar o que pode sair da sua lista e o que deve permanecer.

Para não perdermos muito tempo,  vamos resumir as principais técnicas de revisão:

 

Resumos para concursos

 

Se você nunca utilizou a técnica de resumos para concursos na hora de estudar, está perdendo uma grande oportunidade de turbinar sua memorização e seu aprendizado, além de suas chances para alcançar a tão sonhada vaga em um cargo público em menos tempo.

A simplicidade dos resumos e sua importância para solidificação do conhecimento são pontos muito importantes para todo aquele que realmente quer ser aprovado!

 

Como fazer resumos para concursos: dicas imperdíveis!

 

Mapas mentais para concursos

 

Mapa mental é um diagrama (desenho) que resume de forma gráfica idéias e conceitos, conectando palavras e imagens a um nó central. Os mapas mentais são extremamente úteis para memorização, principalmente se forem elaborados à mão. Ele também pode ser utilizado para revisão e memorização dos principais conceitos, ajudando dessa forma, na memorização, e com certeza, aproximando você da tão sonhada aprovação.

O estudo por meio de mapas mentais acelera a memorização por trabalhar não só o visual, mas também o espacial, o criativo e muito mais.

Existem técnicas específicas sobre mapas mentais que você pode ver no artigo que preparamos:

 

Aprenda a criar um mapa mental efetivo

 

 

Flash Cards para concursos

 

Flash cards são pequenos pedaços de papel com uma pergunta na frente e uma resposta no verso. É um método que foca na memorização (decoreba) e seu uso é simples: basta tentar acertar a resposta atrás do papel.

A técnica de flash cards é muito recorrente no estudo de idiomas ou fórmulas.

Na área de concursos é muito útil para as disciplinas de Matemática, Estatística, Contabilidade e outros conceitos difíceis de memorizar e que constantemente caem nas provas.

Existem programas e técnicas específicas para fazer flash cards. Abordamos esse assunto no  artigo “como fazer flash cards para concursos”.

Flashcards: aprenda como fazer e detone nos concursos

 

 

E, se você quiser entender um pouco melhor sobre revisões fizemos também um artigo especial sobre o assunto. Veja só:

 

Revisão: a melhor amiga de quem quer passar em concursos

 

 

2)  Invista em um material de qualidade

 

 

Se você analisar as entrevistas de “arrependimentos” daqueles que passarem em primeiro lugar, verá que muitos reclamam de ter perdido muito tempo e dinheiro em materiais de péssima qualidade.

 

Felizmente, existem excelentes cursos preparatórios e livros no mercado, então, não perca tempo nem seu dinheiro em materiais de segunda linha. Seu tempo é precioso, então, invista em algo de qualidade.

 

Para ajudá-lo nessa tarefa, fizemos um artigo sobre “os melhores cursos preparatórios para concursos”.

 

Ranking dos melhores cursos preparatórios para concursos

 

 

 

3) Faça questões de provas anteriores

 

simulado questions listaCada banca de concursos possui sua peculiaridade, suas características e, estranhamente, costumam repetir perguntas. Ter intimidade com a banca pode auxiliá-lo absurdamente na aceleração de seu aprendizado.

Mas você precisa entender uma coisa…

No início dos estudos (e às vezes até no final), você poderá ter um péssimo desempenho nas questões e isso não significa que você esteja indo mal, não significa que você não esteja aprendendo.

Com o tempo, você vai pegando o “jeito da banca”, descobrindo como ela pensa e seu desempenho vai melhorando.

O estudo por questões exige técnica, ou seja, não basta ver se acertou ou errou. Você deve pegar cada alternativa e aprofundar, ver se ficou alguma dúvida, pesquisar, procurar entender e gravar cada alternativa.

Preparamos um artigo sobre sites e aplicativos que podem ajudá-lo na resolução de provas e questões anteriores.

 

17 EXCELENTES Sites e Aplicativos de QUESTÕES DE CONCURSOS (incluindo os grátis)

 

 

4) Mantenha uma organização

 

programatico cronogramaAcredito que você concordará comigo que muitas vezes nossas limitações para realização de qualquer atividade são mais internas que externas.

Você já deve ter sentido isso na pele, seja na hora fazer um regime ou entrar numa academia.

Com os estudos para concursos não é diferente. Para conseguirmos bons resultados, precisamos além de uma motivação muito alta, uma organização acima da média para acompanhar as aulas e revisões.

Pensando nisso, você precisa ter um bom cronograma de estudos, alinhado a um método de acompanhamento, seja ele o método tradicional ou o método de ciclo de estudos.

É possível ter uma boa organização e conseguir estudar bem, mesmo não sendo “muito organizado”.

Como o tema exige um pouco mais de informação, fizemos um artigo chamado: Como montar um Cronograma de Estudos perfeito para sua rotina.

 

Como montar um cronograma de estudos perfeito para sua rotina

 

 

5) Busque a estabilidade emocional

 

Eu sei que é difícil, mas conseguir uma estabilidade emocional pode ser algo essencial para acelerar o estudo.

Concurseiros costumam ser “noiados” por natureza, mas entender a situação, não se cobrar em demasia e não ficar dando atenção para boatos que podem desmotiva-lo é essencial.

Percebo que muitos candidatos bem preparados não conseguem passar na prova por nervosismo: quem nunca ouviu falar nos famosos brancos, desmaios e diarréia na hora da prova.

Não tenha vergonha de procurar ajuda de um bom profissional, como um psicólogo ou psicanalista. Ele poderá ajudá-lo nessa tarefa.

Do que adianta meses ou anos de estudo e não estar preparado emocionalmente para fazer a prova?  E isso fazer com que você coloque tudo a perder?

 

6) Faça suas próprias regras

 

Muitos concurseiros ficam enlouquecidos se comparando com os colegas ou com entrevistas dos primeiros colocados.

Mas, se você observar os aprovados em concursos públicos, não existe um único método ou regra capaz de levá-lo à aprovação.

O que fazer então?

A forma “mais inteligente” de abordar a situação é descobrir os métodos e regras que melhor funcionam para você.

Talvez, você ache uma perda de tempo fazer resumos, flashcards, ou até mesmo ler livros especializados.

Não tem problema nenhum, você não é obrigado a utilizar estes métodos.

Algumas pessoas preferem apostilas em pdf, vídeo-aulas e outras, livros especializados. Isso não importa muito, o que importa é que você descubra um bom método de revisão, memorização e aprendizado que funcione para você.

Outro grande problema que faz muitos candidatos surtarem é a comparação com o  tempo de estudo de outros concurseiros.

Existem pessoas que conseguem estudar 18 horas por dia, outras no máximo 3, e, você verá ambas serem aprovadas em bons concursos públicos. 

O que importa nisso tudo?

É você estudar o máximo que pode sem se enganar.

É preferível 1 hora de estudo com qualidade, organização e concentração que 20 horas estudando no facebook.

O seu comparativo não deve ser com os outros, mas uma análise interna. Você terá que descobrir, sem culpa, se está dando o máximo possível com equilíbrio.

Todo mundo sabe se está dando o máximo ou o mínimo, então, utilize o seu próprio parâmetro e não se compare com os outros.

Agora que você já sabe o que é importante para ser aprovado mais rapidamente em qualquer concurso público, você precisará entender também o que é mais importante em cada fase de estudo.

 

7) Descubra a fase de estudo que você está

 

Para saber como acelerar seu aprendizado, é importante identificar em qual fase de estudo você está.  Existem basicamente 3 fases de estudo.

 

Fase 1 – Início de Estudo

 

Essa fase é para aqueles que estão iniciando os estudos para concurso.

Geralmente é uma etapa em que a motivação está alta e você está muito aberto a novidades. Nessa fase também ocorrem as maiores perdas de tempo, seja pela escolha de um material de má-qualidade, seja pela falta de conhecimento dos métodos de estudo, aprendizado e organização.

O mais importante é ter um bom curso preparatório e uma boa organização.

Também é nessa fase que você deverá aprender a fazer resumos e revisões. Abaixo listamos pontos importantes a serem analisados no início do estudo.

O que é importante no início do Estudo.

 

Fase 2- Intermediária

 

Essa fase é para aquelas pessoas que já fizeram pelo menos um curso preparatório completo.

A maioria dos candidatos desiste aqui, então, manter uma estabilidade emocional e uma motivação elevada será essencial para passar por essa etapa.

A maioria dos que conseguem passar a fase intermediária, são aprovados em concursos públicos, então, não desista. Você está perto J.

Na fase intermediária, as técnicas de estudo devem mudar um pouco. Nessa etapa você deve focar em questões de concursos e livros aprofundados na área. Talvez seja interessante procurar cursos preparatórios cujo foco seja a resolução de questões.

Um dado importante é não abandonar os resumos e as revisões. Nessa fase também é importante você reler os pdfs ou livros sobre assuntos que você tem dificuldade e revisar constantemente os assuntos que você considera mais difíceis.

O que é importante na fase intermediária do estudo:

  • Estabilidade emocional e motivação;
  • Continuar fazendo resumos e revisões;
  • Foco do estudo em questões de concursos e livros aprofundados
  • Cursos preparatórios com ênfase na resolução de questões; e
  • Reler pdfs ou livros sobre assuntos que você está com dificuldade de revisar.

 

Fase 3 – Avançada

 

Dificilmente quem chega numa fase avançada desiste, mas o monitoramento da estabilidade emocional continua importante.

Aqui, você deve já saber muitas questões de concursos da banca “de cor”, então, é interessante procurar simulados e cursos avançados sobre os temas.

Para isso você deverá fazer muitas questões de concursos, fazer constantes revisões dos temas estudados e acompanhar as novidades da legislação e jurisprudência.

O que é importante na fase intermediária do estudo:

  • Monitoramento da estabilidade emocional e motivação;
  • Continuar fazendo resumos e revisões;
  • Aprofundamento nas novidades legais e jurisprudenciais e temas complexos;
  • Continuar fazendo questões de concursos; e
  • Procurar simulados e cursos avançados sobre os temas.

 

 

 

8) Use mídias diferentes

 

Quando nosso cérbro absorve informações de mídias diferentes, ativa diferentes áreas. E quanto mais áreas forem ativadas, mais rápido é o aprendizado.

Ou seja, você assiste a uma videolaula e ativa um canto do cérebro, depois lê em uma apostila ou em livro e ativa outra área, faz uma questão de prova anteiror e ativa uma terceira área.

Então, use e abuse de aulas comentadas, anotações, mapas mentais, flashcards, aulas presenciais, discussões em grupo, etc. Quanto mais variado for seu material, suas ferramantas e mídias usadas, mais potencializado estará seu aprendizado.

Claro, você não terá tempo para fazer isso para todas as disciplinas, mas escolha os conteúdos que tem mais dificuldade e veja se era isso que faltava para deslanchar o seu estudo.

 

9) Estude várias disciplinas em um dia

 

Muitas pessoas organizam o cornograma de estudos colocando um disciplina por dia. Porém, esse não é o melhor método para nosso cérebro. Por que? Bem, porque o cérebro também se cansa! Quando ele recebe uma carga massiva de infomações sobre um único assunto, ele fica exausto e acaba não retendo esse dado como deveria, plenamente.

Então, a sugestão é compartimentar o estudo em bloco de 30 ou 40 minutos para cada matéria.

Tente também alterar o tipo de matéria. Por exemplo: se você se dedicou primeiro à Língua Portuguesa (Humanas), na sequência procure estudar Matemática (Exatas). Ou, ainda, uma mais fácil e uma mais com a qual tenha bastante dificuldade.

Quem já estuda por ciclo de estudos sabe do que estamos falando!

 

10) Não seja da turma do fundão

 

xPode parecer bobo, mas há muitos estudos que corroboram essa afirmação: se você está em um curso presencial, não seja da turma do fundão! Isso mesmo, evite sentar nas últimas cadeiras e procure acompanhar a aula nas primeiras fileiras.

Uma pesquisa reuniu estudantes aleatórios e que foram alocados na sala de aula conforme a sugestão do professor. Como resultado, observou-se que os estudantes sentados nas primeiras filas acertaram uma média de 80% da prova, enquanto os de fileiras intermediárias acertaram 71,6%. Já os que sentaram bem atrás acertaram apenas 68,1%.

Com isso, conclui-se que quem senta na frente tem menos distrações e se concentra mais no que o professor está dizendo.

 

 

11) Não seja multitarefa

 

Embora muita gente goste de se autointitular multitarefa, isso não é saudável ou natural. Claro, há quem seja sobrecarregado no trabalho ou na vida doméstica e, mesmo assim, tenha que dar um jeito. Contudo, esse não é o cenário ideal para quem está estudando para um concurso público.

A sugestão é que durante os estudos você evite toda e qualquer interferência durante os estudos: desligue o celular, fique longe das redes sociais, feche as abas do computador. Enfim, afaste do seu ambiente de estudo tudo quilo que pode ser uma distração.

Nós só conseguimos fazeruma coisa bem de cada vez, não tem jeito.

 

 

12) Simplifique, resuma, comprima

 

Quando se estuda para um concurso, o volume de conteúdo é imenso. Então, é fundamental que você crie mecanismos que sintetizem a informação e facilitem o trablaho do seu cérebro.

Uma boa maneira é usar o recurso de ligação mnemônica, que significa associar palavras ou itens a imagens inusitadas para auxiliar na memorização. Quanto mais ridícula e sem lógica for essa imagem mais fácil será memorizá-la.

Por exemplo, o capacete de PM para quem quer memorizar as competências da União no Direito Constitucional:

  • Comercial
  • Agrário
  • Penal 
  • Aeronáutico
  • Civil
  • Eleitoral
  • Trabalho
  • Espacial

 

  • Processual
  • Marítimo

 

 

13) Faça anotações à mão

 

write escreverHoje em dia estamos bastante desacostumados a fazer isso, mas anotar à mão ainda é uma maneira excelente de memorizar. Ao fazer isso, usando suas próprias palavras e não apenas trancrevendo o texto, você processo melhor a informação e, assim, seu cérebro tem mais facilidade em retê-la.

 

 

 

 

14) Escreva seus medos

 

Um estudo da universidade de Chicago descobriu que as pessoas que escreviam seus medos sobre as provas tinham melhores resultados.

Segundo as análises, isso acontece porque ao colocar esses pensamentos no papel parece que aquilo perde a importância que tem dentro de vocês. Também perceberam que quem mantinha um diário onde contavam seus temores tinham desempenhos muito superiores na área acadêmica e na carreira.

Não custa tentar, não é mesmo?

 

 

15) Faça conexões com o que você já conhece

 

Fazer conexões com coisas que você já estudou, já conhece, ajuda a aprender muito mais rápido.

Um exemplo bem simples: as células de sangue. Você já entende conceitos de guerra, não é mesmo? Soldados, inimigos, etc. Então, você faz associações entre os dois conceitos. Os glóbulos brancos são soldados defendendo contra o inimigo, que são as doenças, bactérias.

Ou seja, você pega uma informação que já tem e conecta com outra. Quanto mais analogias e comparações você conseguir fazer, mais áreas dos seu cérebro você vai conectar e mais conteúdo vai reter.

 

16) Leia em voz alta

 

Mais um estudo de universidade norte-americana mostrou que aquelas pessoas que lêem em voz alta gravam muito mais do que quem lê silenciosamente. Isso porque, como já dissemos, esse pequeno detalhe ativa áreas importantes do cérbro.

Certamente você não vai conseguir ler um livro inteiro em voz alta, mas pode grifar trechos importantes e lê-los algumas vezes em voz alta. Depois, faça um intervalo e repita a leitura para ver o que já memorizou. Repita esse processo três ou quatro vezes.

 

 

17) Faça intervalos regulares

 

tempo jornadaHá quem se habitue a estudar cinco ou seis horas em parar. Porém, esse é um método que, a longo prazo, pode se voltar contra a pessoa. Simplesmente porque cansa não apenas a mente, mas também o corpo.

O ideal é a que a cada 40 minutos se faça intervalo entre 5 e 10 minutos. Durante esse período, tente ficar afastado do celular ou do computador. Espaireça de verdade a cabeça, medite, apenas caminhe e respire com tranquilidade.

No retorno do intervalo você vai notar que está mais disposto e seu rendimento será superior.

 

 

 

18) Se dê pequenas recompensas

 

Se dar pequenas recompensar a cada período de estudo pode ser uma ótima estratégia de motivação.

Por isso, pense em presentinhos, agrados que você pode ter no curto espeço de tempo do intervalo: um chocolate, um cafezinho, um banho quentinho (no inverno!), ouvir uma música, meditar, se exercitar, etc.

Coisas breves, mas que sejam prazerosas. Minutos de relaxamento antes de retomar os estudos.

 

 

19) Tenha foco no processo

 

Um estudo também apontou que aqueles que se preocupam apenas com o resultado da prova, com a aprovação, têm resultados piores que aqueles que mantêm o foco no processo.

Isso porque, de maneira geral, quem está apenas pensando no resultado, na verdade, está preocupado com o que os outros irão dizer se for reprovado. Enquanto quem foca no processo está pensando no seu crescimento pessoal.

O ideal é que você tire da cabeça a preocupação com os outros e direcione o seu mindset para o aprendizado, para aceitar o desafio e ser positivo nessa caminhada.

 

 

20) Cuide da sua saúde

 

No quesito saúde, há diversos cuidados que devem ser tomados para que você se sinta mais disposto e, assim, possa ter melhores resultados nos estudos.

O primeiro deles é: beba água! Mantenha-se hidratado, porque nosso organismo necessita de, no mínimo, oito copos de água por dia. Durante a prova do concurso, mantenha sua garrafinha sempre à mão e beba água em intervalos regulares.

É importante também fazer exercícios, movimentar o corpo e fugir do sedentarismo. Praticar atividades físicas vai muito além da estética e ajuda nosso corpo a funcionar do jeito certo. Por consequência, seu desempenho nos estudos também será melhor.

Da mesma forma, uma boa noite de sono é vital para quem quer ter uma performance superior. De nada irá adiantar virar noites estudando se o seu corpo começar a falhar, não é mesmo? Quem dorme pelo menos oito horas por noite , em geral, é menos estressado e tem uma memória mais eficiente.

Por fim, preste atenção ao que coloca no prato. Pesquisas recentes apontaram o mirtilo (ou blueberry) como uma excelente fonte de flavonoides, que estimulam a regeneração das células cerebrais. Outro alimento interessante é o ovo de galinha, rico em colina, que é importante para a formação do neurotransmissor acetilcolina, que regulariza de maneira indireta a memória. Também Omega 3 melhora a concentração e a ansiedade e está no salmão, linhaça e nozes, por exemplo.

 

Quer saber mais sobre o assunto? assista o vídeo completo no nosso canal do Youtube, clicando aqui.

Curta e siga também nossas outras redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram.

Bons estudos e boa sorte!